Dicas que ajudam na adoção de um gato de rua

Segundo pesquisas, o Brasil possui cerca de 30 milhões de animais abandonados, sendo a grande maioria gatos e cães. Se você decidir adotar um gato de rua, existem algumas regras importantes que devem ser seguidas.

Adotar um gato de rua, uma decisão bem pensada

O primeiro que temos que fazer é ter em conta que isso é uma decisão tomada de forma responsável e bem pensada. Um gato que está abandonado na rua precisa de ajuda, mas a sua desconfiança em relação aos outros que se aproximam vai ser muito alta, entre outras coisas, porque ele pode ter sofrido maus-tratos. O animal também pode ter desenvolvido um trauma, o que pode causar uma certa agressividade. Uma alternativa para a adoção definitiva é a provisória, ou seja, enquanto procura-se um lar para o animal e uma família definitiva.

gatos-de-rua

Para recolher um gato da rua é preciso ter o máximo de cuidado, porque não é incomum que o animal tente nos morder ou nos arranhar. Um tom de voz tranquilo e algum alimento atraente para ele serão os primeiros passos. Outra questão positiva é pedir a ajuda de um veterinário, cuidador ou especialista.

Um elemento indispensável para recolher um gato da rua é a caixa de transporte. Uma vez que conseguirmos recolher um felino, essa caixa irá servir para poder levar o animal para casa sem perigo.

A chegada ao lar depois de adotar um gato de rua

Os primeiros contatos com o gato resgatado em seu lar são importantes. É necessário abrir as portas e deixar todos os espaços abertos para que o recém-chegado se movimente, pelo menos nos primeiros instantes após a sua chegada. Deixe que ele ande por todos os cômodos. Isso lhe transmitirá confiança e segurança.

Outro aspecto importante é não forçar o felino a sair de um esconderijo secreto. O refúgio que precisa, seja ele debaixo de uma cadeira ou móvel, obedece a uma necessidade que os gatos têm de vez em quando, e que devemos respeitar.

As palavras que formos dirigir para eles devem servir para tranquilizá-los e ganhar sua confiança. De vez em quando nos aproximaremos até o local onde eles se encontram para que comecem a se familiarizar com os seus novos donos e amigos. No quarto que ele tiver escolhido como abrigo, devemos colocar comida, água e a caixa de areia nos primeiros dias. Algum tempo depois chegará o momento em que seremos nós, os donos, que decidiremos o lugar que devem ocupar dentro da casa.

Quando há mais felinos em casa

Quando temos em casa mais gatos, a questão se torna um pouco mais complicada. Nesse ponto incidirá o caráter dos gatos, de forma individual, até porque eles já apresentam uma desconfiança natural desde o começo, sobretudo se tivermos tirado o recém-chegado da rua.

Para favorecer esse primeiro encontro, a caixa de transporte do animal vai ser a melhor ferramenta. O ideal é deixá-lo dentro desse compartimento, e colocá-lo no aposento central da casa, onde possa interagir com os demais companheiros felinos. Nos primeiros instantes, os gatos irão se cheirar, se “apresentar” e irão se conhecendo do seu jeito. Enquanto estiverem no interior desse mecanismo de transporte, o local transmitirá a confiança e segurança necessárias.

Caso a aceitação seja positiva, você já poderá soltar o felino e deixar que examine o seu entorno sem obstáculos, mas sob a vigilância dos donos.

Outras formas para adotar um gato de rua

gato-na-rua

  • Recolher um gato que tenha nascido na rua ou que está abandonado pode ser uma operação difícil. O melhor a se fazer será pedir a ajuda de um especialista, um veterinário ou uma associação protetora.
  • Ainda que pareça óbvio que o felino não tem dono, você não terá certeza absoluta disso. Por isso, é melhor se assegurar da sua situação.
  • O animal abandonado na rua pode ter algum tipo de doença e/ou parasitas. Portanto, é conveniente levá-lo a um veterinário para que seja feita uma revisão com profundidade. Assim, você poderá descartar qualquer doença, pulgas, etc.
  • Também pode acontecer que, se existem mais gatos em casa, o recém-chegado poderá transmitir alguma doença aos que estão dentro. Por isso, o melhor é deixá-los separados até que você tenha certeza absoluta de que não há risco.
  • É conveniente fazer todo o possível para que o gato recolhido da rua se sinta totalmente livre em sua casa. Isso o ajudará a se integrar melhor em seu novo lar.