Diesel, o cão herói dos atentados de Paris, morreu por disparos de um policial

Diesel, o cão herói

Os ataques terroristas ocorridos em Paris representaram um dos fatos mais trágicos na história da humanidade, onde uma série de genocidas atentaram contra as vidas de centenas de inocentes, marcando um antes e um depois no dia a dia da sociedade francesa. Mas uma curiosa figura se sobressaiu, Diesel, o cão herói.

Assim como em histórias de heroísmo e de horror, nos atentados na capital da França apareceram uma série de protagonistas, cuja missão de fazer justiça e de apanhar os terroristas culminou com a vida de uma de suas figuras mais valentes e representativas.

Trata-se de Diesel, o cão herói. Um pastor Belga Malinois de sete anos que formava parte do corpo de operações especiais da Polícia Nacional da França, cuja maior especialidade era o rastreamento de explosivos.

Sua valente existência veio ao fim em uma operação realizada poucos dias depois dos atentados, onde tentavam encontrar o principal responsável pelos ataques, Abdelhamid Abaaud.

A notícia de sua morte soou como mais um estrondo no ano passado, mas a descrição dos fatos ocorridos naquela trágica madrugada foi alterada drasticamente.

Madrugada de disparos em Paris

Cinco dias depois do ataque terrorista, a Polícia Nacional da França deu início a uma operação para procurar os autores do genocídio, os quais estavam escondidos em um apartamento localizado no município de Saint Denis.

Conforme então souberam do paradeiro deles, Diesel, o cão herói, entraria primeiro no local para determinar o grau de perigo que representavam os terroristas e, assim, fazer com que os agentes soubessem quais ações deveriam tomar.

Mas ao adentrar o imóvel, se iniciou um intenso cruzamento de tiros que culminou na morte de Diesel e em 5 policiais feridos. Esse foi mais um incidente que aterrorizou a madrugada parisiense, desta vez em busca da justiça e da punição dos envolvidos.

A morte de Diesel, até então, tida como sendo de autoria de uma das balas pertencentes aos terroristas, pois ao notarem a presença dela, eles teriam aberto fogo e acabado com sua vida, mudou radicalmente.

Reação à morte de Diesel, o cão herói

Esta versão dos fatos foi tida como verídica por muitos meses e o assassinato do cão herói de Paris significou uma verdadeira tragédia que se tornou viral tanto nas redes sociais como na política.

É que através do Twitter, numerosos twits e hashtags se solidarizaram com sua morte e se tornaram virais em poucas horas, fazendo do ocorrido outro ato de profunda tristeza e indignação na sociedade francesa onde calamidades deste tipo já estavam começando a se tornar recorrentes.

Por outro lado, o governo da Rússia ofereceu um gesto de solidariedade a Paris e a França pelo assassinato de Diesel, dando de presente à Polícia Nacional um filhote de Pastor Alemão batizado como Dobrynya, como um símbolo da unidade de ambos os países na luta contra o terrorismo.

Fogo amigo

Diesel, o cão herói

Fonte: www.infobae.com

Entretanto, ainda que o ocorrido naquela madrugada parecesse incontestável, há poucos dias uma investigação revelou que Diesel não teria morrido vítima de um dos genocidas, mas sim de forma involuntária por um dos membros do corpo especial da Polícia Nacional, no cruzamento de tiros.

Foi possível determinar isso graças a uma autópsia realizada em Diesel por um veterinário, que determinou que a bala que acabou com sua vida pertencia ao mesmo armamento que utilizam os agentes de segurança.

É importante assinalar que além deste, existe outro detalhe que mudaria um pouco o ocorrido na operação, já que como chegou a indicar um membro da polícia que decidiu permanecer no anonimato, quando eles ingressaram no local onde se alojavam os terroristas, houve uma chuva de balas disparadas pelos próprios agentes.

Embora tenha sido uma operação bem-sucedida, nada irá mudar o fato de Diesel ter sido assassinada. Todos estes fatos revelam com muita claridade tudo o que realmente ocorreu naquela madrugada de 18 de novembro, enquanto toda a França e a Europa ainda não podiam dormir pelo o que tinha ocorrido cinco dias antes.

O certo é que este fêmea de pastor Belga Malinois sempre será lembrada não somente pela eficiência em seu trabalho e por sua indiscutível valentia, mas também por sua inigualável lealdade a Paris, e à luta contra o terrorismo. É sem dúvida um verdadeiro cão herói.

Fonte das imagens www.infobae.com