Existem cães agressivos ou os donos é que são perigosos?

É muito comum ouvir as pessoas dizerem que tal ou qual raça é agressiva. Isso é, além de uma injustiça, um mito em geral alimentado pelos meios de comunicação como  as caricaturas ou o cinema. Infelizmente, a má fama que algumas raças ganham levam a sua proibição em certas regiões, a um baixo índice de adoção ou ao sacrifício de animais pertencentes às mal denominadas “raças violentas”. Então nos perguntamos se existem cães agressivos ou se os donos é que são perigosos?

Para ter clareza sobre esse aspecto, você terá que partir do ponto de que nenhum cão nasce sendo agressivo.
Existe um elemento claro e é a tendência a desenvolver personalidades agressivas devido a um padrão de territorialidade ou de dominância presente como característica da raça.
Entretanto, isso é só uma tendência, e pode ser facilmente evitada através de um processo adequado de educação.

Inclusive cães as raças com menor índice de territorialidade, terminam desenvolvendo atitudes agressivas se não forem bem ensinados, e o pior é que este é um fenômeno muito comum. A agressividade nos cães está relacionada com dois fatores importantes:

A falta de socialização

Assim como os humanos que crescem em situações de isolamento extremo desenvolvem atitudes pouco habituais, produzindo resistência à vida em sociedade, um cão ao qual não lhe foi permitido viver com outros animais ou pessoas, vai desenvolver distúrbios de personalidade que derivam na agressão.

Usualmente, esses cães não convivem com outras possibilidades, por isso tornam-se muito territorialistas e protetores, é por isso que não permitem o acesso a nenhum estranho, seja humano ou animal.

A socialização deve ser feita uma vez que o cachorrinho complete seu quadro de vacinação (pois antes disso ele é vulnerável às bactérias ou vírus que os outros animais podem ter), e essa socialização deve ser feita tanto dentro quanto fora do lar.

É saudável que os cães desenvolvam vínculos com outros animais, por serem animais pertencentes a estruturas sociais complexas e hierarquizadas.

O maltrato

Maus tratos a animais podem contribuir para que seus comportamentos fiquem agressivos

O cão abusado fisicamente, abandonado ou isolado, será um animal com baixo nível de confiança, por isso desenvolverá uma personalidade nervosa e desconfiada frente a estranhos.

Os cães nervosos devem ser considerados como animais em situação de risco, pois em caso de se sentirem encurralados, podem agir de forma agressiva como meio de defesa.

O mau trato causa profundos danos psicológicos, que dificilmente lhes permitirá estabelecer uma relação de confiança com outros animais, em especial se tiver permanecido muito tempo isolado ou afastado.

Dentro dos animais maltratados, incluem-se aqueles que são criados para agredir os outros, como é o caso dos cães de briga, que deverão receber terapia para poder superar os traumas que uma vida de combates lhes deixou, para que possam estabelecer vínculos sociais com outros.

Um cão que não recebeu carinho dificilmente conhecerá um caminho diferente da violência, é por isso que reagem como reagem… Grande parte do problema deve-se à falta ou excesso de disciplina com os animais, assim como o desconhecimento sobre as características e necessidades da raça.

Cuidados e atenções

Para evitar que um cão desenvolva características anti-sociais, ele  deve ser criado fortalecendo sua confiança em outros. Também terá que alimentá-lo apropriadamente para que não sinta a necessidade de competir pela comida.

Ele deve ser disciplinado sem violência, levado para passear para que tenha diferentes tipos de experiências e que o contato com os demais seja permitido.

Você tem que ter em mente que um cão doente ou ferido pode chegar a agredir como resposta à dor que está sofrendo.

Por exemplo, se o cão se machucou em alguma parte e, quando o tocarmos, o mais provável é que ele reclame ou se mexa para que o soltemos e para que deixemos de lhe causar dor. Uma boa forma de evitar a agressividade é determinar o que a está causando.

Raças de cães agressivos

Raças de cães consideradas perigosas

Infelizmente, os maus hábitos de muitas pessoas frente à criação de seus animais, assim como estigmas que ficaram marcados nas mentes das pessoas, fizeram com que fossem criadas leis nas quais se discrimina a posse de algumas raças, entre elas encontram-se:

  • O Doberman
  • O Rottweiler
  • Os Pitbulls em todas as suas variantes
  • O Bull Terrier
  • O Tosa Inu
  • O Mastil Napolitano
  • O Fila Brasileiro
  • Os Dogos em suas diferentes variantes

Dependendo do país, existem mais ou menos raças nessas listas negras, embora em sua maioria sejam estabeleçam parâmetros de convivência, como levá-los para passear com correia e focinheira; já em alguns países, sua posse ou criação são proibidas.

Entretanto, como exposto no início deste artigo, o perigoso não é a raça, é a pessoa irresponsável e perigosa que faz com que o cachorro desenvolva uma personalidades violenta.