Fosberg, o cão que perdeu seu amigo gato, mas que encontrou um novo companheiro

Fosberg

Há quem não acredite na amizade entre espécies diferentes, que diga que os cães protegem os cães, os gatos os gatos, etc.… Mas a história de hoje nos ensinará que a amizade incondicional não olha espécies, raças ou gêneros, mas sim a beleza do coração. Esta é a história de Fosberg, um belo Golden Retriever, e de seu bom amigo, um gato romano que não sabemos o nome, mas vamos chamar de Rony.

A história de Fosberg e Rony

Fosberg e Rony foram criados juntos… bem, Rony tinha quase cinco anos quando o cãozinho chegou ao lar. Ter um gato e trazer um cão para casa nem sempre pode ser a melhor escolha, são duas espécies diferentes, com comportamentos e personalidades diferentes. Em muitas ocasiões isso causa problemas.

Esse não foi o caso de Rony e Fosberg, já que desde o primeiro momento eles se conectaram um ao outro com perfeição. Passaram a ir juntos para todos os lados, brincavam juntos, comiam juntos, tiravam uma soneca juntos no sofá e muitas vezes até dormiam juntos ao longo da noite.

Toda uma bela relação de amizade e lealdade que com o passar dos meses e dos anos ia se estreitando ainda mais.

E de repente…

Ninguém imaginava que os protagonistas de nossa história iriam sofrer um revés da vida e que isso os levaria a uma tragédia: Rony foi diagnosticado com câncer de tireoide. Sua dona, Jen Philion, fez todo o possível para salvar seu felino, mas o câncer era muito agressivo e consumiria a vida de seu bichano em poucos meses.

Por isso ela teve que tomar uma drástica decisão, a de sacrificá-lo. Foi uma decisão difícil, mas acertada, pois ter deixado Rony viver só teria provocado mais dor no pobre animal.

A vida do Fosberg sem Rony

Quando Jen chegou em casa depois desta amarga experiência, Fosberg foi correndo para saudá-la e para brincar com seu querido amigo. Mas para sua surpresa, a mulher retornou sozinha, sem Rony!

Fosberg-e-seu-antigo-amigo

Fonte: www.ideal.es

O pobre animal começou a chorar e a procurar Rony por todos os lados e, apesar das explicações de Jen, ele não cessou sua busca. Fosberg não entendia o que acontecia, apenas sabia que seu amigo não estava mais lá. Quando ele aceitou isso, se refugiou em um canto da casa de onde saía apenas para beber água, porque nem queria comer.

Todos os dias o cão continuava a dedicar várias horas alternadas para continuar procurando o gato Rony, busca que nunca teve resultados. Sua dona não sabia como solucionar o assunto, já que se seu cão continuasse se comportando assim por muitos dias, o mais provável era que ele viesse a adoecer.

Ao falar com seu veterinário, ele lhe deu uma excelente ideia, a qual Jen colocou em prática no mesmo dia.

Um novo amigo para o cão Fosberg

Jen encontrou um novo amigo gato para Fosberg, Maxwell. Um gato preto que chegou à casa de Jen com o objetivo de voltar a fazer sorrir o querido pet dela, mas será que ele conseguiu?

Embora não se conhecessem, ambos se cheiravam e se aproximavam um pouco mais a cada dia. Fosberg já era um cão adulto e Maxwell um pequeno filhote de gato que não estava acostumado a ter amigos tão grandes e peludos.

Pouco a pouco a amizade foi se estreitando e Jen pôde começar a ver cenas similares às que Rony e Fosberg viveram. O peludo começou a comer de novo, ambos os bichinhos estavam juntos, brincavam, dormiam juntos e andavam juntos por todos os lugares.

Não demorou muito para que Fosberg recuperasse a alegria e a vontade de viver. Segundo sua dona, era óbvio que o animal sentia saudades de sua vida com o amigo gato e ele unicamente precisava de um novo amigo felino que lhe fizesse ser feliz de novo.

Embora estejamos certos de que Fosberg jamais esquecerá Rony, será que aqui também poderíamos dizer que “um amor cura o outro”?

Fonte das imagens www.ideal.es