Gato morre intoxicado depois de ser tingido de rosa por sua dona

Os defensores dos direitos dos animais gritaram ao saber do caso do gato de Elena Lenina, uma escritora russa, que por ocasião de uma festa, tingiu seu gato de rosa. O gato morreu intoxicado depois que sua dona o tingiu, ao ingerir a tintura tóxica depois de lamber seu pelo.

O gato morreu intoxicado depois que sua proprietária o tingiu de rosa em uma festa, ao se envenenar com o tintura que foi usada no seu pelo. A mulher, uma escritora russa chamada Elena Lenina, queria que o animal fosse a estrela principal de uma festa cor de rosa, onde todos, incluído o felino, deviam ir dessa cor.

Quando ela deixou de prestar atenção na questão da cor do gato e deixou de olhá-lo com atenção, foi então quando o animal começou a lamber seu pelo. Isso fez com que ele ingerisse a tintura tóxica e que morresse envenenado.

A mulher recebeu grande rejeição por parte dos defensores dos animais, pelo seu comportamento com o animal.

Mas a escritora se defendeu; segundo ela “a cor rosa foi escolhida por suas propriedades curativas e também porque fortalece o pelo do gato. Meu veterinário me disse que era benéfico para ele”.

Mas, infelizmente, esse não é o único caso de intoxicação acidental de um animal por negligência ou capricho dos donos.

Muitos animais morrem intoxicados porque seus donos não mantêm alguns produtos longe do alcance dos bichinhos. Por exemplo:

1. Cigarros

Alguns produtos são tóxicos para os animais

Um cão de pequeno porte ou um gato, podem morrer ao mastigar 3 apenas cigarros. O tabaco contido em 3 cigarros é suficientemente tóxico para causar a morte de algum desses bichinhos.

Os produtos para deixar de fumar, como os chicletes de nicotina, o líquido que se coloca dentro dos charutos eletrônicos e os adesivos também são tóxicos, já que contêm níveis de nicotina muito altos.

Se um animal consumir algum desses produtos e ele apresentar um aumento da frequência cardíaca, sintomas neurológicos, perda do controle da bexiga ou do intestino, tremores, convulsões ou paralisia, você deve levar o animal imediatamente ao veterinário

2. Gel antisséptico

O gel antisséptico é um produto que adquiriu grande popularidade nos últimos anos. São necessários, práticos e estão em todas partes: na mesa, no banheiro, na bolsa, no carro…

Mas eles contêm uma alta porcentagem de álcool, de tal forma que se o cão o ingerir, isso vai lhe provocar uma intoxicação etílica, o que produziria no animal uma severa baixa de açúcar no sangue, perda de coordenação, de temperatura corporal, uma depressão do sistema nervoso, assim como, ou inclusive, a morte.

3. Chicletes ou balas sem açúcar

Cuidados com animais de estimação

Esses elementos podem conter xilitol. Essa substância é utilizada como substituto do açúcar e basta uma pequena quantidade para causar debilidade, colapso, tremores e convulsões nos bichinhos.

Para evitar isso, é preciso revisar quais são os componentes que os doces que estão pela casa têm, e mantê-los fora do alcance dos nossos pequenos amigos.

4. Inaladores

Os inaladores que as pessoas que sofrem de asma têm, contêm altos níveis de albuterol e fluticasona. Se um cão furar ou morder um inalador, ele pode ficar exposto a doses maciças de medicamentos poderosos que podem causar vômitos, agitação, arritmia cardíaca, colapso e, em última instância, a morte.

É importante lembrar que se um animal ingerir qualquer produto desses ou algum outro potencialmente tóxico, não se deve esperar que ele apresente sinais de intoxicação ou que ele se encontre muito mal, o que deve ser feito é leva-lo imediatamente ao veterinário, já que isso, muitas vezes, é a única coisa que pode salvar a vida do nosso animal.