Guia da velhice para cães

A maioria das raças de cães são consideradas adultas quando chegam aos 6 ou 7 anos de vida. A partir dessa idade, os animais devem realizar regularmente exames de saúde, receber cuidados com a alimentação e modificar certos hábitos e comportamentos.

É uma realidade que, a medida em que envelhece, seu amigo peludo costuma ir diminuindo certas habilidades. Com o passar do tempo, irá perdendo a memória, a capacidade de aprender e as percepções visual e auditiva.

Para que você saiba como cuidar do seu amiguinho, a seguir, compartilhamos um guia da velhice para cães com alguns conselhos que serão de grande utilidade.

Dados importantes sobre os cães

A velhice dos cães

A velhice nos cães, habitualmente, ocasiona certa diminuição nos sentidos do animal. Essa deterioração pode causar perturbações nos ciclos de sono e diminuir o nível de atividade.

É muito comum que os animais adultos vaguem sem rumo, perdam-se e esqueçam os hábitos e sinais de comportamento aprendidos.

Também é muito habitual que aumente a ansiedade e relacionem-se de forma agressiva. Talvez já não sejam tão amigáveis e prefiram estar só ou com pouca companhia.

Mas tudo dependerá do grau de socialização do seu animal, visto que muitos podem apresentar um comportamento contrário, ou seja podem se tornar dependentes e companheiros.

Compreender as mudanças que seu cão vai atravessando, pode te ajudar a enfrentar com eficácia os problemas de comportamento que possam surgir  no seu animal ao longo dos anos.

Nesse esse sentido, é muito importante que consulte um veterinário quando começar a ver as mudanças do seu animal de estimação. Não assuma que ele esta “ficando velho” e que você não pode fazer nada para ajudá-lo.

Muitas mudanças no comportamento podem ser sinais de distúrbios médicos tratáveis e existe uma grande variedade de terapias que podem aliviar os sintomas, incluindo certas dores que talvez o animal esteja experimentando.

É provável que seu animal de estimação tenha que adaptar as brincadeiras e exercícios conforme a idade. Com os anos, os animais vão perdendo energia. Portanto, seus movimentos, pouco a pouco, serão reduzidos.

Nesses casos, o melhor é falar com um treinador profissional para ensinar a seu pequeno amigo novos comportamentos e truques que se adaptem às necesidades dele.

Da mesma forma, um especialista pode ajudar seu cão com novas indicações, sobretudo se ele tiver perdido a visão e a audição. Lembre-se: existem muitas maneiras de manter a vida de seu cão de forma saudável, sem que isso requeira um esforço físico especial.

Fique atento aos sintomas da velhice dos cães

Como mencionamos, durante a velhice, é muito importante ter um acompanhamento das mudanças que ele está apresentando. Nesse sentido, temos que prestar atenção a certos sintomas que, se forem controlados com antecedência, podem ajudar a prevenir diversas doenças.

Um sintoma que deve ter atenção é a chamada cegueira repentina. A diminuição da visão pode ser ocasionada por catarata, uma doença muito comum durante a velhice.

Outro sinal que você deve prestar atenção é a inclinação frequente da cabeça. Talvez deva-se a um problema de audição. Também é muito importante recorrer a um profissional se você observar que seu cão tem convulsões.

A mudança no peso ou a perda de apetite são outros dos sintomas que não podem ser ignorados. Cuide da alimentação de seu cão e dê-lhe uma dieta balanceada que se ajuste à idade dele.

Se observar ofegação excessiva, queda do pelo, vômitos, diarreia, tosse ou mudanças em seus hábitos, recorra a um especialista. Ele poderá orientar sobre as causas desses sintomas.

Medidas que devem ser tomadas

Medidas a serem tomadas com cães idosos

 

Forneça água  e controle o consumo e os hábitos de micção do seu bichinho.

Planeje uma dieta regular e alimente a seu cão sobre uma superfície antiderrapante. Dessa maneira, evitará que suas patas deslizem perto da comida.

Forneça a ele uma cama confortável, limpa e seca na área mais quente do lar. Em épocas de baixas temperaturas, evite que seu cão durma no quintal. Pratique, junto a seu animal de estimação, uma rotina de exercícios de baixo impacto, para manter em condições saudáveis as articulações e músculos.

Se seu cão tem uma idade muito avançada, trate de não deixá-lo só por muito tempo e, quando você não puder ficar com ele, procure uma pessoa de sua confiança que possa cuidar do seu animal durante sua ausência.