O que é a hiperestesia felina ou síndrome do gato nervoso?

A hiperestesia felina

A hiperestesia felina ou síndrome do gato nervoso poderia ser classificada como uma doença rara que os gatos têm. Neste artigo, contaremos tudo que você precisa saber sobre isto, assim você poderá se preparar se um dia o seu animal de estimação vier a sofrer desta síndrome.

A hiperestesia felina

A hiperestesia felina é uma doença que caracteriza-se pelo animal sentir que alguém o está atacando, como se alguém estivesse arranhando seu lombo, e ele tenta, de todos os meios, lutar contra este ataque imaginário.

É uma síndrome que afeta o sistema neuromuscular de nosso bichano, fazendo com que ele tenha uma extraordinária sensibilidade em sua pele.

É verdade que o gato tem o hábito de dedicar muito tempo à sua própria higiene e se lambe insistentemente até que se sinta limpo. No entanto, se nós percebemos que este comportamento se torna compulsivo, devemos começar a nos preocupar.

Por trás deste comportamento pode estar a hiperestesia felina.

Sintomas da hiperestesia felina

Gato caçando borboleta

Além do que comentamos, a hiperestesia felina pode apresentar os seguintes sintomas:

  • Nervosismo e alterações de comportamento;
  • Movimentos inquietos da cauda enquanto o gato tenta lambê-la ou, até mesmo, mordê-la;
  • Persegue sua própria cauda e corre apavorado;
  • A pele de seu lombo se ondula. Também o incomoda se alguém tocar esta área de seu corpo, mostrando-se extremamente sensível;
  • Pode sofrer convulsões, espasmos e tiques. Além disso, durante os períodos em que a crise é mais forte, as pupilas se dilatam;
  • Perda de peso;
  • Podemos ter a sensação de que o animal está perseguindo algo que só ele vê;
  • Em casos mais extremos, o animal pode chegar a se mutilar.

Causas da hiperestesia felina

Há uma teoria de que esta doença afeta mais os gatos que são especialmente nervosos e aqueles que mostram uma certa hiperatividade. No entanto, a realidade é que cada caso é único e ainda se desconhece a causa com precisão.

A primeira coisa que o veterinário irá fazer quando dissermos a ele que o nosso animal de estimação apresenta este tipo de sintomas, será descartar que ele sofre de outros tipos de problemas como, por exemplo, a presença de pulgas; os gatos podem ter uma alergia muito forte a este tipo de parasita.

As pulgas podem, até mesmo, levar o nosso bichano a desenvolver uma doença mais grave, como uma dermatite alérgica à picada de pulgas (DAPP ou FAP, sigla em inglês), que pode fazer com que o nosso amigo se coce compulsivamente, principalmente a cauda.

Além disso, se ele tem a pele muito seca, isso poderá causar ou piorar a hiperestesia felina.

Também existe a hipótese de que esta síndrome é resultado da epilepsia, já que alguns especialistas consideram que a doença é causada por um problema da atividade elétrica de determinadas áreas do cérebro (em especial das áreas que controlam as emoções, o comportamento predador e o asseio).

Finalmente, existe ainda os que apontam para a possibilidade de que a hiperestesia felina é uma variante do transtorno obsessivo-compulsivo. Também apontam para a possibilidade de certas raças serem mais predispostas a sofrerem desta doença devido ao estresse.

Como diagnosticar a hiperestesia felina

A primeira coisa é descartar que o gato sofre de outros tipos de doenças, tais como as mencionadas anteriormente, mas também de deficiências nutricionais, hipertireoidismo, problemas nas costas, lesões, danos cerebrais, algum tipo de câncer ou mesmo envenenamento.

Então, o veterinário pedirá detalhes de cada um dos sintomas que o animal apresenta. Na verdade, seria conveniente que você até mesmo gravasse como ele se comporta.

Além disso, será feito uma análise de sangue, um exame completo e quaisquer exames complementares que possam ser necessários para descartar que ele sofre de outras doenças e para que seja possível fazer um diagnóstico preciso quanto for possível.

Tratamento da hiperestesia felina

Gato saltando

A primeira coisa que o veterinário irá prescrever para o seu gato será algum medicamento para acalmar a ansiedade. Ele também irá recomendar que evitemos situações que causam nervosismo ao animal.

É importante que o nosso animal de estimação se alimente corretamente, seguindo horários fixos.

Nós precisaremos fornecer a ele um ambiente no qual reine a tranquilidade. É essencial que seus pertences estejam limpos para que o gato não se sinta desconfortável. É importante que nós brinquemos com ele várias vezes ao dia, mas que também deixemos que descansse e relaxe.

Acima de tudo, siga todas e cada uma das recomendações de seu veterinário, que irá te ensinar como você deve lidar com a hiperestesia felina.