O hormônio do amor pode influenciar os animais?

Os cães às vezes agem com outros de sua espécie, ou inclusive com pessoas, como se estivessem apaixonados. Você vê, mas diz que é impossível, que os cães não podem se apaixonar ou sentir amor dessa maneira. Entretanto, o que os seus olhos veem é algo muito diferente. O hormônio do amor pode influenciar animais?

Há quem diga que sim. Mas como em todos os casos, há também céticos que dirão que os animais não têm sentimentos. Como você, que ama os seres vivos, em “Meus Animais” acreditamos que eles têm sentimentos. Além disso, está provado que o hormônio do amor pode influenciar os animais sim. 

O hormônio do amor pode influenciar animais, assim como as pessoas

melhores-caes-para-pessoas-ocupadas

O hormônio do amor, conhecido como oxitocina, é aquele que faz com que nos aproximemos de quem nos faz sentir bem. Transforma-nos em pessoas sociáveis e confiáveis. Alguma vez você já viu um cão agir assim? Claro que sim!

Na Universidade de Emory, em Atlanta, realizaram um estudo nesse aspecto. A ideia era determinar se o hormônio do amor pode influenciar animais da mesma forma que as pessoas. Chegaram à conclusão de que sim, e especialmente em uma espécie que amamos: os cães.

Para o estudo, foram utilizados 16 cães com mais de um ano de idade com seus donos, cada um com o seu. Para começar o experimento, borrifaram no focinho da metade dos cães oxitocina, e na outra metade um soro. Depois, os peludos foram levados para uma sala separada dos donos.

Foi recomendado aos donos que estes evitassem fazer carícias em seu cão. Isso era para não incentivar seus gestos de amor, pois a ideia era descobrir se os cães o faziam pelo simples impulso do hormônio em questão.

Quando os cães saíram, aqueles que tinham sido borrifados com oxitocina foram muito mais carinhosos. Lambiam seus donos, arranhavam-nos com a pata para que o notassem, ficavam de pé sobre eles, etc.

O resto dos cães, embora tenham reconhecido seus donos, moveram um pouco a cauda, sentaram-se ou começaram a investigar a sala, ou a brincar com outros cães.

Esse estudo provou um fato que, até então, estava mal compreendido. Muitos afirmavam que a oxitocina só funcionava nos mamíferos na hora de ter relações sexuais ou quando se apaixonavam. Mas esse hormônio do amor serve para muito mais.

Este hormônio é o que nos faz nos socializar, sermos amáveis com os outros e ficar com os que nos sentimos mais estreitamente familiarizados ou muito à vontade.

Os animais têm sentimentos sim

hormônio do amor pode influenciar animais

Nós não gostamos de ser dogmáticos, mas é que já existem muitos estudos que demonstram que isso é um fato inegável. Os animais sentem tanto o bom como o ruim. Suas atitudes nos demonstram isso diariamente. Seu cão não tem a mesma atitude quando você o acaricia e quando você o reprime.

Grita quando sente dor e salta quando está louco de felicidade. Ele fica triste quando você sai e eufórico quando você retorna. Por acaso, isso não é o que chamamos de ter sentimentos? Sim. Nem mais e nem menos.

Os cães, assim como outros mamíferos, podem sentir amor, tristeza, medo, humilhação e muitos outros sentimentos. Devemos cuidar bem deles. Embora seja verdade que, ainda que de forma diferente da dos seres humanos, os animais também podem ter danos emocionais.

Você se lembra daquelas histórias que contamos sobre animais que não superaram a morte do dono? Ou da história de algum de seus amigos com algum animal de estimação que morava com ele? É certo que sim, e se isso não é sentir, já não podemos ter muito clara a ideia do que abrange a palavra sentimentos.

Sempre haverá quem não acredite, mas os que amam os animais sempre acreditaram, sem a necessidade de estudos científicos.