Indigestão nos animais de estimação

Está claro que a comida é um dos maiores prazeres que o ser humano desfruta. Existe tal variedade de pratos e cozinhas diferentes que, com toda a segurança, podemos afirmar que poderíamos encontrar variadas receitas para todos os dias de nossas vidas.

Mas para que este prazer não se transforme em um pesadelo, temos que comer sempre de maneira moderada. Ao adquirir bons hábitos alimentares, contribuiremos, em grande parte, para evitar problemas. Isso ocorre não apenas com as pessoas, mas também com os animais.

Por isso, hoje contamos a você tudo o que você precisa saber sobre a indigestão nos animais de estimação.

A indigestão nos animais de estimação

Geralmente, um animal mostra-se indigesto quando come muito ou nas ocasiões quando a comida não foi digerida de maneira adequada, também é possível que um alimento especifico não lhe caia bem.

Não é um tema que careça de importância, já que uma alimentação errada pode provocar sérios problemas gástricos que levarão os animais a se sentirem mal, com incômodos e dores.

Os animais devem sempre comer na medida certa

gatos-comendo

Uma dieta pouco apropriada é a maior o inimiga do aparelho digestivo de nossos animais, por isso temos que tentar fazer com que o nosso animal coma da maneira mais adequada possível.

Não é apenas importante que os alimentos estejam aptos para sua ingestão, mas também é fundamental que as quantidades estejam corretas. Saiba que a maioria das consultas médicas que são realizadas com certos tipos de animais são, precisamente, por uma causa digestiva.

Sintomas principais de indigestão nos animais

O primeiro sintoma que notaremos em nosso animal é que o pouco que ele come, vomita, ou inclusive, ele vomita sem ter ingerido nenhum alimento. Vamos perceber também que o animal se encontra mais apático a nível geral e, também, notaremos que ele está abatido e sem forças.

Além disso, os problemas digestivos costumam vir acompanhados de dores ou incômodos estomacais, é bem possível que o nosso animal de estimação adote alguma posição que lhe alivie essa dor.

Como ajudar os nossos animas de estimação em tais casos

  • Uma vez que tenhamos percebido que o animal sofre de uma indigestão, é fundamental que ele permaneça em jejum durante 12 horas.
  • Quando os vômitos começarem, é possível que se repitam até que o animal consiga esvaziar o seu estômago. O momento para começar o jejum é quando cessarem estes vômitos.
  • Uma vez que tenha passado o tempo determinado para o jejum, podemos começar a lhe dar comida, mas em doses baixas. Depois, paulatinamente, iremos aumentando a quantidade, até que, passando alguns dias, retorne ao habitual.
  • Se o animal não recair, isso quer dizer que o problema foi superado.
  • Um aspecto fundamental é que o animal não se desidrate, algo que poderia ocorrer por causa dos vômitos e de uma possível diarreia que poderia vir a sofrer nestes casos. Não permita que ele ingira muito líquido de uma vez, já que é provável que, assim, volte a vomitar.
  • Ofereça-lhe pequenas doses, mas com frequência e assegure-se de que ele as tome.
  • Quando os sintomas não passarem em dois ou três dias, é fundamental que você o leve, sem mais demoras, ao veterinário. O problema poderia complicar e se derivar em uma pancreatite, uma torção gástrica ou, ainda, causar uma úlcera. Sendo assim, tome as medidas de socorro o quanto antes.
  • É claro, também, se em algum momento você ver sangue nas fezes ou no vômito, leve-o imediatamente ao veterinário.

Como prevenir estes problemas em nossos animais

Filhotes comendo

  1. Dieta equilibrada. Como dizíamos, o animal deve comer sempre a quantidade adequada, segundo sua idade e estado físico, nem mais e nem menos. Se tivermos dúvidas quanto a dieta de nossos animais, devemos consultar um veterinário.
  2. Não permitir que coma com rapidez. Um dos motivos das indigestões é o fato de que muitos animais comem com ansiedade. Tente evitar que isso ocorra.
  3. Nada de sobras. Na hora de darmos comida humana para um animal, temos que ter muito cuidado, já que nem tudo lhe cai bem e, além disso, é mais difícil de controlar. O melhor é que ele coma somente a sua própria comida.
  4. Nada de exercícios. Devemos evitar que nossos animais façam exercícios físicos após comerem. Se possível, eles devem repousar uns 30 minutos, tão logo terminem de comer.
  5. Alimentos especiais. Se notarmos que o nosso animal sofre, com frequência, de indigestões, apesar de colocarmos em prática estes conselhos, seria importante consultar um veterinário sobre a possibilidade de uma dieta especial, já que que algum alimento pode estar lhe fazendo mal.

Agora você já sabe não só como agir, mas também como prevenir as indigestões nos animais de estimação. Coloque em prática.