Instintos que seu cão deve satisfazer no lar

instintos

Faz muitos anos que os cães são adotados como animais de estimação. Mas, mesmo assim, eles têm instintos que, por natureza, devem ser satisfeitos. Por melhor que eles tenham se adaptado ao nosso lar, há coisas que eles sentem que não podem deixar de fazer. É a natureza canina deles que exige isso.

Há alguns de seus instintos que podem ocasionar problemas na convivência, como esconder coisas ou cavar a terra do jardim. Entretanto, estes não devem ser freados, pois fazem parte não só de seu instinto, mas também da personalidade de seu animal.

Instintos naturais que se satisfazem no lar

Relacionar-se com outros cães e pessoas

caes-parque

Os cães são animais de grupo, quer dizer, estão acostumados a estar com alguém e a se relacionar. Daí sua rapidez e eficácia para servir como animal de estimação. Um cão não pode viver em um quintal ou em um jardim sem entrar em casa e sem que ninguém saia para brincar e passar algum tempo com ele.

Você já deve ter ouvido histórias de cães que ficaram “loucos” precisamente por viverem nessas circunstâncias. Por isso, antes de adotar um cão, você terá que levar em conta que ele precisa se relacionar. Assim, se não estamos dispostos a deixá-lo conviver conosco na mesma casa, é melhor desistir da ideia de ter um animal de estimação.

Outra necessidade é a de se relacionar com outros cães. Entendemos seu medo quando você sai à rua e por acaso outros peludos se aproximam, o medo de quererem lhe fazer algum mal, mas seu animal de estimação necessita desse contato. Permita que ele cheire outros cães, que brinque com eles e até que se estranhem. Não acontecerá nada de ruim, mas justamente o contrário.

Comer, beber e dormir

Estes são instintos básicos que até os humanos têm. Antes de terem sido domesticados, os cães consumiam seu tempo e energia procurando alimentos. Portanto, um cão que tem satisfeita estas necessidades básicas, tem satisfeita grande parte de seus instintos.

Farejar

Farejar é uma parte muito importante da vida do cão. Ele usa seu olfato para sentir, transmitir e receber informações do mundo que o rodeia. Por isso seu nariz tem mais de 250 milhões de células sensoriais, diferente das pessoas, que apenas contam com dez milhões.

Portanto, quando vocês saírem para passear, não trate o seu cão como se ele fosse uma criança. Deixe que ele cheire o que desejar, pois é o seu modo de encontrar seu lugar no mundo. Se vocês estiverem em casa, um lugar onde ele já conhece tudo, você pode motivá-lo a usar esse instinto escondendo seus brinquedos e permitindo que ele os encontre.

Brincar

Manter-se ativo é vital para um cão, e fazê-lo através de brincadeiras é a maneira mais simples. É possível que, quando ele queira brincar, não seja o momento em que você esteja mais disponível, mas você deve colaborar para que ele brinque, pois isso ativa o cérebro dele. Lembre-se, mente sã, corpo são.

Roer ossos e brinquedos é uma maneira natural de se distrair. Não brigue com o seu cão se ele morder seus brinquedos, você não os comprou para isso mesmo?

Latidos

beagle-latindo

Os cães não têm a capacidade de se comunicar através da fala, eles necessitam de latidos para se comunicar. Por isso, ele late quando você chega em casa, quando ouve ruídos estranhos, como um bom guardião que é, ou quando há algo que ele quer e parece que você não o está entendendo. Não proíba o seu animal de latir. Permita que ele se comunique.

Nesse instinto da comunicação, também entra um pouco o instinto olfativo. Há algumas práticas dos cães que, sob o ponto de vista humano, podem parecer repugnantes, como cheirar o xixi de outros cães ou o bumbum de seu congêneres. Entretanto, isso é mais do que normal neles, pois assim eles se comunicam e se entendem. Quem somos nós para impedi-los?