A inteligência dos animais de fazenda

A inteligência dos animais

Se você for da cidade e não do campo, possivelmente não reparou na inteligência dos animais de fazenda, que não têm nada para invejar de um gato ou de um cão.

Dados sobre a inteligência dos animais de fazenda

Contaremos alguns detalhes sobre a assombrosa inteligência destes seres que, muitas vezes, sofrem maus-tratos e que vivem em superlotação nos criadouros e outros estabelecimentos de produção de alimentos. É que, em grande parte dos casos, eles são parte de nossa dieta cotidiana.

 

A inteligência dos animais de fazenda não tem nada para invejar de um gato ou de um cão

Porcos

Criança com porco

Os porcos parecem empatar a nível de inteligência com os elefantes e com os golfinhos. Estes animais aprendem de maneira mais rápida que os cães e que os macacos.

O professor Donald Broom – da Universidade de Cambridge – assegura que suas capacidades cognitivas são superiores às de uma criança de três anos.

Entre os dados que confirmam sua inteligência, podemos assinalar:

  • Possuem uma excelente memória a longo prazo;
  • Têm um vocabulário de mais de 20 sons diferentes;
  • Comunicam-se entre eles e nomeiam uns aos outros;
  • Na maioria dos casos, respondem quando um humano os chama por seu nome;
  • Podem abrir e fechar portas, tocar rebanhos e até aprender diversos jogos.

Vacas

Igual aos porcos, as vacas também se reconhecem entre si e, inclusive, desenvolvem profundos laços familiares e de amizade.

Assim como os inteligentes chimpanzés, elas têm relações colaborativas, como as “associações de limpeza”.

O professor Broom destacou que, quando resolvem os desafios intelectuais que lhes são apresentados, as ondas cerebrais refletem entusiasmo e seu ritmo cardíaco se eleva. Quando solucionam um problema, elas festejam movendo suas caudas e correndo alegremente.

A memória também parece ser o forte destes bovinos. Conforme explica o professor Joe Stookey, da Universidade do Saskatchewan, possuem boa memória espacial; em outras palavras, recordam onde estão as coisas.

Galinhas

A doutora Lesley Rogers, da Universidade New England, diz que finalmente foi comprovado que as capacidades cognitivas das aves são similares às dos mamíferos, incluídos os primatas.

As galinhas, por exemplo, assim como os humanos e os macacos, podem antecipar o futuro e demonstrar total domínio de si mesmos.

Estas aves se comunicam entre si com mais de 30 vozes distintas. Por exemplo, avisam ao resto do grupo sobre os lugares onde há alimento ou alertam sobre diferentes predadores. Esta comunicação começa antes de nascer, já que ainda dentro do ovo “falam” com sua mãe.

Além disso:

  • Encontram a saída se colocadas em um labirinto;
  • Vivem em comunidades organizadas;
  • Aprendem umas com as outras.

Ovelhas

As ovelhas têm a capacidade de experimentar emoções utilizando os mesmos mecanismos que os seres humanos. Comprovou-se que podem sentir:

  • Medo;
  • Ira;
  • Raiva;
  • Desespero;
  • Aborrecimento;
  • Asco;
  • Felicidade.

Outras pesquisas científicas têm demonstrando que os ovinos possuem mecanismos neuronais idênticos aos dos humanos para o reconhecimento visual. Isso lhes permite memorizar faces de até 50 pessoas e de 50 ovelhas durante mais de dois anos.

Além disso, estão em condições de aprender a resolver quebra-cabeças, recordar o que aprenderam e se adaptarem a circunstâncias novas de forma mais rápida que os macacos.

Também as cabras…

A professora Jenny Morton, da Universidade de Cambridge, assegura que tanto as cabras quanto as ovelhas:

  • Movem a cauda em sinal de amizade;
  • Reconhecem seus nomes;
  • Formam laços fortes com pessoas e congêneres.

Respeitemos os direitos dos animais!

Galinhas

Diariamente, nos surpreendemos com informações que vem confirmar ainda mais a inteligência e a sensibilidade dos animais.

Possivelmente, algum dia, o homem também comece a respeitar os direitos dos animais e evite os maus-tratos de todos os tipos, os quais estão acostumados a submeter os animais. Entre eles:

  • Exploração em criadouros;
  • Caça indiscriminada;
  • Abandono;
  • Destruição de habitats naturais;
  • Utilização em espetáculos legais e ilegais;
  • Tráfico de espécies exóticas;
  • Fechamentos em zoológicos.

Nossa suposta superioridade não deveria nublar o nosso coração. Respeite os animais, por favor!