Jaguatirica: um felino muito precioso

Jaguatirica

A Jaguatirica é um felino de tamanho médio, próprio do continente americano. Vive desde o sul dos Estados Unidos até o norte da Argentina, e em cada lugar recebe nomes diferentes. De grande elegância e beleza, atualmente é um animal protegido, já que esteve à beira da extinção.

Hoje em dia, continua sendo alvo de caçadores que querem sua pele, salpicada de lindas manchas e muito requisitada pela indústria de peles. Além disso, seu número tem diminuído também pela destruição constante de seu habitat natural pelas mãos do homem.

Um precioso gato selvagem

O Leopardus pardalis, mais conhecido como Jaguatirica, é um mamífero carnívoro noturno, solitário e territorial. De dia, costuma dormir nos ramos das árvores ou escondido entre a vegetação. É um animal que se adapta bem em diferentes habitats:

  • Selvas úmidas;
  • Zonas montanhosas;
  • Regiões semidesérticas;
  • Vegetações;
  • Pântanos.

Características físicas da Jaguatirica

Apresentaremos a você algumas características físicas deste magnífico felino:

Jaguatirica

Autor: Marco Parra

  • Altura:  Entre 40 e 50 centímetros;
  • Peso: Entre 8kg e 16kg;
  • Longitude: Entre 55 centímetros e 1 metro (cabeça e corpo);
  • Cauda: Anelada, com o topo de cor negra e de uma longitude dentre 30 e 45 centímetros;
  • Cabeça: Sólida;
  • Olhos: Grandes e expressivos. De cor café ou amarelo dourado e bem adaptados às mudanças de luminosidade;
  • Orelhas: Grandes;
  • Patas: Curtas e sólidas, providas de almofadinhas em suas plantas, o que lhe permite se deslocar de maneira silenciosa;
  • Unhas: Longas, afiadas e retráteis;
  • Pelagem: Curta e macia;
  • Cor: Uma combinação de listras e manchas escuras sobre um fundo amarelado. A cor costuma variar de amarelo alaranjado, nas Jaguatiricas que vivem em zonas arborizadas, a variações mais acinzentadas em lugares áridos.

Hábitos de caça

As Jaguatiricas caçam sós ou em grupos familiares, utilizando principalmente os sentidos da audição e da visão.

Em alguns casos espreitam a suas presas e, em outros, as esperam às escondidas para depois saltarem de surpresa em cima delas.

Como são grandes trepadores, também podem caçar nas árvores.

A dieta destes felinos compõe-se principalmente de mamíferos pequenos e médios e, também, de répteis. Por exemplo:

  • Gambás;
  • Macacos;
  • Coelhos;
  • Pequenos cervos;
  • Morcegos;
  • Jacarés jovens;
  • Lagartos;
  • Serpentes.

Também caçam aves e roedores, podem ser bons pescadores e comem também ovos de tartarugas.

Conheça outras particularidades destes lindos felinos selvagens

  • O termo Jaguatirica tem origem na língua tupi, através da junção dos termos îagûara (“onça”) e tyryka (“recuo, afastamento, fuga”).
  • As fêmeas de Jaguatirica parem a cada dois anos, entre um e quatro filhotes, depois de um período de gestacional que pode ser de até 85 dias.
  • São animais que conseguem se reproduzir em cativeiro.
  • Além de serem perseguidos por sua pele, também são capturados para ser vendidos como animais de estimação. Salvador Dalí não pôde resistir à tentação de possuir um exemplar destes formosos gatos selvagens. O animal chamava-se Babou.
  • Costumam se apoiar sobre suas patas traseiras para inspecionar o terreno.
  • Não existem duas Jaguatiricas iguais, já que o desenho de sua pelagem varia de animal para animal.
  • O sentido do olfato é muito desenvolvido nestes felinos. Utilizam-no para examinar a presa e para reconhecer o território marcado com urina por outros machos da espécie.
  • Têm uma expectativa de vida de até 20 anos em cativeiro. Em estado selvagem, estima-se que vivem menos tempo.

Subespécies e outras denominações

Jaguatirica

Autor: Justin Peebles

A Jaguatirica, também conhecida como jacatirica, bracaiá, maracajá, maracajá-açu e gato-do-mato, apresenta 10 subespécies distribuídas em diferentes regiões do território americano:

  • Leopardus pardalis pardalis (bosque tropical amazônico);
  • Leopardus pardalis aequatorialis (América central e norte andino);
  • Leopardus pardalis albescens  (México e sudoeste do Texas);
  • Leopardus pardalis melanurus  (Venezuela, Guiana, Trinidad, Barbados e Granada);
  • Leopardus pardalis mitis (Argentina e Paraguai);
  • Leopardus pardalis nelsoni (México);
  • Leopardus pardalis pseudopardalis (Colômbia);
  • Leopardus pardalis pusaeus (Equador);
  • Leopardus pardalis sonoriensis (México);
  • Leopardus pardalis steinbachi (Bolívia).

Um felino selvagem não é um animal de estimação

Como todos os felinos, as Jaguatiricas nos cativam com sua beleza e elegância. No entanto, nós humanos devemos entender que se trata de um animal selvagem e, portanto, devemos resistir à ideia de caçá-los para os criar como animais de estimação.

Para conseguir os filhotes destinados a este mercado, os caçadores costumam matar as mães dos filhotes, dizimando ainda mais a população destes preciosos gatos silvestres, já diminuída pela indústria de pele e pela contínua destruição de seu habitat natural.

 

Créditos das imagens: Ana_Cotta, Marco Parra e Justin Peebles.