K-9: O trabalho de um cão policial

Hoje, as forças policiais, na maioria das cidades do mundo, usam cães para rastrear criminosos, farejar materiais ilegais e fazerem outros trabalhos que os humanos não são capazes. A seguir, compartilharemos algumas informações sobre como um cão se torna um cão policial e qual é o seu trabalho.

Alguns dados…

Além da sensibilidade, o sentido do olfato é muito delicado. Um cão pode discernir um odor específico, mesmo quando existem dezenas de outros cheiros ao redor.

Traficantes de drogas tentaram enganar cães farejadores de drogas, envolvendo as drogas em toalhas embebidas com perfume, mas os cães puderam encontrá-las da mesma maneira.

O trabalho de um cão policial não tem a ver somente com o seu poderoso olfato. O rosnado intimidante de um cão Pastor Alemão bem treinado pode fazer com que muitos criminosos optem por se render ao invés de correrem ou lutarem.

Um pouco de história sobre os cães policiais…

Cães policiais

Os cães policiais já eram usados no século XVIII. No entanto, foi na Primeira Guerra Mundial que países como a Bélgica e a Alemanha formalizaram o processo de formação dos cães e começaram a usá-los para tarefas específicas, tais como a guarda.

A prática continuou durante a Segunda Guerra Mundial. Os soldados que regressavam do conflito costumavam contar histórias sobre os cães bem treinados que estavam sendo usados em ambos os lados. Logo, começou em Londres, e em outras cidades europeias, o programa K-9 (K-9 é um homófono Inglês de canino – canine).

O uso de cães policiais nos Estados Unidos começou com força na década de 70.

Como é o cão adequado para a função?

Os principais atributos de um cão bem sucedido são a inteligência, um bom nível de agressão, força e olfato.

A maioria dos cães policiais são do sexo masculino, então eles mantêm a sua agressividade natural. Esta agressão deve ser mantida sob controle com um minucioso e rigoroso treinamento.

Como se obtém um cão policial?

O departamentos de polícia obtém este tipo de cães, porque eles foram doados por seus donos, ou porque eles foram treinados para o trabalho policial. Os cães importados da Europa têm várias vantagens sobre os cães criados na América.

Na Europa, os padrões de criação são muito rigorosos. Os cães são medidos por seus atributos físicos e são criados somente se cumprirem esses critérios, visando uma boa qualidade genética. Além disso, os organismos europeus de cães policiais são internacionalmente reconhecidos.

Antes que um cão chegue aos Estados Unidos, terá que ter passado por um treinamento rigoroso e alcançado uma certificação internacional.

A desvantagem de usar cães europeus na América é o custo. Custa uma média de 8.500 dólares para se comprar um cão, mais o custo do envio da Europa para a América.

No entanto, em muitos casos, os cães policias pagam por si mesmos com o dinheiro apreendido com os traficantes de drogas.

Um cão policial e o seu treinador formam uma unidade K-9. Apenas os exemplares mais dedicados são considerados para as unidades K-9. Eles devem ter registros exemplares, uma personalidade extrovertida e enérgica e um forte condicionamento físico.

A carreira de um cão policial, geralmente, dura cerca de seis anos.

Como um cão se torna policial?

Cão policial

Todos os cães da polícia devem primeiro se tornar especialistas em treinamento de obediência básica. Eles devem obedecer as ordens de seu treinadores sem hesitação.

Isso é o que mantém a agressividade inerente do cão sob controle e permite que o agente treinador controle a quantidade de força que o animal está usando contra um suspeito.

Um cão policial situa-se em locais públicos e é usado para funções como a de identificação de drogas. As palavras de comando são utilizadas na língua nativa do treinador.

O cão policial deve ser capaz de saltar sobre as paredes e escadas e é aclimatado à vida da cidade.

Finalmente, cada cão recebe treinamento em sua especialidade. Muitos cães são treinados para encontrar drogas, outros bombas, armas ou pessoas.