Kinessa Johnson, a defensora dos animais

Kinessa Johnson é uma das mulheres mais conhecidas do planeta por ser uma reconhecida veterana do exército americano, uma profissão não muito comum entre as mulheres. Ela prestou serviço militar em lugares tão perigosos e extremos como o Afeganistão. Quem disse que amar os animais é um sinal de fraqueza?

Quando Kinessa Johnson terminou seu serviço militar, seu instinto de acabar com o mal continuou presente, por isso ela teve que pensar em uma forma de poder continuar fazendo isso.

Então, lhe ocorreu unir suas duas paixões: lutar contra o mal e seu amor pelos animais.

Se uniu ao VETPAW

Elefantes

VETPAW são as siglas em inglês que correspondem ao Veterans Empowered to Protect African Wildlife (Veteranos autorizados a proteger a vida selvagem africana, em tradução livre ao português). Esta organização sem fins lucrativos está localizada na África e se encarrega de treinar os guardas para que capturem caçadores ilegais da zona.

Infelizmente, na África, há muitos animais exóticos e cobiçados por sua pele, seu marfim ou outras características que muitas pessoas ambiciosas querem explorar. A VETPAW se encarrega de cessar as ações destes desumanos.

Kinessa Johnson já foi chamada de “caçadora de caçadores”.

Nossa intenção não é machucar ninguém, mas sim proteger os animais. Assim, embora os guardas estejam treinados para deter os caçadores ilegais, também estão autorizados a disparar contra todos aqueles que representem uma ameaça. Todos os que permanecem no parque com uma arma e apresentam resistência, são considerados uma ameaça”, diz Kinessa Johnson.

Também – continua – nosso trabalho é evitar que os guardas disparem sem nenhum motivo e sem terem tentado um diálogo antes. Por isso, nosso treinamento inclui movimentos estratégicos e métodos de prevenção”.

Kinessa Johnson se uniu a esta organização em novembro do ano passado, mas por que ela optou em se unir, precisamente, a esta organização?

Por que a VETPAW?

O domínio dos caçadores ilegais na África é realmente extenso. Segundo os dados disponíveis, o rinoceronte negro diminuiu desde 1960 em 97,6%. Os elefantes passaram de 1,2 milhões para 400.000 exemplares; restam apenas 2.000 zebras de Grévy; há menos de 900 gorilas das montanhas e não existem mais leões em, pelo menos, 7 países africanos. Estas são cifras assustadoras!

Sem dúvida, Kinessa Johnson examinou muito bem suas opções e optou por uma das organizações sem fins lucrativos que defende os direitos dos animais que mais precisam de proteção.

Criticada por todos

Leopardo

Porém, seu passado sangrento de guerra não passou em branco. Foram muitos os comentários negativos sobre suas intenções neste novo projeto.

Correram rumores de que Kinessa Johnson tem um temperamento muito agressivo, tanto que ameaçou estourar os miolos do dentista que matou o leão Cecil no Zimbábue. Embora ela tenha desmentido o rumor, a coisa se viralizou até o ponto de hackearem sua conta do Facebook e a diminuírem por ser uma mulher.

O diretor do “Survival” disse que há tribos na África que caçam por sobrevivência e que, sendo militares, eles não vão distinguir e que dispararão sem piedade, por isso se criaria um militarismo em zonas de conservação que colocaria em risco a vida de pessoas inocentes.

Kinessa Johnson não pôde ficar calada ante esse comentário, por isso rapidamente respondeu: “Se um animal é capaz de diferenciar um guarda e um caçador, imagine nós! Por favor, não subestimem o nosso trabalho e muito menos insultem a nossa inteligência”.

Sem importar o que digam sobre a Kinessa Johnson, ela está totalmente determinada a defender os animais e permitir que continuem existindo muitas das espécies que hoje estão em perigo de extinção.

Sem dúvida, conhecer pessoas como Kinessa Johnson nos faz pensar que ainda pode haver esperança para a raça humana, que nem tudo está perdido, que ainda há boas pessoas dispostas a cuidar de nossos companheiros de lar: os animais.

Créditos da imagem: Mickel.