Como manter um cão durante a crise econômica

manter um cão

Quando a situação econômica passa por momentos ruins, devemos levar em conta algumas alternativas para manter um cão em casa. Uma coisa importante a considerar é que as pessoas podem comer de tudo, mas os animais não.

Alguns conselhos interessantes para manter um cão

Podemos continuar dando carne ao nosso cão, mas escolher determinadas peças mais baratas. São o caso do frango, algumas partes do porco, etc., porém, sempre considerando que o animal deve estar em bom estado de saúde. Do contrário, você deverá continuar fazendo a dieta prescrita pelo veterinário.

comida-cao

Autor: Fernando Dall’Acqua

Também a opção de proteínas vegetais é interessante. Entretanto, há alimentos que causam alergias em alguns cães, e é necessário levar isso em consideração. Por exemplo, nunca devemos dar ao nosso amigo sal, alho, cebola e nem gorduras.

A modo de exemplo, em um prato de comida para o nosso animal de estimação, 50% tem que ser de proteínas, 40% de carboidratos e 10% de verduras e frutas. Quanto à quantidade, para saber quanta comida se deve dar ao cão, multiplique o seu peso corporal por 0,04.

O resultado desta multiplicação nos dará a quantidade em gramas que o nosso cão deve ingerir  diariamente. Poderemos dividir essa quantidade em duas porções, uma para o dia e a outra para a noite.

Alguns alimentos baratos

As verduras mais recomendadas para os nossos cães são a cenoura, o espinafre e a acelga. O arroz também é um bom ingrediente.

A comida caseira sempre é uma boa opção para o nosso cão. Isso não quer dizer que não continuaremos lhe dando ração seca, mas podemos revezar o tipo de alimentação.

A comida caseira tem um sabor que o nosso amigo saberá apreciar. Além disso, contribui com muitos nutrientes que beneficiam sua saúde, proteínas, vitaminas e todos os tipo de oligoelementos.

Há muitas opções de armazenamento, como porções individuais, separar porções para vários cães, guardar em papel filme transparente, ou em pequenos potes, etc.

Essas porções individuais, devidamente congeladas, são uma opção excelente para se ter sempre disponível uma dose de comida caseira para o nosso cão. Embora elas aguentem um bom tempo no congelador, não devemos nos esquecer de que essas porções estão lá, pois não poderemos mantê-las lá durante muito tempo.

O temido abandono

O abandono costuma ser outra consequência importante da crise. Nestes últimos anos foram milhares os casos de animais de estimação abandonados por famílias que não podem manter um cão, devido a sua frágil situação econômica.

Em alguns casos, porque perderam suas casas e têm que se mudar para a casa de algum familiar, onde não há espaço para os animais. E outras vezes porque não podem bancar os tratamentos veterinários.

Os peritos dizem que ter em casa um animal que esteja doente ou que tenha outros problemas implica em gastos que nem todas as pessoas podem assumir.

É um fato que as dificuldades econômicas influenciam na decisão de abandonar um animal de estimação.  Seja pela impossibilidade de se manter um cão ou também pela total falta de conscientização sobre o que significa conviver com um animal, assim como as obrigações que envolvem ter um animal em casa.

Com frequência, a pessoa que abandona é alguém que não calculou bem os efeitos de se ter um animal em casa.

Alternativas ao abandono

abrigos-para-ajudar-os-animais

Está claro que temos que analisar todas as possibilidades antes de nos separarmos de nosso cão. Se não for possível continuar com ele, o melhor é encontrar um novo lar para que cuidem bem dele. São muitos os benefícios que os cães nos oferecem e a separação não pode ser a primeira decisão a se tomar.

Se você não pode manter um cão em casa, há algumas alternativas interessantes:

·         Canis

Se não pudermos manter o nosso animal de estimação temporariamente, por situações pontuais, como mudanças, hospitalização ou viagens, a melhor opção são os canis.

Uma consequência do uso dos canis é o posterior abandono dos cães nessas instalações. Na atualidade, algumas medidas, como a obrigatoriedade de se colocar no animal um microchip e as sanções em caso de abandono, frearam essa prática.

·         Abrigos e associações protetoras de animais

Uma excelente opção, sobretudo em casos em que o dono, contra sua vontade, não pode continuar cuidando de seu cão. Com esta nova situação, o animal tem a oportunidade de ser adotado por outra família, que poderá lhe oferecer um novo lar.