Meu cachorro ficou louco?

De repente, o seu adorável animal de estimação – que você enche de mimos e cuida com esmero – devolve-lhe um grunhido ao invés de agradecer com alegria o carinho que você acabou de fazer. Ou, do nada, você percebe que ele tenta apanhar moscas imaginárias ou gira sobre si mesmo tentando morder a própria cauda. É então que você tem a certeza de que o seu cão ficou louco. Não se desespere, pois contaremos para você o que está acontecendo.

Por que meu cão ficou agressivo de repente?

Os problemas de comportamento dos cães podem ter diversas origens e, em geral, se tratados a tempo, desaparecem. Uma educação inadequada e a humanização do cachorro podem evoluir, por exemplo, para atitudes agressivas para com os donos.

Pode ser difícil para o raciocínio humano entender por que um animal para quem você deu tudo do bom e do melhor e que foi tratado como mais um membro da família, inclusive satisfazendo todos os seus “caprichos”, de repente passa a ter atitudes violentas.

Autor: Jon Hurd

Mas é na maneira como você criou o seu bicho de estimação que reside o problema. Ele é um animal, não um ser humano. E embora não haja nenhum problema em considerá-lo parte da família, você não deve esquecer que ele é um cão e a sua natureza deve ser respeitada.

Além disso, tanto pessoas como mascotes devem cumprir certas regras de convivência em uma casa. Portanto, eduque o seu cão com regras claras e sem contradições. Não hesite em pedir conselhos a um veterinário ou a algum especialista em comportamento animal.

“Se você pensa que o seu cão ficou louco, procure encontrar os motivos no comportamento dele. E não estranhe se você descobrir que, em alguns casos, tem muita responsabilidade nas atitudes do animal.”

Outras atitudes que podem fazer você pensar que o seu cão ficou louco

Existem outros comportamentos que podem fazer você pensar que o seu animal enlouqueceu. São os chamados comportamentos estereotipados ou estereotipia: ações repetidas que têm sempre a mesma sequência e que, aparentemente, não cumprem função alguma ou não têm objetivo.

O peludo pode, por exemplo, começar a:

  • Caçar insetos voadores que não existem.
  • Andar em círculos.
  • Lamber repetidamente alguma parte do corpo, ação que pode chegar a provocar feridas.
  • Perseguir o próprio rabo.
  • Grunhir para si mesmo.
  • Atacar o comedouro ou a vasilha de água.

Todos os cães podem desenvolver estereotipia?

As chamadas estereotipias afetam animais domésticos e aqueles que estão em contato com o homem em:

  • Granjas
  • Zoológicos
  • Criadouros
  • Canis e abrigos

Até hoje, nunca foi observado nenhum tipo de comportamento estereotipado em animais que vivem em estado selvagem. Tudo parece indicar que a domesticação e, principalmente, o confinamento, causam esses comportamentos anormais.

Portanto, devemos começar a tomar parte da culpa nesse tipo de situação antes de assumirmos que o cão enlouqueceu.

Causas do comportamento estereotipado em cães

É muito importante, portanto, que você comece a determinar em que circunstâncias o seu cão começou a manifestar essas atitudes estranhas, já que podem coincidir com situações que causam estresse e ansiedade, como:

  • Mudanças
  • Nascimentos ou mortes dentro da família
  • Um novo animal de estimação em casa
  • Brigas constantes entre os habitantes da casa
  • Maus-tratos, ainda que seja apenas verbalmente ou com uma linguagem corporal agressiva
  • Mantê-lo preso ou amarrado por longos períodos
  • Não permitir que o animal passeie ou se exercite adequadamente

Causas físicas de algumas estereotipias

Também existem causas orgânicas que levam o cão a desenvolver comportamentos compulsivos. Por exemplo:

cachorro agressivo

  • Algumas doenças intracranianas, como hidrocefalia, meningoencefalite ou presença de tumores.
  • Fraturas na cauda ou síndrome da cauda equina.
  • Problemas de pele, como dermatites, alergias alimentares ou causadas por picadas de insetos.
  • Doenças virais, como a cinomose.
  • Lesões das vias nervosas periféricas.
  • Problemas oculares.
  • Intoxicação por chumbo.
  • Encefalopatia hepática.

Em qualquer um desses casos, não deixe de consultar um veterinário.