Meu cão tem diarreia… o que posso fazer?

A diarreia é o aumento da frequência dos movimentos intestinais. Essa situação produz uma maior quantidade de matéria fecal. Esse mal-estar costuma ser muito recorrente nos animais e se não for tratado a tempo, pode desencadear um problema maior. A seguir compartilhamos alguns conselhos para evitar esse tipo de padecimento nos cães.

Quais são sintomas da diarreia?

Sintomas da diarreia

A diarreia pode ser ocasionada por vários motivos. Em muitos casos os animais costumam apresentar esse mal-estar porque comeram algum alimento que se encontra em mal estado ou que aumenta os seus movimentos intestinais.

Outras causas podem ser ambientais. Muitas vezes, a curiosidade dos cães pode causar muitos problemas.

Às vezes eles costumam cheirar ou lamber produtos que podem ser tóxicos. Por isso é muito importante estar atento aos movimentos do seu pequeno amigo.

Não dê a seu cão nenhum medicamento se ele não tiver sido indicado por seu veterinário. Para diagnosticar a diarreia, o especialista indicará uma série de exames de laboratório e outros exames que ajudem a determinar o mal-estar.

Os primeiros estudos que o veterinário vai fazer consistem em um exame físico completo, que inclui medir a temperatura do cão, verificar os batimentos do coração, olhar dentro de sua boca, apalpar o abdômen, comprovar se ele está desidratado e realizar um exame retal.

Em todos os casos de diarreia, o veterinário também recomendará exame fecal para comprovar se existem parasitas como lombrigas.

Se houver suspeita de uma infecção bacteriana, é realizado um cultivo fecal. Nos casos de certas doenças virais, como o parvovírus, outros testes de fezes podem ajudar no diagnóstico.

As radiografias são apropriadas se houver  suspeita de um tumor ou de um problema anatômico. Outros diagnósticos por imagens, como a ultrassonografia, também podem ser úteis. Para algumas doenças, a única maneira de fazer um diagnóstico preciso é realizando uma biópsia.

Como é tratada a diarreia?

Prevenir é a melhor forma de conservar a saúde do seu animal. Nesse sentido, é muito importante que você observe as fezes do seu pequeno amigo.

Se elas tiverem sangue ou estiverem com uma cor preta, preste muita atenção. Se você suspeita que ele pode ter comido alguma coisa tóxica ou venenosa ou se você notar  que ele está deprimido, é provável que o intestino dele não esteja funcionando corretamente.

Em muitos casos de diarreia, recomenda-se que os cães não ingiram alimentos durante, pelo menos, 24 horas. Também é aconselhado proporcionar pequenas quantidades de água com frequência.

O melhor é fazer uma dieta leve, como arroz cozido em pequenas quantidades. Se a diarreia não se repetir, o animal deverá retornar lentamente para a sua dieta normal.

Em alguns casos de diarreia possivelmente seja necessário modificar a dieta de forma permanente. É provável que devam ser evitados certos ingredientes, adicionar fibras no plano alimentício e diminuir a ingestão de gorduras para aumentar a digestão.

Se o animal tiver parasitas intestinais, o veterinário irá prescrever o medicamento apropriado. Também é importante tratar de eliminar os ovos do verme do meio ambiente. Para isso é importante que sejam limpos e desinfetados os espaços que você está acostumado a frequentar com seu animal.

Se o animal tiver uma infecção causada por bactérias, deverão ser administrados antibióticos. Este tratamento talvez chegue a durar duas semanas.

Como prevenir a diarreia nos cães?

prevenir a diarreia

Para prevenir a diarreia é importante que os cães tomem as vacinas necessárias. Você também deve se certificar que eles estejam  livres de parasitas.

Nesse sentido não deixe que o seu amigo tenha acesso ao lixo ou coma alimentos em mal estado.

Quando sair para passear com seu animal, observe o que ele come na rua, sobretudo se ingerir produtos vegetais ou beber água em poças ou fontes.

Não permita que ele cheire nem coma as fezes de outros animais e minimize o estresse em torno do seu cão.

Se decidir trocar a comida, o melhor é introduzi-la gradualmente. O mais efetivo é ir misturando com a comida atual para garantir uma transição mais fácil para o tubo digestivo do seu animal.

Mantenha seu cão com a higiene adequada e limpe os espaços onde ele dorme, come e brinca.

Desinfete as vasilhas de água e comida, sempre deixando água limpa e fresca à disposição dele.