Mímica e gestos nos gatos

A mímica e gestos nos gatos são algumas das formas que eles utilizam para se comunicarem com outros felinos e com o ser humano. Se você acabou de adotar um bichano, à medida em que você o for conhecendo, você começará a decodificar sua linguagem.

Hoje, daremos a você algumas dicas para que você possa começar a entender de maneira correta o que seu gato quer dizer.

O sistema de comunicação felino

olhos-de-gato

Após muita pesquisa, os estudiosos chegaram à mesma conclusão que as pessoas que amam aos gatos sempre souberam. Os gatos não são animais antissociais e solitários como muitos dizem.

É aí onde reside a explicação do porquê os bichanos possuem um amplo sistema de comunicação que engloba outras espécies, principalmente a humana, escolhida pelos gatos, há séculos, para conviver.

Além das diferentes “vozes” e marcas de cheiro, a mímica e gestos nos gatos constituem uma parte de sua extensa linguagem “não falada”, segundo a visão egocêntrica do ser humano, que costuma julgar de acordo com os próprios critérios.

Guia para interpretar a mímica e gestos nos gatos

Os gatos têm uma boa quantidade de músculos em sua cara. Isto lhes possibilita realizar gestos que combinam com movimentos de:

  • Orelhas
  • Bigodes
  • Pupilas
  • Pelos

Daremos a você alguns exemplos para que, combinando as diferentes variáveis, comece a interpretar a linguagem de seu gatinho.

Orelhas

  • Para frente: Interesse amistoso; diversos graus de interesse se interpretam de acordo com a direção destes músculos.
  • Levantadas e para trás: Ameaça de ataque.
  • Dobradas para trás e para os lados: Medo e disposição para defender-se ou fugir.

Bigodes

  • Para baixo e em movimento, ou em forma de leque: Medo intenso.
  • Para os lados e pouco estendidos: Tranquilidade, prazer, bom humor ou indiferença.
  • Para frente e vibrando: Tensão e reação iminente.
  • Dobrados para trás: Timidez e retraimento.

Pupilas

  • Estreitas: Tensão, grande interesse, ameaça agressiva.
  • Dilatadas: Medo, surpresa e defesa

Leve em conta que as pupilas dos felinos se modificam segundo a quantidade de luz do ambiente.

Pálpebras

  • Frente a estranhos: Muito abertas, em estado de vigilância
  • Em situações controladas ou relaxadas: Entreabertos

Também, se o olham fixamente, o gato costuma sentir-se ameaçado e opta por dar as costas.

Por outro lado, o piscar é sua forma de estabelecer contato. Equivale a um sorriso humano.

Cauda

De acordo com o que foi pesquisado pelos especialistas em comportamento animal, os bichanos podem transmitir 12 sinais com a cauda. Entre eles:

  • Reta: Amizade.
  • Arrepiada: Agressividade.
  • Arqueada: Na defensiva.
  • Levemente arqueada: Mostra interesse por seu dono, principalmente quando este está lhe preparando o alimento.
  • Se ele a agita fortemente: Muito nervosismo e até raiva.

Outros sinais

gatos

  • Quando um gato boceja significa que tudo está bem com ele e que se encontra tranquilo.
  • Um felino com a cabeça para o alto, indica que se sente superior. Caso contrário, ele a abaixará um pouco. Se ele a inclina, é sinal de que está disposto a se aproximar.
  • As patas de trás dobradas expressam insegurança ou medo. Se as dobra para frente é sinal que está preparando um ataque. As quatro patas dobradas são um sinal de insegurança e de disposição para se defender.
  • Um gato que arredonda o lombo, está pedindo caricias. Se o arqueia ao máximo, está irritado.
  • Se arrepia o pelo de todo seu corpo, tem medo e tenta parecer maior para enganar seu possível inimigo. Se só o arrepia na zona média do lombo e em sua cauda, o felino está disposto a atacar.

Que a carinha de nojo de seu gato não te engane

O reflexo de Flehmen (do alemão, erguer o lábio superior) é um uma expressão característica do rosto dos felinos que se produz por determinados estímulos olfatórios.

O animal eleva o nariz e o lábio superior e abre ligeiramente a boca. Tudo parece indicar que ele sente asco por algo, mas ocorre o contrário, se trata de uma expressão de prazer.

É um gesto relacionado com o órgão de Jacobson, situado entre o nariz e a boca, tido como um segundo órgão olfatório que permite ao gato algo como “saborear os cheiros”.

Conversando com seu gato

A sensibilidade de seu felino, unida à sua, certamente será a melhor ferramenta para que os dois aprendam a se comunicar e, assim, além de questões específicas, possam comunicar o quanto se amam.