Muki: o gato que usou suas 7 vidas

Conheça hoje a história de Muki, um gato que sobreviveu a situações muito complicadas, provocadas, em grande parte, por seus proprietários desastrados. Alguns poderiam dizer que o animal gastou boa parte das 7 vidas que os felinos supostamente têm. A verdade é que esse bichano seria poupado de muitos problemas se tivesse donos responsáveis.

Conheça a história de Muki, o sobrevivente

A história de Muki parece ter acontecido na Argentina, mas não conhecemos lugares precisos ou nomes de pessoas. Cremos que sabemos a razão.

O animalzinho foi o quarto filhote de uma ninhada que teve apenas dois sobreviventes. A gata Michu, um pouco mais velha, havia dado à luz três gatinhos com a ajuda de sua dona.

No dia seguinte, a mulher descobriu que dois dos filhotes haviam morrido, mas que um outro havia nascido durante a noite, menor que os irmãos, mas que logo se agarrou à vida e às mamas de sua mãe.

“Dizem que os gatos têm 7 vidas, mas alguns proprietários são tão irresponsáveis que parecem querer tirá-las de uma vez. Conheça a história de Muki.”

O gatinho foi abandonado quando tinha 5 meses

Os primeiros cinco meses da vida de Muki transcorreram em relativa normalidade, até que, por causa dos caprichos humanos, o animal foi abandonado em um terreno baldio junto de sua mãe e de seu irmãozinho. Tudo parece indicar que os filhos da mulher não queriam saber de gatos em casa.

A decisão de abandonar os felinos logo trouxe consequências trágicas aos animais. Michu e seu outro filhote foram atacados por cães vagabundos e morreram.

Muki sobreviveu e, algum tempo depois, foi resgatado por Inés, filha da proprietária de Micho, que foi buscá-lo, talvez consumida pelo arrependimento por causa das péssimas atitudes de sua família.

Ladrões roubaram o carro de sua proprietária com Muki dentro

Tudo parecia ter voltado à “normalidade” para o bichano, até que um dia, enquanto era transportado de carro pela sua dona, o veículo foi roubado com o gato dentro.

O veículo foi encontrado alguns dias depois e a poucos quilômetros de distância, mas sem sinais de Muki.

Quando todos já davam o gatinho como desaparecido, ele reapareceu em casa. Dois meses haviam se passado e o animal estava irreconhecível: magro, sujo e com sinais claros de ter participado de alguma briga de gatos.

O bichano foi levado a um abrigo por suspeita de toxoplasmose

Cerca de 5 meses depois do regresso de Muki, Inés engravidou e o seu marido decidiu se desfazer do gato por medo da toxoplasmose. Apesar das explicações e súplicas da mulher o machismo dessa história é assunto pra outra hora , Muki foi levado para um abrigo de animais.

Embora dessa vez o gato não tenha sido abandonado na rua, teve que enfrentar novamente o abandono e passar a conviver com outros 140 animais.

Um ano mais tarde, Miku foi adotado por uma mulher que o levou para casa, onde já vivia com outros 25 felinos.

Na época, os vizinhos dessa mulher, que apresentava alguns problemas psicológicos, apresentaram uma queixa por maus odores e maus-tratos aos animais. Foi assim que Muki passou por diversos lares provisórios até ser finalmente levado para outro abrigo.

Muki retorna, mais uma vez, ao seu lar

Enquanto isso, Inés, que já havia dado à luz, conseguiu convencer o esposo de que já não havia riscos e que o gato poderia voltar para casa.

Embora não tenha sido uma tarefa fácil descobrir em qual lugar Muki se encontrava, sua persistência foi recompensada. Depois de dois anos, conseguiu reencontrar seu animal de estimação.

Podemos dizer que, por enquanto, Muki está tranquilo e feliz em sua casa. Esperamos não ter que escrever outro artigo contando suas novas desventuras.

Fonte: www.lanacion.com.ar