Não ao maltrato! Os donos de cães acorrentados devem ser punidos por lei

Cães acorrentados

Quando me mudei para um país da América Central, me senti chocado ao ver que a cultura e o pensamento sobre como ter um animal de estimação era muito diferente da Espanha, meu país natal. Aqueles que têm um animal de estimação, entendem que eles chegam a se tornar parte da família, é um membro mais que pode andar pela casa, que toma banho, se alimenta e que necessita de cuidados, por isso me sinto mal quando vejo cães acorrentados.

Entretanto, onde vivo, os animais, neste caso os cães, são vistos como algo que se tem que ter em casa, como se fossem parte da decoração. Há pessoas que logo que obtém os meios para comprar alimentos para eles, têm vários cães em casa, mas há os que não os alimentam e que não deixam os cães entrar em casa, a maioria são os cães acorrentados que passam por isso.

Sempre me perguntava, isto não é punido por lei? Por acaso também não é um tipo de maltrato? Sem contar que ensinam as crianças a pegar um pau e fazer mil barbaridades com eles. Infelizmente, neste país parece não haver leis contra este tipo de maltrato, ou se há, não são aplicadas.

Mas este tipo de maltrato “camuflado” é punido por lei em centenas de países. Vejamos as penas que são aplicadas.

Punição para os donos de cães acorrentados

Cachorros no mato

Autor: Jon Hurd

Os donos que praticam esse tipo de maltrato camuflado não entendem que os cães acorrentados sofrem psíquica e emocionalmente, além de fisicamente.

Os cães acorrentados podem se machucar ao quererem ir a um lugar mais longe do que sua corrente o permite. Por outro lado, isto pode lhes causar marcas e, inclusive, fazer com que o pelo da área em que está colocada a coleira caia sem a possibilidade de nascer de novo.

Um cão acorrentado também poderá sofrer depressão, tornar-se agressivo ou ser imerso em um profundo estado de tristeza que lhe faça não querer comer e inclusive vir a morrer.

Cães acorrentados não serão cães sociáveis, pois lhes fará falta o calor humano e o de outros congêneres. É que os cães são muito dependentes e necessitam de amor, de carinho e de cuidados.

Sem dúvida este é um tipo de maltrato que não pode ficar impune e que deve ser denunciado. Agora, como fazer isso?

Cães acorrentados? Denuncie o maltrato

Na Espanha foi criada uma organização chamada “Sen Cadeas”, que traduzindo significa “Sem Correntes”. Esta organização se encarrega de recolher os casos deste tipo de maltrato, levá-los aos tribunais e tentar, por todos os meios possíveis, ganhar a causa. Conseguindo fazer com que o animal seja liberado e colocado em adoção para uma outra família e que o anterior dono pague pelo maltrato com prisão ou de outras formas.

As denúncias podem ser feitas através de Internet de forma muito simples. Apenas pedem o seu nome e sobrenome, localidade e um e-mail de contato. Seus dados serão confidenciais e em caso de julgamento não virão à tona se esta for a sua vontade.

Você também deverá relatar de maneira curta os fatos a denunciar fornecendo os dados oportunos para que eles possam agir. Há uma seção em que é possível anexar fotos, o que é excelente, já que estas são uma forte prova que ajudará à organização e posteriormente também aos juízes.

Cachorros correndo

Autor: Jan Truter

“Sen Cadeas” está aberta ao diálogo, por isso a primeira coisa que eles tentam fazer é enviar agentes da polícia ou outros peritos contra o maltrato animal para fazer com que a pessoa entenda que o animal sofre e, assim, que ela tome alguma atitude para liberar o animal da condição em que ele se encontra. Se não funcionar ou se a pessoa rebelar ante o apelo dos agentes, é feita então uma denúncia formal que chegará ao tribunal correspondente.

O objetivo é que as pessoas se conscientizem de que os animais são seres vivos com necessidades, e que não podem ser acorrentados, privados do suprimento de suas necessidades emocionais e, em diversas ocasiões, físicas.

Embora “Sen Cadeas” deva acompanhar as legislações contra o maltrato de cada comunidade autônoma, por sorte, na Espanha, na maioria dessas comunidades este tipo de maltrato camuflado é punido por lei. Esperamos e desejamos que naqueles lugares do mundo em que ainda não se aplicam estas leis ou onde elas não existam, que todos possam crer que podemos compartilhar o planeta com os nossos queridos amigos, os animais, mais do que crermos ser os donos de tudo.