Por que não devemos obrigar um cão a interagir com outros?

Não obrigue seu cão a interagir com os outros

Todos queremos que o nosso cão seja o mais simpático de todos e, por isso, não é estranho que já tenhamos nos pegado obrigando o nosso cão a interagir com outros cães no parque, talvez com crianças ou obrigando-o a cumprimentar quem chega em nossa casa.

Os cães são uma espécie social por natureza.

Mas lembre-se, o fato de eles terem uma capacidade, um dom, ou como queira chamar, não significa que eles tenham que usá-lo 24 horas por dia. E no seu caso, você o faz?

Todos temos dias bons, dias ruins, bom-humor e mau-humor e, por isso, nem sempre estamos inclinados a interagir com os outros. Com o seu cão acontece o mesmo.

Você se lembra de quando você era pequeno e sua mãe queria obrigar você a interagir com os outros? Pois é exatamente assim que o seu animal de estimação se sente.

Por isso, iremos lhe passar vários conselhos com várias razões sólidas do porquê você não deverá obrigar o seu cão a interagir com outros, sejam estes outros, cães ou pessoas.

Leia os sinais que ele lhe transmite

Cão deitado na porta

Os cães têm sua própria forma de expressar quando algo lhes agrada ou não. Por isso, não passe por cima de seus sinais corporais quando se sentir tentado a obrigar o seu cão a interagir com outro.

Desviar o olhar

Olhar para o outro lado sempre foi o gesto mais conhecido que o ser humano utiliza para demonstrar que algo não lhe interessa. Temos que explicar mais? Não confunda este gesto. O seu cão ouviu você, mas ele simplesmente não quis escutar.

Bocejar

É uma forma de evitar algo que acontece ao seu arredor e de mostrar o pouco interesse que tem em interagir com os outros.

Esconder-se atrás de você

Ele está procurando o seu apoio e ajuda, não que você se coloque do lado contrário. Não o decepcione.

Tentar fugir

É o que todos fazemos quando uma situação nos incomoda, ou as pessoas que estão ao redor não nos agradam. Com o seu cão não é diferente.

Rosnar

É um claro sinal de seu desagrado com a situação.

Se você notar um ou mais destes sinais, sejam eles óbvios ou não, pode ser que o seu cão materialize seu desagrado em ira e tente morder a pessoa ou o cão que você quer que ele interaja.

Tentar obrigar o seu animal a interagir com outros só trará a você os resultados contrários dos que você procura: em vez de um cão simpático, terá um cão agressivo.

Coloque-se no lugar dele

Cães correndo

Quando não nos agrada interagir com outros ou simplesmente as pessoas que nos rodeiam não nos agradam, tentamos criar um espaço seguro e nos manter à margem.

Seu cão age de maneira similar. Por que se empenhar em obrigá-lo a fazer algo que ele não deseja? A verdade é que, tentar obrigá-lo a interagir com outros, não resultará em algo bom, nem para o animal e nem para você.

Pergunte-se: Como eu me sentiria se me obrigassem a fazer algo que eu não me sinta confortável? Talvez eu não tenha a capacidade para escolher com quem eu quero ou não me relacionar?

Na hora de interagir com os outros, o seu cão saberá tomar as suas próprias decisões. Lembre-se sempre que ele depende de você, pois ele ofereceu sua fidelidade sem condições e só espera, em troca, poder confiar em você.

Ele precisa sentir que você o apoia, que o ama e que você é como um refúgio a recorrer quando ele não se sentir confortável com algo. Se você se empenhar em obrigá-lo a interagir com outros, esta confiança se romperá. Ninguém melhor do que você conhece o seu cão e pode saber como é a sua personalidade.

Há cães que são tímidos, outros nervosos, introvertidos, tranquilos… Leve em conta tudo isso quando você quiser ver o seu cão interagindo com os outros cães ou pessoas.

Como evitar ter que obrigar o seu cão a interagir com outros

Fique alerta aos seus sinais e respeite-os. Se você perceber que, na hora de interagir com outros cães, o seu cão transmite a você alguns dos sinais mencionados acima, o respeite e tire-o da “zona de desconforto”.

É importante que você lhe demonstre que ele tem o seu apoio e que ele pode confiar em você. É provável que, se você não o obrigar, ele mesmo tome a iniciativa de interagir com os outros, passados alguns minutos.