Não tenha medo, adote!

medo

Muitas pessoas querem adotar um animal de estimação, mas não sabem como ou têm medo. Entretanto, os passos são muito simples. Animais de estimação abandonados, feridos e maltratados estão à espera de um lar que lhes queira acolhê-los.

Para dar os primeiros passos em direção a adoção, você terá que ir aos abrigos ou associações. Entre os requisitos que se costuma exigir para iniciar os trâmites, estão:

  • Ser maior de idade. Apresentar identificação.
  • Comprovante de residência. Documento que demonstre que a pessoa é proprietária do imóvel onde viverá o animal de estimação ou, em caso de aluguel, que o dono do imóvel permite residir animais na casa.
  • Contrato de adoção. Devemos assinar um documento onde nos comprometemos a:
    – Cuidar do animal de estimação e mantê-lo em condições ótimas de espaço, tempo, alimentação, exercício…
    – Oferecer os cuidados veterinários que o animal necessite. O animal de estimação será entregue desparasitado e com as correspondentes vacinas já aplicadas. Os cães irão até de microchip para o novo lar.
    – Não destinar o animal a cria ou reprodução.
    – Notificar qualquer mudança à associação (perda, morte…).
    – Se não puder assumir as responsabilidades, não ceda diante do medo e se certifique de que nunca o abandonará, o devolverá à associação.

Custos

medo

Esses tipos de associações não recebem subsídio econômico, mas vivem de ajudas econômicas pessoais. Se trata, na maioria dos casos, de doações para cobrir gastos veterinários dos animais enquanto eles estão sob a tutela da associação.

Entre os parâmetros que fixam as associações, estão os seguintes:

  • A associação tem o direito de não entregar a você o animal se você não cumprir com os requisitos exigidos.
  • A associação pode solicitar que a apresentação ou adoção do animal se realize na casa onde viverá o animal de estimação para conhecer sua futura moradia.
  • Durante o período inicial de acolhimento se realizará um acompanhamento para ver se o animal se adapta à família e para verificar se os adotantes estão cumprindo com o compromisso adquirido.
  • Se for encontrado um animal abandonado existe um prazo de tempo que terá que ser cumprido antes que o animal possa ser adotado oficialmente, caso o dono que o perdeu venha a reclamar o animal.

Se não quer adotar, mas sim ajudar, também não tenha medo

Mas existem outras opções para ajudar, caso você não deseje adotar um animal de estimação. E são as seguintes:

  • Doar. As contribuições econômicas ou a doação de objetos e brinquedos para esses animais são outra forma de melhorar a vida nos de centros de acolhimento.
  • Apadrinhar. Podemos nos transformar na madrinha/padrinho de um animal de estimação e nos ocuparmos de sua manutenção até que um dono o adote.
  • Voluntariado. Outra opção é se tornar voluntário de uma associação protetora de animais e participar de seu projeto solidário: assistir diretamente os animais, divulgar informações sobre a realização de eventos em defesa dos animais, feira de adoções, evitar o medo de possíveis candidatos, etc.
  • Acolhimento em seu lar. Igualmente podemos acolher temporariamente um animal de estimação abandonado até que o adotem e ele encontre um novo lar.

Dados espanhóis

Na Espanha existem atualmente 300 abrigos e centros de animais abandonados. Entre as razões disso estão os casamentos, os divórcios, a aparição repentina de alergias, a chegada de uma criança, o novo piso da casa, uma mudança de trabalho, o aborrecimento com os latidos, o xixi fora do lugar, etc.

Coisas para considerar na adoção

Quando adotamos um animal de estimação, além de lhe oferecer uma segunda oportunidade, não fomentamos o comércio de animais. A maioria dos animais das lojas provêm de criadores com poucos escrúpulos e esses animais sofrem enfermidades hereditárias provocadas pela endogamia (cruzamentos com certo grau de parentesco) tão amplamente utilizada para conseguir o pedigree.

Por isso, devemos estar certos sobre a procedência do animal, e também sobre as nossas possibilidades de tê-lo em casa, dos gastos que vamos ter com comida, veterinários, acessórios, o tempo que teremos que dedicar para oferecer os cuidados necessários, os passeios, algumas travessuras em casa ou no jardim, o desconforto durante as férias, etc.

Antes da adoção, é muito útil fazer uma desparasitação, esterilização, implantação de um microchip, etc.

Vantagens

medo

Milhares de cães e gatos acabam em abrigos ou associações sem serem culpados de nada, e sem entender o que está acontecendo. São separados de seus seres mais queridos, embora esse carinho não tenha sido recíproco. Desta forma eles irão se encontrar cercados de outros indivíduos desconhecidos, enjaulados, confusos, assustados e deprimidos.

Por tudo isso, adotar um animal adulto tem a vantagem de que estamos oferecendo uma última oportunidade a um animal inocente que pode terminar seus dias preso em uma jaula.