O que nos dizem os bicos das aves?

As aves têm duas características principais que as diferenciam do resto dos animais: suas asas e seu bico. As asas, está claro que servem para que elas possam voar, ainda que nem todas as aves dominem esta técnica com perfeição.

O bico permite que elas se alimentem e realizem outras funções. Mas além disso, os bicos das aves nos dizem muito a respeito delas. Se você quiser saber, nós iremos lhe contar agora.

Os bicos das aves têm um desenho perfeito

Ave

Os bicos das aves parecem estar perfeitamente desenhados para que cada uma das diferentes espécies possa conseguir alimentos de maneira adequada. Também são adaptados para o habitat no qual vivem.

Vale destacar que o bico é uma das características mais particulares deste tipo de animais e nos permite poder identificar corretamente a espécie à qual pertencem.

Existem diferentes tipos de bicos, se considerarmos sua forma e seu tamanho: grossos, finos, planos, pequenos, curvos, longos…

Charles Darwin se baseou nos bicos das aves

Os bicos das aves, serviram, inclusive, de inspiração para que Charles Darwin pudesse desenvolver a sua Teoria da Evolução. Ele chegou a conclusão de que os bicos dos Tentilhões das Ilhas Galápagos eram diferentes em cada uma das ilhas.

Além disso, para o cientista, as aves tinham se adaptado ao que encontravam ao seu redor. Se em seu meio, o alimento eram sementes, os bicos eram grossos e fortes para poder parti-las, enquanto, se o que mais tinham eram os insetos, o bico era menor.

Os bicos das aves são característicos de sua classe

Todas as aves têm bico, mas cada espécie tem sua própria versão personalizada. Quanto a sua forma, depende da mandíbula que possuem e do recobrimento das lâminas córneas que a protegem.

Também, segundo a vida que levem, terão uma forma ou outra. Os bicos das aves servem para que elas se alimentem, façam seus ninhos, limpem sua plumagem e inclusive, na maioria dos casos, como mecanismo de defesa.

Na base do bico concentra-se a força necessária para que ele cumpra a sua função.

Os bicos das aves nos mostram como elas são

pássaro-comendo

  • Bicos muito longos. Costumam ser próprios das aves limícolas (que se alimentam perto de água), já que, para elas, se tornam imprescindíveis para que possam atingir a comida. Para as aquáticas, este tipo de bico simplifica o processo de pesca.

No caso das aves de rapina, utilizam-no para poder rasgar a sua vítima com rapidez. Quando está presente nas aves terrestres, elas costumam empregar o bico para escavar a terra a procura de alimento.

  • Bico de serra. É o que têm algumas aves aquáticas e vem acompanhado de uma espécie de dentes pequenos que lhe servem para que os peixes não escapem.
  • Bicos curtos e fortes. Têm como finalidade romper as sementes para extrair, de seu interior, o alimento.
  • Bico gancho. É muito habitual encontrar essa classe de bicos nas aves de rapina, ele ajuda a despedaçar a presa para que possam comê-la.
  • Bico de insetívoros. São aqueles que lhes servem para caçar insetos e costumam se caracterizar por terem um tamanho menor. Ainda que sejam menores, este tipo de bico ajuda a conseguir a precisão necessária para apanhar esta classe de alimentos.
  • Bicos filtradores. Existem certas aves aquáticas cuja comida principal são os pequenos invertebrados que habitam a região onde elas vivem. Por este motivo, elas precisam de um bico de dimensões maiores para poder filtrar a água extraída e conseguir, dessa maneira, o alimento.
  • Bicos aquáticos longos. Tal e como vimos no caso anterior, há aves que utilizam seus bicos para caçar invertebrados na água. Mas, neste caso, são longos e finos, o que lhes ajuda a pescar de uma maneira mais eficaz.

Os bicos aquáticos longos também são de grande ajuda para as aves que capturam peixes ou anfíbios, embora sejam longos, mas não tão finos. Isso dá a elas maior habilidade na hora de evitar certos perigos.

  • Bicos para furar a madeira. Servem para penetrar na madeira com a finalidade de caçar os insetos que estão em seu interior.

Inclusive, o bico das aves é o protagonista em alguns cortejos de acasalamento, já que certos machos costumam empregá-los para chamar a atenção das fêmeas. Não nos resta dúvidas de que esta parte da anatomia das aves nos diz muito sobre elas.

Créditos da imagem destacada: Lucas Zallio.