O cachorro e o seu rabo: significados

Curtos, longos, pequenos, enrolados… Assim são os rabos dos cães. Sua amplitude abarca uma infinidade de formas, longitudes, cores e expressões. Sim, porque, como você sabe, os cães costumam utilizar o rabo para manifestar seu estado de ânimo.

Por exemplo, quando eles o mantêm alto, significa que estão alertas ou que estão conscientes de alguma situação. Se eles o mantêm escondido embaixo de suas pernas, pode ser sinal de defesa.

Alguns pesquisadores afirmam que se um cão move a rabo da esquerda para a direita, seguramente se encontra cumprimentando um estranho.

Por outro lado, se eles o movem ao contrário, o gesto seguramente é para algum integrante de sua família.

A seguir, compartilharemos alguns dados sobre os diferentes significados que podem ter os rabos dos cães.

O formato dos rabos dos cães

O formato do rabo

O rabo, como extensão natural das costas do cão, é muito comum em certas raças, sobretudo naquelas raças que são bem mais aptas para a caça.

As raças de clima frio, como podem ser o Akita, o Husky Siberiano, o Malamute do Alasca, o Spitz, o Shiba Inu, o Keeshond ou o Chow-Chow, dentre outras, costumam ter o rabo em forma de foice para reter o calor quando dormem. Os chihuahuas também costumam ter este tipo de rabo.

Nos cães nadadores, por exemplo, os Labradores Retriever ou o Chesapeake Bay Retriever, os rabos são grossos, curtos em relação ao tamanho do corpo e são muito peludos. Sem dúvida, os rabos são perfeitos para que eles possam nadar sem inconvenientes.

A rabo com uma ligeira curva e com uma pequena mecha de pelos na ponta, geralmente de cor branca, associa-se com as raças como o Beagle, o Cavalier King Charles Spaniel, o Border Collie ou Fox terrier.

Certas raças de pastoreio, como os pastores alemães, Collies, Malinois belgas ou Tervurens belgas têm rabos evidentes em forma de J. São longos e mantém-se baixos.

Os Buldogues têm rabos em forma de saca-rolhas ou encaracolados.

O que dizem os rabos dos cães?

Os rabos dos cães

Crê-se comumente que os cães mexem seus rabos para comunicarem que estão felizes e amáveis, mas, dá para confiar nesta afirmação?

Segundo algumas investigações, poderia se afirmar que a posição do rabo de um cão revela seu estado emocional.

A verdade é que nossos queridos amigos peludos mexem seus rabos por inúmeras razões, dentre elas, quando se mostram agressivos ou quando estão de mau humor.

Não podemos nos esquecer que a capacidade de um cão de usar seu rabo como forma de expressão pode ser limitada pela forma que essa extremidade tem.

Algumas organizações protetoras de animais sustentam que quando os cães mantêm seu rabo em posição natural significa que estão relaxados e tranquilos. Mas esse estado difere entre as diferentes raças.

Os Pugs, por exemplo, têm rabos que se curvam para cima, já os Galgos têm rabos que descansam ligeiramente entre suas pernas.

Quando o cão está relaxado, manterá seu rabo em sua posição natural. Se se sentir feliz, poderá mexê-lo suavemente de um lado para o outro.

Se se sentir nervoso ou submisso, seguramente é porque tem medo ou sente desconfiança e, portanto, o rabo estará em posição baixa.

Quando o cão está alerta ou excitado por algum motivo ou situação, provavelmente, manterá seu rabo mais alto do que o normal, rígido, sem nenhum movimento.

Se estiver de pé ou ameaçando alguém, seja a uma pessoa ou um outro animal, talvez possa mover o rabo de trás para a frente.

Se um cão estiver nervoso ou submisso, seu rabo se esconderá entre suas patas. Caso esteja excitado, o esticará e, se ele o colocar na vertical, provavelmente, se encontra agressivo.

Se essa extremidade se localizar em linha reta com o seu lombo, significa que o animal sente curiosidade por algo.

Finalmente, alguns estudos afirmam que mover a rabo reflete o entusiasmo do cão e se ele o fizer de maneira vigorosa, significa maior excitação.

Algumas pesquisas revelam que quando o cão move a rabo para a direita, indica emoções positivas; já o contrário, se o faz para a esquerda, o significado é o oposto.

Este fenômeno explica-se, segundo os cientistas, com o fato de que o hemisfério esquerdo do cérebro controla o lado direito do corpo e vice-versa.