O estresse em animais: um mau comum

O estresse é considerado o mal do século e, infelizmente, isso não aflige somente os seres humanos. O estresse é uma resposta natural a diferentes estímulos ambientais e psicológicos, embora seja cada vez mais comum devido ao ritmo rápido e tenso que caracteriza o estilo de vida das pessoas nas cidades.

Infelizmente, este ritmo e as conseqüências que ele traz para as nossas vidas, também acaba afetando outras espécies, por isso, nós apresentamos abaixo algumas características do estresse no estresse animal, suas causas e como combatê-lo.

Causas de estresse em animais

O que deixa um animal estressado?

 

Quando falamos de estresse nos animais, temos a pensar nesses animais que compartilham conosco o espaço em nossas casas, como animais de estimação.

No entanto, este corresponde à visão egoísta que temos do mundo animal e a indolência frente a outras criaturas que fazem parte da nossa cadeia de consumo.

Por exemplo, os animais que sofrem mais estresse com o contato humano são os animais utilizados para testes de laboratório. Isso resulta dos vários processos aos quais eles são submetidos, de isolamento, de consumo de substâncias que produzem reações adversas e confinamento em que são submetidos. Isso, somado ao excesso de manipulação e falta de afeto.

Encontramos também nesta mesma linha os animais que fazem parte da nossa cadeia alimentícia e pertencem a grandes ciclos de produção.

Isto é, muitos desses animais são armazenados em pequenos espaços, transportados a partir de um lugar para outro, isolados, etc, e a situação só piora quando se trata de transportar para matadouros ou instalações de produção.

No entanto, isso acabou sendo contraproducente para o negócio. Por exemplo, nas instalações de transformação de carne ou leite, é possível notar uma redução na qualidade do produto, se o animal estiver passando por períodos de estresse.

Portanto, algumas fábricas adotaram medidas para melhorar a qualidade de vida desses animais, garantindo, assim, um produto melhor.

Animais submetidos a longas horas de trabalho também estão sujeitos a sofrer de estresse, especialmente quando o trabalho é pesado, por exemplo, veículos de arrasto, como no caso da pecuária, o trabalho em circos e outros shows, entre outros.

Dentro deste grupo também estão os touros usados em touradas e outros animais usados ​​em festivais.

Animais de estimação também ficam estressados

O estresse em animais de estimação

 

No entanto, nossos animais de estimação não estão isentos de sofrer estresse, pelo contrário, por compartilharem muito do nosso estilo de vida, muitas das situações, mudanças e hábitos acabam por gerar neles altos níveis de estresse. Tornando-se problemas de comportamento.

Por exemplo, em animais de estimação, como cães e gatos, é comum capturar o estado de espírito dos donos, eles criam fortes laços o que, indiretamente, acaba gerando estresse.

O mesmo acontece quando os animais têm processos de aprendizagem inadequados, por exemplo, quando geralmente um cachorro está acostumado a ficar sozinho, é comum desenvolver ansiedade por separação.

Outra situação que facilmente gera estresse em seu animal de estimação são longas viagens de carro, estar em locais muito lotados, barulhentos, quentes ou mudanças frequentes de residência. A falta de afeto de seu dono é uma das principais causas de estresse.

Para os animais menores, ter um ambiente é vital em casos como tartarugas e peixes, o melhor nestes casos é dar-lhes um aquário de acordo com o tamanho do animal, limpo e onde seja possível receber luz solar.

Se você tiver outro tipo de animal de estimação, você deve realizar uma pesquisa sobre como mantê-los em cativeiro.

Um caso muito triste é dos pássaros, muitos acabam sofrendo problemas graves de saúde e prejuízos mentais, por conta do tédio, da solidão, do confinamento e por serem obrigados a viver em um pequeno espaço. Um exemplo claro é quando as aves arrancam as penas.

Portanto, a melhor coisa que você pode fazer para combater o estresse é estar ciente do temperamento do seu animal, mudanças bruscas de atitude indicam que algo está ocorrendo.

É possível que o animal desenvolva personalidades destrutivas, vômitos ou demência. O melhor é consultar com seu veterinário para reduzir os níveis de estresse em seu animal de estimação.