O hipotireoidismo em cães

O hipotireodismo em cães

Uma enfermidade que pode chegar a gerar diferentes classes de problemas relacionados com a saúde de seu pet é o hipotireoidismo. Contaremos do que se trata e como você poderá tratá-la em seu cão.

Se quisermos proteger a saúde de nossos animais de estimação, devemos entender quais são as possíveis enfermidades a que eles estão mais suscetíveis. O hipotireoidismo é uma condição a qual se deve prestar atenção para evitar complicações na saúde de seu cão.

No que consiste o hipotireoidismo?

A glândula tireoide está localizada no pescoço e se encarrega de produzir um hormônio chamado tiroxina, que controla o metabolismo (o processo de transformar os alimentos em combustível). Um cão sofre de hipotireoidismo quando a glândula tireoide não produz suficientemente esse hormônio. Frequentemente, esta condição também se denomina tireoide hipoativa.

Esta é uma enfermidade comum nos cães, embora também afete a outras espécies, incluindo os humanos, sendo mais frequente em mulheres e em pessoas em idade acima de cinquenta anos.

O hipotireoidismo afeta a todas as raças, mas há algumas que são mais suscetíveis a desenvolvê-la, por exemplo:

Dobermann no lago

Em geral, ocorre em cães de meia idade (idade entre 4 e 10 anos de acordo com a raça e o tamanho do cão), e é mais frequente em raças de porte médio e grande.

Os machos castrados e as fêmeas esterilizadas têm um risco mais alto de desenvolver hipotireoidismo, assim como outros problemas da glândula tireoide, mas os veterinários ainda não estão certos do porquê.

Na maioria dos casos de hipotireoidismo, o sistema imunológico de seu cão ataca sua glândula tireoide. Outra causa, embora estranha, é devido à presença de um tumor.

Sem importar as causas, os sintomas e o tratamentos são os mesmos.

Os sintomas

O primeiro sinal é a perda de pelo, em geral do tronco de seu cão, da parte posterior das patas traseiras e da cauda.

Entretanto, a perda do pelo pode ser causada por muitas outras enfermidades e, embora seja um sintoma de alerta, normalmente se encontram enfermidades na pele, por isso pode atrasar um pouco o diagnóstico se este for o único sintoma que se apresenta.

Seu manto de pelos também ficará quebradiço e fino, a pele ficará escamosa, mas sem sinal de coceira ou de irritação (que em geral está ligado a uma reação alérgica, por exemplo, como no caso das picadas de pulgas e de carrapatos).

Também podem aparecer manchas pretas na pele. Isto seguido por um aumento excessivo de peso (obesidade), perda de massa muscular, lentidão, um enfraquecimento da frequência cardíaca, infecções das unhas dos pés e do ouvido, e intolerância ao frio.

Cão obeso

Não é generalizado, mas o hipotireoidismo também está relacionado com convulsões, doenças do coração e dos vasos sanguíneos, ou problemas de infertilidade, entre muitos outros.

Leve em conta que esta enfermidade requer tratamento, portanto, para ter um diagnóstico que permita tratar adequadamente a enfermidade de seu cão, seu veterinário fará uma série de exames de sangue.

Tratamento

A boa notícia é que esta enfermidade não é mortal e com o tratamento apropriado o seu cão poderá levar uma vida saudável e feliz.

Além disso, este é um tratamento bastante fácil e de baixo custo. Porém, o tratamento implica que seu cão tome medicamentos orais diariamente durante o resto de sua vida. O medicamento é um hormônio artificial chamado levotiroxina ou L-tiroxina. As doses são específicas para cada cão e determinadas pelo veterinário.

Se não tratar, a enfermidade afetará à qualidade de vida do cão e se derivará em outras enfermidades que poderão causar a morte de seu cão em uma idade precoce.