O que é a fisioterapia animal?

Fisioterapia animal

A fisioterapia é o veículo que permite melhorar o processo de reabilitação quando um cão sofre lesões nos tecidos, alguma fratura ou algum tipo de trauma. Disponível para cães e gatos, atualmente a fisioterapia animal é reconhecida internacionalmente como uma forma de prevenção, cura e reabilitação de muitas condições que os nossos animais podem vir a sofrer.

A fisioterapia animal é utilizada para ajudar a reduzir a dor, o inchaço e a inflamação, e proporciona melhores condições para restaurar o movimento, a função normal e construir força e massa muscular.

O objetivo da fisioterapeuta animal é otimizar essas condições, de forma que o corpo possa ser curado da lesão em um período de tempo determinado.

Em que tratamentos utiliza-se a fisioterapia animal?

Cães brincando

A fisioterapia animal é uma terapia complementar de supervisão veterinária. As áreas mais comuns nas quais se aplica este tipo tratamento são:

  • Para melhorar o rendimento e o tratamento de lesões musculoesqueléticas que os cães de competição podem apresentar.
  • Para reabilitação em animais que têm algum tipo de problema ortopédico ou neurológico.
  • Para melhorar a qualidade de vida em pacientes com doenças degenerativas, como a artrite, e reduzir a degeneração e tratar os espasmos musculares.

A fisioterapia também é muito efetiva nos seguintes casos:

  • Combater a dor em músculos ou dores decorrentes de contusões;
  • Espasmos musculares;
  • Distensão muscular;
  • Tensão muscular;
  • Atrofia muscular;
  • Tendões e ligamentos das patas e articulações rompidas;
  • Lesão sacrilíaca;
  • Rompimento do ligamento cruzado;
  • Otimizar a recuperação após a operação;
  • Ortopedia;
  • Otimizar a recuperação de fraturas normais e não consolidadas (quando o osso não se recupera);
  • Ajudar a aliviar a dor nas articulações artríticas e doentes e atrasar a degeneração;
  • Melhorar e manter a faixa de movimento e o tônus muscular;
  • Talas;
  • Ajudar no reparo de feridas para minimizar as cicatrizes;
  • Gengivite;
  • Espondilose ou artrite da coluna vertebral;
  • Embolismo fibrocartilaginoso;
  • Síndrome de Wobbler;
  • Mielopatía degenerativa;
  • Choque da medula espinhal ou trauma;
  • Lesões nervosas;
  • Dores nas costas.

Quem se encarrega deste tipo de terapias?

Existem veterinários especializados em terapia animal. Os profissionais empregam técnicas manuais e equipamentos fisioterapêuticos para pôr em prática diferentes formas de reabilitação.

Os veterinários fisioterapeutas são experientes na mobilização das articulações. Dessa forma obtém-se alívio da dor e a restauração normal dos padrões de movimento.

Por outro lado, muitos animais requerem exercícios específicos para completar sua reabilitação, principalmente após uma cirurgia ou problemas musculoesqueléticos crônicos.

Um fisioterapeuta veterinário é capaz de planejar programas de exercícios individuais para ajudar cada animal a atingir seu pleno potencial.

Os fisioterapeutas veterinários também dão conselhos sobre a adaptação ao meio que ajudará ao animal a realizar tarefas com maior facilidade. Isto pode ser especialmente útil para os animais de mais idade ou para aqueles que passaram recentemente por algum tipo de cirurgia.

As técnicas de tratamento incluem:

  • Compressas frias e quentes;
  • Massagens;
  • Mobilizações conjuntas;
  • Estiramento;
  • TENS (estimulação nervosa elétrica transcutânea);
  • TSE (eletroanalgesia transcutânea espinhal);
  • Ultrassom;
  • Faixa passiva e ativa dos exercícios de movimento;
  • Fortalecimento;
  • Movimento de reeducação;
  • Equilíbrio, coordenação e reabilitação.

Quando o tratamento deve começar?

Cão nadando

A fisioterapia deve começar após a lesão ou cirurgia. Não há necessidade de esperar até após a eliminação das suturas.

Pode ser iniciada pouco depois do seu animal de estimação retornar para a casa ou, em alguns casos, pode ser proporcionada enquanto o animal ainda está no hospital veterinário.

Cabe destacar que a fisioterapia também ajudará a reduzir o inchaço e a rigidez, reduzir a atrofia muscular e diminuir a degeneração de outros tecidos como a cartilagem, o osso e o ligamento.

Complicações em decorrência da imobilização ou do confinamento em uma jaula, e sem nenhum exercício nas primeiras semanas, podem ser prevenidas com fisioterapia animal precoce.

Todos os pacientes requerem encaminhamento veterinário antes de sua primeira sessão de fisioterapia. Dessa maneira, assegura-se que o animal tem um diagnóstico correto, que foram realizados todos os exames e investigações relevantes e que, então, será administrado o tratamento médico ou cirúrgico que se requer em determinada situação.

A primeira visita incluirá a avaliação da condição de seu pet e o desenvolvimento de um plano de reabilitação específica de acordo com as necessidades dele. Finalmente, o número de sessões será determinado pela condição.