Os 8 animais mais longevos do mundo

Como humanos modernos, podemos transformar o ambiente a nosso favor. O desenvolvimento tecnológico e o progresso da medicina nos permitiram lutar contra inúmeras doenças (e até mesmo erradicá-las), se elas forem produto de bactérias, vírus ou problemas congênitos. 

Atualmente, temos uma expectativa de vida de cerca de 85 anos. Os insetos, como os mosquitos e as borboletas, vivem apenas alguns dias e, para eles, isso pode ser uma eternidade.

No entanto, para alguns animais tudo isto seria apenas uma cintilação. A seguir, nós lhe passaremos a lista dos 8 animais mais longevos do mundo:

O crocodilo

Os jacarés são répteis semiaquáticos que são divididos em 14 espécies, eles apareceram há aproximadamente 55 milhões de anos, são dinossauros vivos de verdade.

O tamanho deles varia muito, dependendo da espécie e da idade de cada um. Os crocodilos de água salgada podem ser maiores, chegando a até 8 metros de comprimento. Sua expectativa de vida é semelhante a nossa, pairando em torno dos 80 anos.

O elefante

Os elefantes são animais enormes e também longevos, o elefante africano é o maior mamífero de terra do planeta.

Também é atribuída uma grande inteligência a eles, o cérebro do elefante tem um peso aproximado de 5kg. Eles são seres sociais que vivem em grupos familiares.

A vida do elefante, como a do crocodilo, ronda os 80 anos, em média, embora estima-se que em condições excepcionais eles possam atingir 90 anos de idade.

O Papagaio Cinza Africano

O Papagaio Cinza Africano

Como o próprio nome já diz, é uma espécie de papagaios da África. Tornou-se muito popular nas últimas décadas, especialmente por sua inteligência, memória e capacidade de repetir palavras.

Eles são caracterizados por seus bicos pretos, plumagem cinzenta e cauda vermelha. Normalmente, estes papagaios vivem entre 70 e 90 anos, embora tenha havido relatos de espécimes que chegaram aos 100 anos.

A tartaruga de Galápagos

Este é um tipo de tartarugas gigantes. Além de serem a maior da espécie de tartarugas do planeta, atingindo um metro e meio de comprimento, são os animais vertebrados terrestres mais longevos também, superando os 100 anos de idade.

A tartaruga gigante que mais anos viveu, pelo menos foi a que se tem dados, chegou aos 152 anos.

O ouriço vermelho do mar

O ouriço vermelho do mar é uma espécie de ouriço que vive nas águas do Oceano Pacífico. Seu nome deve-se à sua coloração marcante, ele pode ser encontrado em águas rasas, geralmente há 90 metros da superfície.

Geralmente não excedem os 30 anos de vida, principalmente devido à predação ou à mudanças em seu ambiente. No entanto, já foram encontrados espécimes de até 200 anos de idade.

A baleia da Groenlândia

A baleia da Groenlândia

Esta espécie dos cetáceos é a que mais vive entre as baleias. Ela pode chegar a 18 metros de comprimento e pesar até 100 toneladas.

Sua expectativa de vida era de 60 anos, anteriormente, porém na década de 1990 foram encontrados espécimes vivos desta baleia com restos de arpões feitos de marfim incorporado em seus corpos, o que resultou em um novo estudo para determinar a expectativa de vida destas baleias.

Através do estudo das estruturas oculares de várias baleias da Groenlândia, concluiu-se que algumas viveram entre 150 e 200 anos.

Esponjas de vidro

Conhecidas como hexactinellida, são esponjas que vivem em águas profundas, entre 200 e 2.000 metros de profundidade.

Aqueles que vivem nas águas geladas, especialmente na Antártida, têm um processo de crescimento excepcionalmente lento devido às baixas temperaturas, o que também as torna muito longevas.

Já foi encontrado um exemplar desta espécie com pelo menos 6.000 anos, sendo este o animal mais longevo da Terra já descoberto.

Turritopsis nutricula

São uma espécie de medusas pequenas, originárias do Caribe, embora elas tenham se espalhado por todo o mundo.

A principal característica desta água-viva é que elas desenvolveram um sistema de reprodução exclusivo, em que podem passar de uma fase de maturidade sexual, para uma de imaturidade, evitando o desgaste dos seus sistemas, o que as torna biologicamente imortais.

Este processo foi amplamente observado e estudado em laboratórios, embora estes tipos de animais, muitas vezes, morrem vítimas de predadores ou doenças. No entanto, em um ambiente livre dessas ameaças, diz-se que eles poderiam viver para sempre.