Os artistas que transformam obras de arte em obras gatunas

O museu Hermitage de São Petersburgo, na Rússia, abriga há vários anos 70 gatos que cuidam das obras de arte. Por sua vez, três pessoas estão dedicadas de corpo e alma a cuidar deles. Mas, recentemente, esses gatos se transforaram em algo mais do que simples guardiões.

Eldar Zakirov, um artista russo, tem o desejo de plasmar o rosto de gatos em famosas obras de arte, criando trabalhos inovadores e pioneiros. Quer conhecer essa história?

O artista que transforma obras de arte em obras gatunas

Os desenhos desses gatos são uma representação do trabalho de pintores russos dos séculos passados.

O artista desenha os gatinhos em trajes de época. Ele estudou as vestimentas tradicionais em profundidade para que até o menor dos detalhes esteja em harmonia com a época à qual o quadro pertence. Entre eles, estão alguns dos czares mais famosos da história.

Zakirov tem muito respeito pelo rosto e pelas feições do gato. Dessa forma, permite que todos eles sejam retratados com fidelidade em suas obras de arte. Entre as pinturas de Zakirov estão “O Camareiro da Corte de Hermitage” e “O Condutor de Carruagens de Hermitage”.

Esses gatos vivem no museu desde que o czar Pedro I, o Grande, levou até o palácio um gato holandês. Sua filha Isabel ficou encantada com a beleza do animal e mandou trazer os melhores e maiores felinos de Cazã. Eles seriam responsáveis por manter o edifício e os quartos livres de ratos e outros roedores.

Com o passar do tempo, esses felinos deixaram de caçar ratos e se transformaram em uma atração turística do museu. Os animais são conhecidos por todos e os funcionários do museu cuidam, alimentam, brincam e até procuram famílias adotivas para eles.

Com as obras de arte de Kazirov, os gatos de Hermitage já são famosos em toda a Rússia. E não apenas por viverem no museu. Agora, mesmo que os séculos passem, todo se lembrarão deles.

Outros artistas que transformaram obras de arte

obras-de-arte-com-gatos-2

Zakirov não foi o único a transformar obras de arte conhecidas por todos em obras gatunas. Svetlana Petrova tem um gato chamado Zarathustra e decidiu elevar o seu amor “infiltrando” o felino em obras de arte tão conhecidas como Mona Lisa.

Quando perguntada sobre o que a motivou a fazer algo semelhante, a artista disse que, depois da morte de sua mãe, resolveu adotar o gato dela. Zarathustra a faz se lembrar da mãe e ter que cuidar dele a ajudou a superar o luto de uma forma mais leve.

Svetlana é uma artista profissional e esteve imersa no projeto de Marc, o gato. Este felino serviu de modelo em um tour por toda a Europa. Foi então que um amigo perguntou a ela por que não tentava fazer algo parecido com o próprio gato, Zarathustra, que é gordinho, engraçado e simpático.

Foi assim que surgiu a ideia. Primeiro, ela começou a imitar um movimento da pintura holandesa, a natureza morta, com sessões de fotos de comida. Em seguida, colocava Zarathustra nas imagens com o uso do Photoshop.

Depois, a artista resolveu repetir o processo com obras de arte mais conhecidas. Quando seus familiares, amigos e outros galeristas viram os seus novos trabalhos, Svetlana se deu conta de que havia feito um trabalho de qualidade. Apesar da primeira reação das pessoas ser o riso, a artista busca que todos conheçam as obras originais.

Tomara que essa iniciativa vinda da Rússia sirva de inspiração e que muitos outros artistas façam o mesmo, ajudando a aumentar o amor pela arte e, ao mesmo tempo, pelos animais.