Os cães são a chave para salvar pessoas com câncer

câncer

Cada vez são mais frequentes as histórias sobre cães que têm a capacidade de salvar pessoas com câncer, sejam seus donos ou pessoas que encontram na rua. Neste artigo, diremos por que os cães podem ser a chave para a detecção de doenças e como dar atenção aos sinais que eles nos dão.

Ted, o cão que “cheirou” o câncer de sua dona

Sabemos que os animais de estimação dão a vida por nós. Sabemos de casos de cães que salvaram crianças em incêndios ou em inundações. Ou que resgataram bebês abandonados ou que atacam um delinquente para evitar roubos. Mas ainda nos parece estranho que um cão tenha a capacidade de avisar a seu dono que este sofre de alguma doença.

Você irá gostar muito dessa bela história. Você entenderá por que os cães são o melhor amigo do homem. Ted é um border collie que vive em Stockton (Inglaterra) desde que Josie Conlan, uma mulher de 46 anos, o adotou. O cão vinha sofrendo maus-tratos desde filhote, por isso, sua personalidade é bem mais retraída e tímida.

Josie estava acostumada ao aparecimento de pequenos caroços em seu seio, porque eram habituais e inofensivos. Mas, um dia, a atitude de Ted mudou: ele não parava de farejar o seio da mulher e de gemer e gritar. Como o cão continuava com essa atitude, Josie decidiu consultar um médico. Os exames indicaram que ela sofria de câncer de mama. A boa notícia é que, por ter sido detectado a tempo, os médicos puderam agir rapidamente e extrair o tumor.

Segundo a mulher, “Ted é o melhor presente que a vida pôde dar a sua família (ela é casada e tem duas filhas). Ted nos agradece diariamente por termos o salvado da situação de maus-tratos, por isso, ele me livrou de vir a sofrer desta doença”.

Mais casos de cães “cheiradores” de câncer

terapia-para-presos-com-caes

Ted não é o único peludo que detectou algo no corpo de seus donos. Em 1989, uma senhora chegou ao King’s College Hospital de Londres pedindo que examinassem um nódulo que ela tinha na perna e que seu cão insistia em cheirar e latir. Tratava-se de um melanoma maligno em etapa inicial e que pôde ser extirpado sem maiores complicações.

Claire Guest tinha 45 anos quando seu cão, um Fox red labrador, descobriu que ela tinha câncer de mama. Ele ficava olhando fixamente e depois se equilibrava sobre o peito dela. Isso a levou a fazer um exame e a descobrir um pequeno caroço.

Como esses casos são determinantes, um grupo de médicos (de pessoas e de animais) decidiu treinar dois cães para que estes farejassem as pessoas e indicassem se elas tinham câncer. “Charlie” (um pastor alemão) e “Alfie” (um labradoodle), foram os dois cães californianos treinados para reconhecer essa doença através do cheiro.

Cães detectores de câncer

É bom saber que os cães têm mais de 220 milhões de receptores olfativos no nariz (as pessoas só 5 milhões). Por isso, podem detectar cheiros até 100 mil vezes mais do que nós. Alfie e Charlie foram treinados para detectar dois tipos de câncer: o de ovários e o de mama. Os narizes de ambos se encarregam de farejar um composto molecular específico dessa doença. Embora estes não tenham sido diferenciados pelos cientistas, os animais o reconhecem sem problemas.

Na Inglaterra, há um outro grupo de cientistas e médicos que estão treinando um cão. Eles o estão treinando para ter a capacidade de detectar os compostos químicos voláteis ou orgânicos que se encontram nas pessoas com esta enfermidade. No caso do câncer de próstata, o animal deve cheirar a urina do paciente. No de intestino, deverá fazê-lo com amostras de fezes e, no de pulmão, através do ar que a pessoa expira.

Segundo a revista British Medical Journal, o cão labrador que participou do experimento teve 95% de precisão nas amostras de ar e 98% nas de urina e de fezes. Todos os pacientes que tinham câncer estavam na etapa inicial da doença.

Fonte da imagem principal: www.abc.es