Os gatos e as viagens

Os gatos e as viagens

Embora muitas vezes dizemos que os nossos animais se parecem conosco, o que não deixa de estar correto, a verdade é que, conforme vamos conhecendo o nosso animal, começamos a não estar sempre tão de acordo. Por exemplo, nós, os humanos, adoramos viajar, mas os gatos não.

Por que aos gatos não gostam de viajar

Para quase todas as pessoas, as viagens, principalmente se forem de lazer, são uma oportunidade de sair da rotina, conhecer novos lugares e experimentar sensações diferentes. Entretanto, os gatos são muito diferentes de nós nesse sentido.

O gato é um animal de costumes. Quer dizer, gosta de levar uma vida cheia de rotinas que lhe dão segurança. Não é um animal especialmente ativo, mas sim um animal que gosta de levar uma vida cômoda e sem muitas emoções, principalmente no caso dos criados unicamente no lar.

Além disso, devido a personalidade independente dos gatos, só a ideia de estar algumas horas, normalmente as viagens são longas, trancados em algum lugar, já os aterroriza! Se eles pudessem pensar, é claro.

Tampouco o gato gosta de lugares novos. Embora na maioria dos casos não percebemos, felizmente, os gatos marcam seu território com seu odor. Por este motivo, chegar em um lugar que não tem o seu cheiro, lhe desconcerta bastante.

É necessário viajar com o gato?

Gato em bolsa de viagem

Uma pergunta que deveríamos fazer neste ponto é se de verdade queremos ou devemos levar o nosso gato conosco em uma viagem. Dizemos isso porque os gatos são, até certo ponto, animais de estimação que não precisam de grandes cuidados.

Não seria nada ruim pensar em deixar o nosso amigo sozinho em casa durante uma semana, nos assegurando, é claro, de que alguém da confiança do gato, e da nossa, visite o gato uma vez ao dia para trocar a água, lhe dar comida, limpar a caixa de areia e lhe dar afeto.

Possivelmente seja esta a melhor maneira para que ambos desfrutemos dessa semana de férias: nós no destino escolhido e nosso gato em casa com todas as suas necessidades supridas e evitando a tensão de realizar uma viagem.

Claro que, se as nossas viagens costumam ser mais longas, é possível que, por um lado, não queiramos comprometer a ninguém para que tenha que ficar e cuidar de nosso gato e, por outro, que nós não queiramos ficar tanto tempo afastados dele.

Como viajar com gatos?

Gatinho miando

Por fim está decidido. Avaliamos os prós e contras e decidimos que o melhor é que o nosso gato nos acompanhe na viagem. Começamos dizendo que, independente do destino escolhido e do meio de locomoção que será utilizado, os gatos devem viajar sempre no interior de uma caixa de transporte.

Somente desta maneira estaremos garantindo sua segurança, e também a nossa.

Se a viagem for longa, pode ser que o gato não passe muito bem. Podemos utilizar a empatia para nos dar conta de que não é uma sensação muito agradável a de passar várias horas trancados em uma caixa com dimensões reduzidas.

Assim, seria bom que, semanas antes da viagem, ajudássemos o nosso animal de estimação a se habituar a passar algum tempo dentro da caixa de transporte. É importante fazê-lo relacionar o tempo dentro da caixa de transporte com sensações agradáveis.

A música, as nossas palavras ou a comida como prêmio, podem ser de grande ajuda.

Quando chegar a hora de viajar, devemos colocar no compartimento algum objeto que cheire à nossa casa, para que o gato se sinta mais seguro. Se a viagem for de carro temos a vantagem de podermos parar algumas vezes para que o gato faça suas necessidades em sua caixa de areia, que precisaremos levar conosco ao destino escolhido.

Entretanto, se vamos de trem, ônibus ou de avião, as coisas mudam. Dependendo das horas que dure a viagem, ele terá que fazer suas necessidades dentro da caixa de transporte. Mas, principalmente, tente fazer com que o trajeto não seja muito longo.

Há alguns veterinários que aconselham sedar ligeiramente os gatos para que a experiência seja menos ruim para eles. Consulte o seu a respeito desta prática.

Uma vez que cheguem ao destino, permita que ele se familiarize com o novo lugar e esteja atento à reação de seu bichano, ele poderá apresentar um comportamento alterado. Depois, coloque as coisas de seu gato no lugar que considere mais adequado.

E por fim, desfrute de sua estadia.

Créditos da imagem: Merelo Guervós.