O que os gatos pensam das pessoas

Os gatos têm convivido com os humanos durante cerca de 9 500 anos, conservando muitos de seus instintos intactos, por isso, em certas ocasiões, é difícil dizer se eles nos amam ou se, simplesmente, se aproveitam de nós.

Por esse motivo, hoje dedicaremos um tempo para meditar sobre isto. O que os gatos pensam das pessoas?

Os gatos são um dos animais de estimação prediletos no momento de se escolher um animal de companhia. Somente nos Estados Unidos, 80 milhões de gatos vivem em lares e, segundo as estatísticas, no planeta, existem 3 gatos para cada cão.

No entanto, ainda são muitas as coisas que nos faltam descobrir sobre estes felinos, por exemplo, como eles se sentem em relação aos seus cuidadores.

Tentando dar uma resposta para isto, alguns pesquisadores da Universidade de Bristol se dedicaram a observar um grupo de gatos domésticos durante alguns anos, chegando à conclusão de que, socialmente, os gatos nos percebem de uma maneira diferente da de outros animais de estimação, como os cães.

O que diz o estudo

O estudo baseou-se na análise da maneira que os gatos domésticos interagiam para, desta forma, se compreender sua estrutura social.

aprender-com-os-gatos

Através desta observação, determinou-se que os gatos têm diferentes dinâmicas que foram estruturadas em função de condições particulares, no desenrolar da vida do felino.

Por exemplo, foram encontradas diferenças nos gatos livres ou que vivem em colônias de rua, dos que vivem em abrigos.

Consideraram os padrões de brincadeiras (por exemplo, a forma como manipulam os brinquedos) e estudaram os diferentes comportamentos que eles têm durante o dia.

Uma das interações que mais chamou a atenção dos pesquisadores foram as que tinham os felinos com os humanos. Isto se deve ao fato que, no caso dos cães, é evidente que eles entendem que somos diferentes, portanto se relacionam de forma diferente a como o fariam com outros cães.

No entanto, no caso dos gatos, o comportamento social com relação aos humanos não é muito diferente do que teriam com outro gato e isto se evidência em atitudes, como pôr a cauda no ar, se esfregar ao redor de nossas pernas, ou se sentar junto a nós. É exatamente o que fazem os gatos entre eles. Deu para você ter uma ideia do que os gatos pensam das pessoas? Vamos prosseguir.

gatos-de-casa

O que os gatos pensam das pessoas

Levando em conta as dinâmicas das brincadeiras observadas durante o estudo, concluiu-se que:

  • Os gatos têm noção sobre a diferença de tamanhos, mas não de que se trata de uma espécie diferente. Portanto, tratam as pessoas como um par (por isso eles se esfregam nos humanos, pois isso é algo que não fariam com uma criatura que consideram inferior).
  • Podem chegar a pensar que, como parceiros de brincadeiras, os humanos são lentos, portanto se irritam ou se entediam rapidamente.
  • Desfrutam da companhia das pessoas, uma vez que tenham se acostumado a elas. Isto se evidência muito na deterioração da saúde mental e física dos gatos quando eles são afastados de seus cuidadores.

Os pesquisadores puderam observar que, após separados de seus cuidadores, os gatos começaram a apresentar sinais de estresse e a desenvolverem problemas de pele e no sistema urinário. Também:

  • Sabem provocar reações específicas em seus cuidadores dependendo dos miados que façam, porque eles usam a vocalização para comunicarem aos seus cuidadores sobre diferentes tipos de necessidades.
  • Tratam diferente à cada membro de sua família humana, e isto se baseia na quantidade de benefícios que podem receber de um ou de outro.
  • A relação que os gatos têm com os seus cuidadores é similar à que teriam com sua mãe, por exemplo, amassar, levantar a cauda, se esfregar e ronronar.
  • Acham que as pessoas lhes pertencem, portanto ao lamberem ou se esfregarem em alguém, os gatos estão, na verdade, impregnando a pessoa com seu cheiro para “os marcar” como sua propriedade.

Imagem cortesia de Cássia Afini.