Os parasitas intestinais nos cães

parasitas intestinais nos cães

De todos os males que o nosso pequeno amigo de quatro patas pode vir a sofrer, um dos mais delicados são os parasitas intestinais. Estes parasitas intestinais nos cães são vermes cujo o dano ocasionado poderá ser tão grave que muitas vezes levam o animal a morte.

Embora este mal costume ser muito mais perigoso quando ocorre em filhotes, os cães adultos também podem ser seriamente afetados por eles. Se você não sabia sobre estes riscos, a seguir explicaremos tudo o que você precisa saber.

Tipos de parasitas intestinais nos cães

De todos os parasitas que infectam os cães, existem 7 que são os principais. São os seguintes:

Ancylostoma

É um dos mais comuns entre os parasitas intestinais nos cães, ele surge depois do animal consumir diferentes tipos de larvas ou ovos de parasitas. Eles permanecem vivos depois de serem expulsos por um animal que já tenha estado infectado.

Os ancilóstomos são microscópicos e subsistem no intestino delgado. Também costumam ocasionar diarreias e uma terrível anemia nos cães, especialmente quando são filhotes de poucos meses.

Toxocara canis

parasitas intestinais nos cães

Autor: Christine und David Schmitt

Costumam infectar quase que exclusivamente a fêmeas lactantes e os filhotes de poucos meses. Isto se deve ao fato das larvas se ativarem durante o tempo de gestação.

Os sintomas deste tipo de parasitas intestinais nos cães são os seguintes:

  • Debilidade
  • Atraso no crescimento
  • Tosse
  • Dor abdominal
  • Pneumonia
  • Bloqueio total do sistema digestivo
  • Diarreia

É importante assinalar que estes parasitas são como um pequeno macarrão de cor rosada esbranquiçada. Podem alcançar 15 centímetros.

Toxacaris leonina

Têm um aspecto quase idêntico ao do anterior, com a diferença de que estes são completamente brancos e sua estrutura é redonda. São parasitas perigosos e daninhos.

Os sintomas que apresentam os cães infectados são os seguintes:

Como podemos ver, este verme é muito parecido com a Toxacaris canis.

Trichuris vulpis

Conhecido por muitos veterinários como tricocéfalos, estes parasitas habitam no intestino cego (grosso) dos cães e podem chegar a medir até 7 centímetros de comprimento.

A característica mais peculiar dos Trichuris vulpis é que os cães que o hospedam não costumam apresentar nenhum tipo de sintomatologia. Entretanto, de vez em quando, costuma causar irritação no ânus, o que faz com que o cão arraste esta parte de seu corpo pelo chão para aliviar a coceira.

Uncinaria stenocephala

Trata-se de outra espécie de ancilóstomo, com a diferença de que este parasita é redondo, pode alcançar dois centímetros de comprimento e habita o intestino delgado.

Tão logo ele invada a pele do cão, pode causar uma dermatite aguda, principalmente entre os dedos. Também, pode ocasionar cistos entre os dedinhos do cão.

A maior similaridade com os casos anteriores é que também ocasionar fortes quadros de anemia e diarreia no animal infectado.

Dipylidium caninum

Conhecida por quase todos como solitária, este é um parasita cuja estrutura se caracteriza por ser plana e por poder alcançar os 305 centímetros de comprimento.

Os sintomas mais comuns do Dipylidium caninum são:

  • Diarreia
  • Debilidade
  • Atraso do crescimento dos filhotes de poucos meses

Este parasita habita no intestino delgado do cão e é raro chegar a vê-lo totalmente. Em geral o cão costuma expulsá-lo em pedaços através de suas fezes, apresentando uma aparência seca, como pequenos grãos de arroz.

Echinococcus granulosus

parasitas intestinais nos cães

Diferente da solitária, este é um dos menores parasitas intestinais que existem, já que como comprimento máximo chega a apenas 9 milímetros.

Este verme se caracteriza por ser plano e por habitar o intestino delgado do animal infectado. Em geral, o Echinococcu granulosus causa diarreias, cistos hidatídicos e perda da condição física.

É importante ressaltar que este parasita é muito comum em cães. Uma vez que o veterinário o detectou, a única solução será extirpá-lo por completo.

Para isso, é altamente recomendado o consumo periódico de anti-helmínticos, sempre prescritos pelo veterinário. Também, se deve evitar a ingestão de vísceras de animais, principalmente dos ovinos.

Como você pode notar, são muitos os diferentes tipos de parasitas intestinais que o seu pequeno amigo de quatro patas pode hospedar. Tão logo você note algum sintoma, deve ir ao veterinário imediatamente.