Os problemas de saúde mais comuns de acordo com a raça

Os cães são uma das espécies de animais mais variadas do mundo. No entanto, a seleção de certas características termina acentuando alguns tipos de doenças e problemas de saúde em algumas raças. Embora nem todos os cães tenham propensão às mesmas enfermidades, vamos conhecer os problemas de saúde de acordo com a raça do animal.

Portanto, considere que isso pode ajudá-lo muito a prevenir que certas doenças se desenvolvam ou piorem com o passar do tempo. Vamos citar alguns dos problemas mais comuns para as raças mais populares.

Pastor Alemão: displasia de bacia

Muitas raças grandes são mais propensas a desenvolver a displasia de bacia. A displasia de bacia é uma patologia hereditária, mas que também pode ocorrer devido a algum trauma, onde os ossos do quadril não se encaixam corretamente, causando dor, artrite e problemas de locomoção.

Ao procurar um filhote de pastor alemão, devemos perguntar se os seus pais tiveram essa doença, pois geralmente os cães com displasia hereditária não devem se reproduzir para garantir que só nasçam filhotes saudáveis.

Husky Siberiano: doenças autoimunes

Os huskies siberianos têm predisposição para desenvolver doenças autoimunes, principalmente aquelas que afetam a saúde de sua pelagem e pele.

Essas enfermidades são caracterizadas pela aparição de feridas, perda de pelos, caspa, entre outros. Da mesma forma, essa raça possui maior probabilidade de apresentar problemas oculares, entre os quais se destacam catarata e glaucoma.

Husky Siberiano

Beagle: epilepsia

Esse transtorno cerebral, que produz fortes convulsões, é mais comum nos beagles que em qualquer outra raça de cães (ainda que isso não signifique que elas não possam desenvolver a doença). A epilepsia geralmente ocorre entre o primeiro semestre de vida e os três anos de idade. Embora não exista cura, é possível tratá-la com medicamentos.

Bulldog: problemas respiratórios

Como todos os cães com focinho achatado, os bulldogs sofrem de problemas respiratórios. Essa condição se deve, principalmente, ao fato de possuírem o palato mole, com uma traqueia estreita.

É muito importante manter esses animais em lugares frescos, pois são mais propensos a sofrer de insolação. Da mesma forma, não devem fazer atividades físicas em excesso.

Boxer: câncer

Os cães da raça boxer são propensos a desenvolver câncer, incluindo linfoma. O linfoma é um câncer que acomete os gânglios linfáticos, embora também possam desenvolver tumores menores na pele.

Em ambos os casos, o cancro é percebido como uma protuberância no corpo do cão. O tumor é tratável quando detectado precocemente. Por isso, é importante visitar regularmente o veterinário.

Labrador Retriever: obesidade

Qualquer cachorro tem a possibilidade de desenvolver obesidade. No entanto, já foi comprovado que o labrador retriever é uma das raças que adquire peso com mais facilidade. A obesidade está relacionada a desequilíbrios hormonais, alimentação em excesso e falta de atividade física. Portanto, para evitá-la, deve recorrer a uma dieta equilibrada e a exercícios físicos regulares.

Shih Tzu

Shih Tzu: luxação da patela

A luxação da patela é mais comum em raças do grupo toy, como o Shih Tzu. Essa condição ocorre quando a patela, antigamente chamada de rótula, sai do lugar, produzindo dor e andar manco. Normalmente, a patela volta ao seu lugar sozinha, mas em casos mais graves, uma cirurgia é necessária para prevenir outras doenças, como artrite.

Cão Salsicha: problemas de coluna

Graças a seu corpo alongado, o Dachshund, popularmente conhecido como Salsicha, possui grande risco de sofrer lesões nas costas ou nos discos da coluna vertebral. Portanto, evite o sobrepeso em cães dessa raça. Isso é muito importante para a sua saúde, já que o excesso de peso pode sobrecarregar a coluna do animal.