Ossos para cães: eles são realmente bons?

É comum dentro do imaginário popular relacionar os cães com o consumo de ossos e, na realidade, eles parecem desfrutar muito.

No entanto, há posições opostas sobre isso, onde se opõem não somente veterinários, mas também especialistas em alimentação canina. Sendo assim, nós nos aprofundaremos um pouco na questão dos ossos serem bons ou não para os cães.

Uma das perguntas mais frequentes aos veterinários é se é recomendável dar ossos aos cães, pois muitos donos pensam que isso é bom para eles, em especial, fundamentados na quantidade imensa de caricaturas e ideias preconcebidas que existem a respeito disso.

No entanto, muitos veterinários estão na contramão desta prática.

Mesmo os que se colocam radicalmente na contramão de proporcionar ossos aos cães, reconhecem que os cães adoram ossos, porém consideram o ato de dar ossos aos cães, como sendo de absoluta irresponsabilidade.

Esta postura não se baseia no fato de que se comerem um osso, isso lhes causará dano, mas consideram as possíveis complicações que se derivam do consumo contínuo de ossos.

Por exemplo, uma das razões mais frequentes das visitas ao veterinário está relacionada com a peritonite causada pela perfuração por um osso, do intestino do animal, asfixia por engasgo de ossos na garganta, sem contar as múltiplas cirurgias que são feitas diariamente para extrair ossos alojados no trato digestivo.

Muitos especialistas acham que é uma forma desnecessária de expor a vida do cão, devido às delicadas consequências que devem ser enfrentadas em caso de algo sair mal com o consumo de ossos.

No entanto, outro grupo de especialistas defende o consumo de ossos, pois consideram estes como uma importante fonte de proteínas.

Igualmente, se o cão estivesse em um meio selvagem, ele caçaria animais para se alimentar e os devoraria, incluindo os ossos, de modo que isto justificaria que os consumam.

Porém, algo que ambos os grupos concordam é que devemos ser muito cuidadosos com o tipo de ossos que damos aos cães.

Em geral, devemos evitar os ossos pequenos e afiados, estes podem ser os ossos de frango ou as espinhas de peixes, pois estes tipos de ossos podem produzir, com maior facilidade, alguma das infelizes situações que expusemos anteriormente.

Ossos de couro

Cão comendo osso

Uma das alternativas saudáveis para o consumo de ossos é a dos ossos de couro (falsos ossos), que é uma pele de vaca endurecida e ligeiramente gordurosa. Esta é uma boa opção que também ajuda a cuidar dos dentes do cão.

Como se não bastasse, alguns veterinários sustentam que esta classe de ossos também não é boa para os cães, em especial para os pequenos, pois por terem um intestino curto, esse osso de couro costuma ficar colado nas paredes e produz obstruções dolorosas.

Recomenda-se que não se exceda no uso desses ossos, sendo melhor que ele seja utilizado como prêmios, só uma vez por semana. Lembre-se que para fins de treinamento ou para manter o seu cão distraído, é melhor que se considere outros tipos de estratégias.

Bolachas integrais e snacks

Cão comendo peixe

No mercado, você poderá encontrar uma grande variedade de produtos especializados para cuidar dos dentes, gengivas e do trato digestivo de seu cão.

Dentre estes, encontram-se as deliciosas bolachas integrais que são ricas em fibras e que podem proporcionar ao seu cachorro, além de bons momentos de diversão, um bom conteúdo nutricional.

Por ser rica em fibras, ajudará no correto funcionamento do trato digestivo.

A vantagem desta classe de snacks, em especial quando são baixos em gorduras, é que você poderá dá-los ao seu cão várias vezes ao dia, o que é importante, em especial nos momentos cruciais de treinamento.

A ideia é que você procure um equilíbrio entre o que o seu cão gosta e o que é saudável para ele. Dessa maneira, você poderá consentir ao seu melhor amigo peludo, de uma forma responsável, que ele coma coisas que são saborosas e também saudáveis.

Créditos da imagem em destaque: Analiz Villegas.