Parasitas que vivem na cama de seu cão

parasitas

A cama de seu cão tem milhares de microrganismos, como parasitas, vírus, bactérias e fungos, que dormem com ele todas as noites (e dias). Da mesma forma que nos preocupamos em ter a nossa cama limpa e trocar os lençóis, é importante que também cuidemos da higiene de suas caminhas. 

Contagio nos passeios

Ao saírem para passear, os cães exploram cada canto, brincam com outros cães, com paus, molham-se em poças, chupam e lambem todo tipo de coisas. Nós gostamos de ver como eles se divertem, mas isso significa também que, quando voltam para casa, podem trazer uma infinidade de parasitas como pulgas, ácaros e carrapatos, que no final acabarão em sua cama e que, além de tudo isso, transmitem doenças a nós, seus proprietários.

Parasitas externos

cao-urina-na-cama

Nosso amigo pode apanhar pulgas de um outro cão ou animal, ou inclusive da rua, e trazê-las para casa. Um de seus “esconderijos” favoritos é a cama de seu pet. Você terá que ser meticuloso, porque elas podem infestar a casa.

Terá que colocar remédio para isto, cumprir com o calendário de desparasitação e, se seu cão se coçar muito, levá-lo ao veterinário para comprovar que tudo está em ordem.

Micose

Trata-se de uma infecção produzida por um grupo especial de fungos que infecta a pele, o pelo e as garras de nosso cão. Seus sintomas podem ser vermelhidão, coceira, perda de pelos, feridas com forma de emplastros com crosta e problemas nas garras.

A micose é caracterizada por ser uma lesão em forma de círculo, às vezes avermelhada e com escamas, causando a perda de pelos na região e nem sempre coça.

Os esporos desta infecção podem viver até dois anos no ambiente, incluindo a cama de nosso cão. O contágio é simples e rápido, e pode ser transmitido para outros animais ou pessoas que vivam na mesma casa.

Ascarídea e ancilostomíase

Esses são parasitas que habitam o aparelho digestivo de nosso cão e se alimentam do conteúdo intestinal ou, como é o caso da ancilostomíase, os cães se contagiam ao ingerirem outros sedimentos infectados com ovos ou ao comerem animais infectados, como ratos ou pássaros. Também podem ser transmitidos das mães para seus filhotes.

Entre os sintomas ou sinais da infecção destes agentes patogênicos está a perda irregular de peso, diarreia e vômitos, pelos com má aparência, tosse, e pode causar um inchaço abdominal.

A salmonela e a listeria

Estas duas conhecidas enfermidades são transmitas através de alimentos humanos. Atualmente se provou que 25% das dietas comerciais cruas acusam resultados positivo para estas duas bactérias.

Nosso pet pode abrigar estas bactérias em seu intestino sem apresentar sintomas e transmiti-las às pessoas que vivem com ele. Eliminaremos o risco de contágio se limparmos bem sua cama, lavarmos as mãos e armazenarmos e manipularmos de forma correta a alimentação do animal.

banho-cao-1

Limpeza para evitar os parasitas

A higiene da cama de nosso amigo é muito importante. Para realizá-la, devemos olhar a etiqueta ao comprarmos uma cama, se ela pode ser lavada na máquina de lavar roupas e, inclusive, ser posta numa secadora. Virtualmente, com isso, o problema pode ser resolvido. As elevadas temperaturas são a ferramenta ideal para exterminar parasitas, bactérias e fungos.

Antes de lavar a sujeira da cama de nosso amigo, convém aspirá-la para eliminar pelos e restos de sujeira incrustada. Também será importante selecionar o sabão adequado. Alguns deles podem ocasionar reações alérgicas em nosso cão. Portanto, temos que evitar sabões que contenham amoníaco e alvejante, pois são produtos muito prejudiciais.

A higiene de nosso amigo

Há uma ação muito simples que podemos realizar para eliminar os restos de parasitas em nosso cão ao voltarmos de um passeio, que é limpar com uma toalha as patinhas dele ao chegarmos em casa.

Também uma correta escovação depois do passeio ajuda a eliminar qualquer substância que tenha se aderido a seus pelos e reduzir assim a frequência de seus banhos.

Desparasitar

Finalmente, é muito importante realizar uma desparasitação externa contra pulgas e carrapatos, assim como utilizar produtos de desparasitação interna. Uma vez que protegemos os nossos amigos de parasitas e infecções, também o fazemos conosco mesmos, evitando assim o contágio.