Por que muita gente tem alergia a gatos?

Há anos ouvimos pessoas dizerem que têm alergia a gatos. Inclusive, se algum de nossos amigos é desse tipo e você o convida para ir a algum lugar, é muito provável que ele já tenha perguntado: “você tem gato”? As alergias são um problema, e evitar aquilo que é a sua causa é fundamental para quem as sofre.

Mas então, o que é o que realmente provoca alergia a gatos? Vamos explicar a você tudo neste artigo.

O que causa a alergia a gatos

alergias-bichinhos-2

Todas as alergias, sejam elas do tipo que forem, têm uma origem: um sistema imunológico fraco. Portanto, aqueles que têm alergia a gatos possuem um sistema imunológico que é mais sensível às substancias patógenas dos bichanos, tais como a saliva, a urina ou ao pelo animal.

Apesar de muitos acharem que o pelo dos gatos é o principal causador das alergias a felinos, isso não é totalmente verdade. É o pelo ou a pele morta dos felinos o que provoca as alergias. O tamanho dessas partículas é cinco vezes maior do que o da poeira, por isso, a presença delas no ar é mais prolongada. Dessa forma, aumentam as possibilidades de serem inaladas.

Sintomas de um alérgico a gatos

Como qualquer outra doença desse tipo, a alergia a gatos é muito problemática e incômoda. Os sintomas mais comuns são:

  • Inchaço
  • Coceira
  • Espirros
  • Dor de garganta
  • Pigarro
  • Coceira no nariz
  • Olhos lacrimejantes
  • Congestão nasal

Você deve ficar atento se nunca teve alergia a gatos e apresenta algum desses sintomas. Fique de olho, porque, aparentemente, pode parecer um resfriado. Se você observa que sempre esses sintomas aparecem quando está perto de um ou mais gatos, procure um alergologista para que ele receite exames a respeito e determine se você tem ou não alergia a gatos.

Nem todos os felinos provocam o mesmo grau de alergias. Por exemplo, os machos têm mais secreções do que as fêmeas. Com isso, o risco de sofrer uma alergia a gatos é mais alto. Por outro lado, se ele estiver castrado, produzirá muito menos secreção, por isso, o risco diminui.

Como tratar a alergia a gatos

O mais comum é que, se você tem um gato e diagnosticam uma alergia a gatos em você, que, em primeiro lugar, digam-lhe que terá que se desfazer dele. Nós, que sabemos que um animal chega a fazer parte da família e que não conseguimos descrever nosso amor por eles, vamos dar a você algumas dicas para que não tenha que chegar a esse extremo.

Tudo dependerá do grau de alergia que você tiver. Mas, se você seguir esses conselhos em casa, as coisas podem melhorar muito.

gato-gosta-do-momento-do-banho

  • Não deixe que o gato entre no seu quarto. O quarto é um dos lugares onde passamos mais tempo. Não permita que o gato entre nele para que não fique nenhum resto de substância que possa provocar alergia em você.
  • Evite superfícies onde o pelo do gato fique grudado. Isso quer dizer tapetes, carpetes e similares. Esses tecidos ficam impregnados de pelo de gato com muita facilidade e você terá maior chance de inalá-lo e piorar a sua alergia.
  • Use máscaras. Use uma máscara, quando você for aspirar, varrer ou tirar a poeira. Ela protegerá você do pelo do gato. Será ainda melhor se ela tiver um sistema com filtro. Além disso, você pode usá-la quando quiser se sentar e brincar com seu bichano.
  • Dê banho no gato e escove-o. Obviamente, isso deverá ser feito por outra pessoa e não pelo alérgico. Escovar o gato duas vezes por dia eliminará os restos de pele morta e acabará com o problema.
  • Se ele for macho, castre-o. Como dissemos antes, os gatos castrados produzem menos secreção, por isso, se você quer evitar um grau mais alto de alergia, o melhor é que você castre o seu felino.
  • Fale com o seu veterinário. Existem remédios que podem ser aplicados ou que o gato pode tomar para que ele não solte pelo de maneira excessiva e para melhorar o seu estado de saúde diante da alergia.