Por que nunca se pode dar maconha ao seu cão?

Talvez você ache que essa seja uma pergunta estranha, mas muitos donos de animais de estimação têm essa dúvida. Por isso, quisemos averiguar e pesquisar mais a esse respeito. Dar maconha ao seu cão pode trazer consequências nefastas para a sua saúde. Saiba mais sobre esse assunto neste artigo.

A maconha pode ser fatal para o cão

vômitos nos cães

Autores: Christine e David Schmitt

Qualquer substância que o animal ingira pode chegar até a provocar a sua morte, se se tratar de uma dose elevada. Às vezes, não estamos prestando atenção ao que o nosso cão consome na rua ou em casa, e isso pode provocar intoxicações severas no animal.

No caso da maconha, se o seu animal de estimação a consumir, pode chegar a ser fatal. Os efeitos indesejados no bichinho se devem ao D9 Tetrahidrocanabinol. Essa é a principal substância da droga e que provoca os efeitos psicotrópicos.

Para que o cão tenha risco de morte, ele precisa consumir 3 gramas de maconha para cada quilo do animal. Por exemplo, se ele pesa 8 quilos e ingerir 24 gramas, você deverá levá-lo com urgência ao veterinário para desintoxicá-lo.

Os cães são mais suscetíveis aos efeitos da droga que as pessoas, devido ao seu peso. Se, por acidente, ele comer um pouco de maconha, a intoxicação irá desaparecer em mais ou menos por volta de duas horas. Enquanto ele estiver se recuperando, você deverá deixá-lo em um lugar tranquilo ao ar livre e com um grande recipiente de água fresca à sua disposição. Se, depois de duas horas, o animal não se levantar e continuar dormindo, não espere nem um minuto a mais e leve-o ao veterinário.

O que a maconha provoca nos cães?

Podemos dizer que essa droga causa mais efeitos nos animais de estimação que nos seres humanos. As alucinações não são tanto o “problema”, a menos que os levem a agir de forma estranha ou a atacar pessoas por perto.

A capacidade motora do bichinho se verá seriamente alterada. O hormônio dopamina estará desequilibrado e não se formará adequadamente. Por esse motivo, é provável que o cão fique deitado na mesma posição e não consiga se mover e muito menos de deslocar. 

Depois de se intoxicar com maconha, o seu animal de estimação se tornará mais agressivo e lerdo que o normal. O bichinho não conseguirá coordenar os seus movimentos, irá tropeçar nas paredes, móveis e objetos. Além disso, irá desobedecer todas as regras ou instruções do seu dono.

Outros efeitos da maconha no cão

Os efeitos mais graves que um cão pode sofrer se consumir a cannabis são: a falta de coordenação, as quedas, a depressão ou a euforia (ele poderá apresentar ambas de forma alternada, primeiro pode estar decaído e depois alterado, e vice-versa). Além disso, ele poderá gemer e latir sem motivo aparente, já que estará alucinando. E, por último, ele poderá ter problemas digestivos típicos de uma intoxicação: vômitos, diarreia e aumento de saliva.

É preciso que, caso isso aconteça, você evite qualquer alteração no ambiente, seja com uma música alta, gritos, jogos… essa conduta é totalmente inaceitável. Isso porque o animal poderá agir de uma forma diferente da que está habituado. Nunca se sabe se ele vai querer te atacar, te morder ou te machucar quando estiver sob os efeitos da maconha.

Apesar de ser verdade que o animal de estimação pode sofrer durante horas sob os efeitos da cannabis no seu corpo, o problema irá terminar em pouco tempo e é a responsabilidade dos seus donos evitar que isso volte a acontecer.

Quando você for levar o cão ao veterinário, nada de tentar mentir nem esconder informações: diga que o seu animalzinho ingeriu maconha sem querer e tente ser preciso no que se refere à quantidade. Dessa maneira, o médico poderá atendê-lo corretamente.

Maconha medicinal para cães?

medo-do-veterinario

Apesar de termos dito que a droga não faz bem para os animais de estimação, existem muitos casos de cães tratados com maconha para reduzir os sintomas de doenças degenerativas, crônicas ou incuráveis, como certos tipos de câncer.

Além disso, sabe-se dos casos em que ajuda a abrir o apetite, acalma as dores nas articulações, caso o animal padeça de artrite, e serve de analgésico para o câncer. Mas lembre-se de que para que o seu cão faça esses tratamentos devemos falar com um veterinário especialista e fazer o tratamento completo. 

O médico indicará a dose e a forma de administrar a maconha para o cão. Além disso, ele irá supervisionar o animal para determinar se realmente a droga servirá para a sua doença.