Primeiros socorros para filhotes: respiração assistida

Um dos conselhos para ajudar um filhote que se engasga no momento de nascer e não consegue respirar direito é a respiração assistida. Trata-se de um processo muito simples, mas que pode salvar a vida dos filhotes recém-nascidos. Um aspecto básico dos primeiros socorros.

Diz-se que os primeiros minutos da vida de um filhote serão determinantes para a sua qualidade de vida. Entre os cuidados prévios,  encontram-se a prevenção da hipotermia ou perda de calor, estímulo da respiração, limpeza das suas vias nasais e orais e, muitas vezes, estarem preparados para atendê-los com os primeiros socorros básicos. É importante também saber realizar a respiração assistida dos filhotes, pois ela pode fazer a diferença para que o pequeno recém-nascido continue vivo ou não.

Comprovações da respiração

veterinario

Se algum dos filhotes não respirar direito, ou seja, se o som da sua respiração parecer congestionado, a primeira coisa que você deve fazer é baixar a sua cabeça e deixá-lo de barriga para baixo, já que a ação da gravidade o ajudará a respirar.

Antes de realizar a respiração assistida de um filhote, é preciso se assegurar bem de que as suas vias respiratórias não estejam obstruídas. 

Se a passagem de ar se produzir de forma difícil, uma boa dica é usar uma pera de sucção, parecida com as utilizadas em laboratórios para coletar fluidos e, dessa forma, ir desalojando o líquido presente nas vias respiratórias do filhote. A diferença de pressão pode acabar com a obstrução gerada.

Localizar o coração do filhote

Para realizar essas comprovações prévias, também funciona localizar a posição exata onde se encontra o pequeno coração do recém-nascido. É conveniente apalpar com os seus dedos, suavemente, o peito do animal, para comprovar que o coração esteja batendo.

Gerar ar no filhote durante a respiração assistida

Nos casos em que seja necessário, é recomendável realizar uma respiração assistida no filhote. Essa operação, além de ser aconselhável, pode também ser uma ação imprescindível. Para realizá-la, pegue o animal nas suas mãos e vá introduzindo o ar nos seus pulmões, soprando de uma forma suave pelas suas cavidades nasais.

É importante levar em consideração que os pulmões do recém-nascido são diminutos e que toda a operação deve ser realizada com muita suavidade, para não danificar os seus órgãos. Dessa forma, você irá realizar dois ou três inalações na direção do interior do corpo do cão, com muito cuidado, evitando que a quantidade de ar introduzida seja muito grande.

Enquanto nós recebemos a resposta do animal, iremos administrando pequenos sopros de ar através da sua boca e do seu nariz. Ele deve ser feito de forma progressiva, em intervalos de 15-20 segundos. A cada minuto, você deve comprovar de novo a respiração e os batimentos do filhote.

Quando aparecem os batimentos

No momento em que voltarem os batimentos do filhote, você deve segurar as suas patas ou a sua nuca, cuidadosamente, passando uma toalha para estimulá-lo, e administrar uma respiração extra, caso seja preciso.

A forma correta de massageá-lo é realizando uma espécie de arco, como se estivéssemos “amassando” o animal. Dessa maneira, iremos reduzir a mucosa acumulada no sistema respiratório e o ajudaremos a trabalhar os seus delicados pulmões. É muito importante que o filhote seja capaz de respirar o quanto antes possível.

O sistema digestivo

filhote-um-novo-amigo

Quando o filhote ainda é pequeno, é normal que o seu sistema digestivo não esteja ainda bem formado. Por esse motivo, ele não poderá digerir normalmente o leite da sua mãe. É muito comum que você tenha que alimentar o filhote com uma mamadeira, caso a progenitora não possa atender bem aos seus filhotes como consequência de complicações pós-parto.

No mercado existem fórmulas preparadas para a alimentação de filhotes órfãos que são ideais para eles. O leite de cabra deve ser evitado. O estômago dos pequenos não está preparado para esse tipo de alimento, tão forte.

Além disso, é normal ter que ajudar os filhotes a defecar por várias razões. Em primeiro lugar, devido à sua debilidade física e também pela sua falta de hábito. Para começar essa ajuda, podemos empapar um algodão com água morna e esfregar, com suavidade, a região da zona anal, de forma que estimule o relaxamento do esfíncter. Podemos ir combinando esse método também com uma massagem no ventre dos filhotes.