Quais alimentos o gato não deve consumir?

Grande parte do cuidado com o seu animal de estimação está em sua dieta. Isto é especialmente importante com os nossos mimados amigos felinos, mas a ignorância com determinados cuidados pode acabar prejudicando estes amados bichinhos, portanto, neste artigo vamos analisar quais alimentos você não deve dar ao seu gato.

Leite

Eu sei que muitas pessoas pensam que os gatos gostam de leite, mas isso é um mito, em parte alimentado por alguns programas de TV.

Como já amplamente discutido em outros posts do Meus Animais, os gatos não devem tomar leite, porque eles não conseguem digeri-lo.

O consumo excessivo de leite pode causar problemas no aparelho digestivo, e pode desencadear diarreia e vômitos.

Se o seu gato está acostumado a consumir leite, opte pelo desnatado, além de também ser possível encontrar leite para gatos, que é muito melhor para eles do que o leite de vaca, isso é importante, especialmente se você está lidando com um gatinho prematuro ou se a mãe não pode continuar a alimentá-lo por conta própria.

Produtos doces

Cuidados com a alimentação dos gatos

Chocolate, doces, bolos, biscoitos, entre outros produtos açucarados, não devem serem dados aos gatos. Os gatos também não gostam deles.

Isso ocorre porque os gatos não conseguem sentir o sabor doce, o sistema digestivo deles é adaptado para uma dieta quase que exclusivamente carnívora.

O doce não fornece qualquer tipo de benefício nutricional, além do mais, os gatos não possuem enzimas para a quebra do açúcar, portanto isso irá prejudicá-los.

O chocolate é especialmente prejudicial para os gatos, e também para os cães, porque contém teobromina, uma substância também presente em quantidades menores em outros produtos, tais como café e chá.

O problema com a teobromina é que ela causa o aumento da frequência cardíaca, e se não for metabolizada rapidamente, pode prejudicar o sistema cardiovascular e nervoso. Em grandes quantidades pode até mesmo causar a morte.

No entanto, o animal não cairá morto instantaneamente por uma petiscada, mas a quantidade de teobromina varia de acordo com a pureza do chocolate, por isso é melhor evitar. Por que dar a eles algo que você sabe que não faz bem?

Sal

Também é bom controlar a quantidade de sal e sódio que o seu gato come, especialmente se você o alimenta com comida caseira.

A ingestão excessiva de sal, com o passar do tempo, vai danificar o sistema urinário de seu gato, causando cistos nos rins, bem como sendo prejudicial para o sistema cardiovascular. Um gato com doença cardíaca não deve jamais comer sal.

Plantas

Atenção às plantas na alimentação dos gatos

Nós não sabemos por que os gatos são atraídos pelas plantas, mas sabemos que eles as adoram e às vezes é muito difícil mantê-los longe delas.

A grama, por exemplo, é boa para eles, e ele a consumirá sempre que precisar de vermifugação, ou de limpar seu corpo.

No entanto, há alguns tipos de plantas e flores que são tóxicas para eles, por isso é melhor que você converse com um veterinário sobre as plantas que você tem em sua casa e que podem ser prejudiciais para o seu gato, causando vômitos, diarreia e intoxicação.

Cebola

Alimentos como cebola, alho ou alho-poró contêm tiossulfato, que passa a ser extremamente prejudicial para o seu gato se dado em grandes quantidades, pois ela provoca a destruição das células vermelhas do sangue e pode causar anemia neles.

Tal como acontece com o chocolate, não ocorre um efeito imediato e é inofensivo quando dado em quantidades pequenas (para causar envenenamento imediato seria necessário uma cebola inteira, o que ninguém em seu juízo perfeito iria fazer), o problema é que os alimentos como alho ou cebola são de uso diário, portanto, o consumo progressivo e frequente da substância acumula-se no corpo do animal, o que causa danos.

Frango e ossos de peixe

Quanto ao consumo de ossos, alguns veterinários defendem a ingestão e outros a atacam fortemente.

De acordo com a opinião de quem é contra, o consumo de ossos pode causar danos no sistema digestivo do animal, especialmente no intestino, uma vez que estes podem arranhá-los ou se incorporarem aos tecidos moles, danificando-os.