Quais enfermidades compartilham os humanos e os cães?

enfermidades

Embora tenhamos a tendência de pensar que os humanos e os cães são diferentes em tudo, e também quanto às enfermidades que podem sofrer, a verdade é que há algumas doenças que podem acometer indistintamente pessoas e cães.

É curioso descobrir como os veterinários se surpreendem de quão parecida acaba sendo a carreira deles com a medicina humana. É possível aprender muito uma com a outra para o benefício de nossa saúde e da de nossos animais.

Patologias do coração

enfermidades

Como os animais têm um coração parecido com o nosso, os cães podem sofrer de problemas parecidos, como são a arritmia e os ataques do coração. Algumas raças de cães são mais propensas a sofrer destes ataques, por terem um comportamento nervoso mais acentuado.

Câncer de mama

Trata-se de uma das enfermidades que mais se tem falado nos últimos anos no mundo inteiro. Ela está mais relacionada com os humanos e com os cães, mas o câncer de mama também já foi encontrado em diferentes mamíferos, como o jaguar, o tigre, o leão-marinho, os cangurus, as baleias, as alpacas e as lhamas.

Câncer de pele e de ossos

Já encontraram em alguns animais doenças como o câncer de pele. Nos cães da raça Golden Retriever, muitas vezes se desenvolve um tipo de câncer de ossos denominado osteosarcoma.

Obesidade e diabetes

Com mais frequência do que se imagina, nos países com maior desenvolvimento está se originando a obesidade canina. A comida processada e a falta de atividade física em muitos cães de residências estão provocando estas patologias em nossos animais de estimação.

Leptospirose

A leptospirose também é uma das enfermidades que pode afetar tanto os cães quanto as pessoas. O cão pode transmiti-la para a família com a qual ele convive. Este problema de saúde se origina através de uma pequena bactéria que vive na água.

A leptospirose pode afetar os humanos e os cães em todo o mundo, apesar de ser causada por uma bactéria que gosta da água, ela é mais frequente em locais de climas quentes, com zonas úmidas e encharcadas. Na Espanha, a Catalunha, Aragon e Astúrias são as partes geográficas com mais problemas neste sentido.

O contágio das pessoas se dá quando entramos em contato com a água ou ingerimos o elemento líquido contaminado. Se o animal que temos em casa já estiver contaminado, o risco para os humanos que convivem com ele aumenta.

Embora exista uma vacina contra esta doença, nem sempre ela é efetiva, e o animal infectado pode transmitir esta enfermidade a seus donos. Apesar de não existir uma garantia plena, a vacinação do cão é a primeira chave para se evitar a leptospirose. Esta vacina costuma ser administrada entre doze e treze semanas de vida do animal.

Sintomas de enfermidades comuns nos humanos e nos cães

Com os primeiros sintomas de febre no cão, é conveniente ir ao veterinário para iniciar tratamento correto. Se percebermos que o nosso amigo está decaído e sem apetite, esses são os primeiros sintomas de que algo não está bem. Ante qualquer indício de febre no cão, convém ir ao veterinário para que ele indique o tratamento a seguir. Se notar que o cão está abatido, este também pode ser um sinal.

enfermidades

Autor: LuAnn Snawder Photography

Evitaremos, para nos proteger do contágio, que o nosso animal de estimação se banhe em áreas ou zonas poluídas ou que possam estar contaminadas. Os espaços com água encharcada em campos e zonas rurais costumam ser perigosos.

No momento em que se detectar a doença, deveremos ir ao veterinário o mais rápido possível.

Alguns estudos realizados na Espanha detectaram que anualmente os cães e os gatos transmitem mais de 300 doenças às pessoas. A brucelose é a principal delas, superando os seis mil casos anualmente.

Os especialistas afirmam que os contágios zoonóticos produzem nas pessoas cegueira, cistos hepáticos, de pulmão e de coração, além de doenças respiratórias, deformações nos recém-nascidos, dores musculares e gastroenterite. Segundo os especialistas, estes contágios se mantêm pela piora das condições ambientais em que vivem estes animais.

Cistos hidáticos

A tendência nos últimos anos aponta para uma redução de contágios por cistos hidáticos e outras doenças. Mesmo assim, as principais vítimas continuam sendo as crianças, as, mulheres e os portadores de HIV. A enfermidade com maior número de afetados é a brucelose, que se adquire mediante o consumo de leite, queijo fresco e carne de animais afetados por ela, como as vacas, os ovinos e as cabras.