Quais são as vacinas obrigatórias para os bichinhos?

É muito importante cuidar da saúde de nossos animais de estimação e fazer controles periódicos dela. Também, é preciso seguir um calendário de vacinas que nos permitirá a prevenção de doenças que poderiam ser, inclusive, mortais.

Com as vacinas vamos reforçando o sistema imunológico do nosso amigo a medida que ele vá crescendo.  

Benefícios das vacinas

vacinas-caninas

As vacinas são antígenos que produzem anticorpos, estimulando o sistema imunológico.

Entretanto, elas têm um efeito temporário. Por isso, é preciso repeti-las de tempos em tempos durante toda a vida do seu animal de estimação.

Apenas um médico veterinário pode aplicar as vacinas. Quanto ao momento de tomá-las, é preciso seguir as datas de vacinação para conseguir o efeito adequado.

Doenças que são prevenidas pela vacina

Ainda que sejam muito importantes, não é necessário vacinar nosso cachorro para tudo. Dependerá do país onde vivemos e das doenças mais comuns nessa zona.

O dono do animal tem que se informar sobre as vacinas que convêm aplicar no animal.

O caso do Brasil

No Brasil, o Governo não obriga donos de cães e gatos a vacinarem seus animais, a não ser contra a raiva, e salvo em situações especiais, como é o caso das viagens.

Mas todo dono consciente tem este compromisso com seu amigo peludo. Confira o calendário:

  • Aos dois meses de idade: Vacina Óctupla, que previne Cinomose, Coronavirose, Hepatite (adenovirose I), Adenovirose II, Leptospiroses, Parvovirose e Parainfluenza. Doses adicionais são necessárias quando o cão completar 3 e 4 meses. Anualmente, nova dose desta vacina deve ser dada.
  • Vacina contra a raiva: Obrigatória, deve ser ministrada quando o cãozinho tiver 6 meses, ou segundo o recomendado pelo veterinário.
  • Vacina contra giardíase: A primeira dose pode ser dada a partir dos 2 meses de idade, com segunda dose 30 dias depois da primeira aplicação.

Vacinas importantes

No Brasil, as vacinas mais importantes são a ÓCTUPLA e a vacina antirrábica. Como explicado acima, a óctupla deve ser aplicada aos 60 dias de vida e aos três e quatro meses de vida.

A primeira dose da vacina antirrábica deve ser aplicada aos seis meses de vida.

Uma vez que o cachorro deixe de ser filhote, a partir do primeiro ano de vida de nosso animal de estimação, devem ser aplicadas ambas as vacinas uma vez por ano, sem exceção.

Dessa forma, garantimos a proteção do nosso cachorro e prevenimos o aparecimento de doenças neles.

Mas, o que é uma vacina?

Uma vacina é uma mistura de antígenos que são injetados no cachorro. Usa-se para estimular a criação de anticorpos pelo sistema imunológico dele, a fim de eliminar o patógeno.

Podemos entender a vacina como o mesmo vírus da doença enfraquecido, sem que ele possa provocar males no paciente.

As vacinas são aplicadas para que o cachorro desenvolva e crie anticorpos para combater esse vírus.  De forma que, se alguma vez na vida ele entrar em contato com o vírus de forma real, seu corpo estará preparado para resistir e vencê-lo.

A necessidade da vacina

A ausência de vacinação em um filhote ou em um cachorro adulto não só expõe o animal ao risco de contrair doenças que poderiam ser letais, mas também pode permitir que ele passe doenças a outros cães e seres humanos.

Nosso animal de estimação poderia ser portador de alguma doença e provocar o seu contágio para outro cachorro, que esteja em processo de vacinação ou tenha um sistema imunológico fraco.

Outra consequência de não imunizar o nosso cachorro é que sejam aplicadas multas graves e, mesmo, que seu animal seja-lhe tomado.

Se temos um filhote que ainda não foi vacinado, é importante não misturá-lo com outros cachorros, nem levá-lo para passear na rua.

É preciso saber que só a urina de outro cachorro, gato ou de um roedor infestado poderia contagiar nosso pequeno amigo e a sua vida estaria em perigo.

Efeitos colaterais de uma vacina

vacinas-no-cao1

Os sintomas e efeitos colaterais que provocam a vacina podem ir desde o aparecimento de dores e coceira, inflamação, inchaço, etc.

Além disso, podem ocorrer danos gastrointestinais, gripes, doenças respiratórias ou de pele, e, inclusive, problemas cardiovasculares mais graves.

Nesse sentido, as vacinas são testadas e experimentadas para serem conhecidos os possíveis efeitos colaterais que podem provocar no animal.

Quando uma vacina entra no calendário oficial de vacinação no Brasil, ela superou os rígidos controles de qualidade que garantem a saúde do cachorro.

A vacina cumpre o compromisso de imunizar o cachorro contra uma determinada doença. No caso da vacinação contra a raiva, o Governo brasileiro realiza campanhas regulares para vacinar cães e gatos gratuitamente. Aproveite essas oportunidades e proteja seu pet e sua família.