Rei da Tailândia adota cães de rua

Rei da Tailândia

Há alguns anos o rei da Tailândia, Bhumibol Adulyadej, se tornou muito conhecido no mundo, tanto pela enorme fortuna que possui como pelo fato de ser um dos chefes de estado que está há mais tempo no poder.

Este fato fez do monarca um dos líderes mundiais mais importantes que existem, e como muitas outras figuras com a mesma índole dele, o rei conta com quem o apoia e com quem se posiciona contra.

Entretanto, nos últimos tempos, o rei esteve novamente na boca de todos, não por algumas de suas medidas para o bem ou para mal como fazem os políticos, mas sim por uma situação relacionada com o melhor amigo do homem.

O rei da Tailândia e sua princesa

Cadela

Fonte: www.diariodehuelva.es

É que para a surpresa de muitos, o rei da Tailândia adotou a uma linda cadelinha mestiça de rua em 1998, quando ela era apenas um filhote, depois de percorrer as ruas de Bangkok e encontrá-la perambulando por lá.

Depois disso, ele a chamou de Thong Daeng e como uma verdadeira princesa de cor acobreada, a cadelinha não somente acompanhou seu novo amo em quase todas as suas aparições públicas, mas foi também considerada por muitos analistas como um verdadeiro ícone da Casa Real Tailandesa.

O inegável amor do rei por sua pequena amiga de quatro patas alcançou seu ponto mais alto depois da publicação de um livro dedicado a ela, intitulado “A história de Thong Daeng”, que foi tão bem-sucedido que chegou a vender mais de 100 mil cópias em suas primeiras horas e é uma obra venerada na Tailândia.

Entretanto, também existiu muita polêmica com essa cadelinha, já que no final do ano passado um jovem de 27 anos foi detido por publicar em sua conta do Facebook alguns comentários sarcásticos sobre a cadelinha Thong Daeng que geraram uma forte rejeição por parte da Casa Real.

Infelizmente, a cachorrinha do rei da Tailândia morreu no final de 2015, depois de uma terrível doença que ela vinha enfrentando já fazia algum tempo, deixando um forte vazio tanto no rei como na população tailandesa.

Adoção de cães de rua

O certo é que além da cadelinha Thong Daeng, o chefe de estado também chegou a adotar outros cães de rua, essa ação foi tão a fundo que gerou uma medida de amparo aos cães, ao incentivar a adoção daqueles cães que se encontram vivendo nas ruas do país.

Isto é algo que fez com que o rei ganhasse o respeito de muitas pessoas no mundo, já que o monarca promoveu esta nobre ação em detrimento da compra de cães de raça pura, ao considerar isso como uma ação desnecessária por existir na Tailândia uma população canina que beira os 9 milhões, dentre os quais, muitos não têm um lar.

Conforme descreve o rei da Tailândia em seu livro, os cães de rua são muito mais carinhosos e amáveis que os outros, manifestam uma humildade e uma fidelidade absoluta com seus donos, já que esta é a maneira deles de demonstrarem gratidão por havermos oferecido a eles um espaço em nosso lar e em nossa família.

O contrabando de cães na Tailândia

Cachorros em abrigo

Como já tínhamos informado em um artigo anterior, este país asiático é um dos lugares onde pior vivem os melhores amigos do homem, já que além da quantidade de cães que se encontram perambulando nas ruas, eles são a mercadoria de um negócio terrível e desumano.

Trata-se do contrabando de cães para o consumo de suas carnes e peles, os quais são altamente procurados na Tailândia e em outros países como o Vietnã e a China.

Numerosos ativistas pelos direitos dos animais revelaram que somente no país onde viveu a cadelinha Thong Daeng come-se mais de um milhão de cães por ano, o que dá a entender que, embora seja um negócio ilegal, ele se encontra em plena expansão.

Isso é precisamente uma das coisas que o rei da Tailândia Bhumibol Adulyadej criticou, já que apesar de todas as iniciativas que ele tomou quanto à adoção de cães e o exemplo com a forma em que protegeu sua falecida cadelinha, não gerou efeitos contundentes para resolver esta terrível situação de maltrato animal na Tailândia.