Respondendo às perguntas mais comuns sobre cães

Hoje, muitas pessoas devem estar planejando comprar ou adotar um cão como animal de estimação. No entanto, esta decisão levanta muitas dúvidas e perguntas sobre a educação, a comida, o melhor lugar para dormir, a frequência e a duração dos passeios, e também sobre os cuidados especiais de que eles necessitam. 

Além disso, é melhor ter todo esse conhecimento com antecedência, antes de entrar em uma tarefa que exige muito esforço e dedicação, como a de ter um animal de estimação.

Aqui o Meus Animais vai responder as dúvidas mais comuns sobre os cães.

Em que idade um filhote pode ser adotado?

A idade ideal para adotar um filhote de cachorro é entre 6 e 8 semanas, porque antes dessa idade é importante que ele interaja com sua mãe e seus irmãos. É um primeiro passo natural para uma socialização adequada.

É possível adestrar um cão adulto?

cão-responde-chamado

Às vezes, um animal de estimação é adotado adulto e vem para sua nova casa semi-educado, seus antigos donos se cansaram de corrigir o comportamento indesejável, ou não se preocuparam muito com isso.

No entanto, nunca é tarde demais para ensinar boas maneiras para um animal de estimação. Perseverança e resposta positiva à mudança é fundamental para a educação de um cão adulto.

Adultos e cães jovens devem aprender a responder a comandos simples como “senta”, “vem” e “fica”. Isto é feito através da repetição da ordem e do reforço positivo com comida ou petiscos.

Além disso, os cães adultos também devem ser motivados por brinquedos e muito exercício.

Por que os cães gostam de ossos?

Acredita-se que este comportamento dos cães tenha surgido para mascarar o odor. Esta abordagem é herdada dos lobos e cães selvagens.

Isso é para que as presas não percebam o cheiro do predador, entrem em pânico e fujam.

Como escolher o nome do cachorro?

A escolha do nome de um cachorro é um passo importante, pois é o nome que vai identificar o cão ao longo de sua vida, de modo que deve ser escolhido o quanto antes.

É muito importante que todos os membros da família estejam de acordo com o nome e que todos chamem o animal de estimação sempre da mesma forma.

Além do gosto pessoal de cada um, há vários aspectos a se considerar ao escolher um nome para o cão.

Evite nomes que se assemelhem a ordens (sentado, deitado, vem…). Isso irá favorecer uma boa comunicação entre o tutor e o animal, e impedir que o animal de estimação confunda seu nome com uma ordem.

O mesmo deve ser feito como nomes similares ao de outros animais, ou mesmo nomes de membros da família ou, até mesmo, de vizinhos.

O nome não deve ser muito longo, de modo que o animal possa interpretá-lo bem. Se você quiser colocar um nome longo, você deverá chamar o cão por um diminutivo.

Escolha um nome que não seja muito ruim quando o cão ficar mais velho. Por exemplo, um filhote de Dogue alemão com o nome “Pitoquinho” é bonito, mas quando ele crescer, o nome vai ser ridículo.

Com quantos anos coloca-se a coleira?

cão-passeio

A coleira deverá ser colocada em um cão doméstico o mais rapidamente possível, para que ele possa se habituar. A idade em que normalmente é colocada em um filhote é entre dois e três meses de idade.

Na primeira vez, incomodado, ele vai raspar e tentar removê-la, mas logo se acostumará sem problemas.

Existem três tipos de colares: a fivela, o enforcador e carranas. Coleiras de fivela são recomendadas para filhotes com menos de quatro meses. Os enforcadores são ideais para o treinamento de cães ao longo de quatro meses.

E as coleiras perfurantes, ou carranas, são usadas ​​para proteger o pescoço do animal de possíveis brigas com outros cães.

Por que os cães abanam o rabo?

Como os antepassados ​​dos cães eram animais de rebanho, eles desenvolveram uma forma de se comunicar utilizando diferentes posturas corporais, diferentes tons de latindo e rosnados.

O rabo é a mais expressivo das partes do corpo e, assim, podem comunicar diferentes mensagens. Dependendo da posição da cauda (levantada ou abaixada), eles podem comunicar simpatia, jovialidade, agressão, medo ou submissão.