Saiba tudo sobre as emoções dos animais

As emoções nos cães

Os animais têm emoções, sentimentos? Isso tem sido um tema muito discutido durante anos, aqueles que tinham animais de estimação votaram a favor e, aqueles que não, votaram contra. Algumas pessoas dizem que depende de que tipo de emoções estamos falando, se elas são básicas ou avançadas. O que está claro é que as emoções dos animais não atingem o nível humano e eles não podem expressá-las da mesma maneira que nós. Antes vamos ver o que são emoções.

O que são emoções e sentimentos

Cães correndo

Uma emoção é a materialização biológica ou psicológica de um estado mental. Ela é produzida pela liberação de hormônios, impulsionando uma determinada ação. Elas são menos duráveis do que os sentimentos, mas podem ser sentidas mais intensamente. As 6 principais emoções são: raiva, medo, alegria, tristeza, repulsa e surpresa.

Um sentimento é uma manifestação de emoções que se transforma em um estado duradouro.

Por exemplo, quando éramos pequenos não gostávamos que nossos pais apagassem a luz, porque tínhamos medo, se eles concordassem com isso sempre, a emoção ligada ao medo do escuro se tornaria uma sensação que iria durar até a idade adulta, continuaríamos tendo medo da escuridão mesmo adultos.

Portanto, as emoções são passageiras, mas os sentimentos são duradouros.

O que dizem os estudiosos

Desde tempos antigos, o comportamento dos animais tem sido estudado para descobrir se eles têm ou não emoções. Por exemplo, Aristóteles apoiou a ideia de que os animais são totalmente diferentes dos humanos e que eles não podem sentir ou expressar emoções, mas agem por instinto.

Descartes apoiou essa ideia também, argumentando que, embora os animais manifestem a dor física com gritos, isto não era acompanhado de sofrimento, portanto, de acordo com Descartes, os animais não sofrem ou sentem.

No entanto, alguns estudiosos de tempos posteriores ao de Descartes, apoiaram a ideia de que os animais podem sim ficarem emocionados e sentir. Alguns destes foram Jane Goodall, Mark Bekoff e Darwin.

O que dizem os animais

Embora não possam falar, o comportamento dos animais nos dizem muito. Quem não se lembra do filme “Vivos” (Alive) ou “Hachiko“? Por acaso o que eles demonstraram não eram emoções? Eu diria mais: eram sentimentos!

Tipos de condutas que mostram emoções

Cão

Considere agora a maneira dos animais agirem em determinadas situações. Pode haver outras que, talvez, permaneçam impassíveis, mas as que veremos abaixo demonstram que os animais agem de acordo com o que eles sentem.

  • Quando alguém fere um animal. Não se pode negar que o animal se manifesta gritando de dor, fugindo ou chorando. E se você tentar novamente, ele irá fazer o mesmo, será defensivo, mostrando sua agressividade.
  • Quando o seu dono morre. Há milhares de casos em que os animais esperam dia após dia o seu falecido dono, morrendo com a mesma tristeza do dia em que eles se sentiram abandonados por seus cuidadores.
  • Quando se abandona um animal. Quando um animal se sente abandonado, sua vitalidade se apaga. Sente-se só. Isso não é emoção?
  • Quando nos vê depois de um longo tempo. Qualquer animal que conhece seu dono, tem o prazer de vê-lo depois de um tempo… E quanto a isso? Não são sentimentos?
  • Quando gritamos. Não quero falar aqui sobre abuso, mas sim de repreensão, como toda boa mãe faz com seus filhos. Um ser sem sentimentos seria indiferente para o que dizemos. Grite com uma planta e compare a reação dela com a de seu animal.

O debate sempre existirá e sempre haverá aqueles que são a favor e aqueles que são contra. Também, como em tudo na vida, existem aqueles que não têm interesse que as pessoas pensem que os animais têm emoções… por que? Existem muitos laboratórios, indústrias farmacêuticas e de beleza, que fazem pesquisas em animais e até extraem substâncias de seus corpos para criarem seus produtos.

Se provassem que os animais realmente têm emoções, esse tipo de negócio acabaria gerando grandes perdas financeiras.

Depois de tudo isso, todos podem tirar suas próprias conclusões. Nós temos a nossa, e você?