O sofrimento de uma tartaruga por culpa da contaminação marinha

Tartaruga resgatada

Hoje trazemos uma triste história que, de novo, nos leva a refletir sobre os efeitos negativos da ação do ser humano sobre a natureza. Mais especificamente, no que se refere ao nosso desperdício contínuo que lançamos no meio ambiente, e neste caso, no mar.

Um grupo de pesquisadores, os biólogos marinhos Nathan Robinson e Christine Figgener, trouxeram à sociedade algumas imagens alarmantes, dolorosas e duras do sofrimento de uma tartaruga-olivácea, que foi resgatada das águas com um corpo estranho em um dos orifícios de seu nariz.

Este objeto desconhecido era, nada menos que um canudo de plástico, que o animal tinha dentro de seu nariz.

As imagens não deixam nenhuma dúvida do enorme trabalho que tiveram ambos os pesquisadores para extrair este canudo do nariz da tartaruga, motivados obviamente pela situação tão dolorosa que a criatura estava passando.

Além, é claro, da preocupação por parte de toda a equipe científica com a dor tão grande e do medo que estava sentindo esta criatura marinha.

No final, com muito esforço, o objeto foi extraído para satisfação e consolo de todos. Temos que ressaltar que o canudo media aproximadamente 10 centímetros de comprimento.

Lugar onde ocorreram os fatos

Lixo e tartaruga

O local específico onde ocorreu este fato foi na zona de Guanacaste, território marinho da Costa Rica. Ainda que o lugar em si seja o de menos, porque estes problemas estão ocorrendo em muitas partes do mundo, motivados pelo desagradável e contaminante lixo marinho de “nossos próprios resíduos.

As imagens de todo o processo pelo qual a tartaruga passou, foram gravadas pelos próprios cientistas que, posteriormente, colocaram na internet, conseguindo que, no YouTube, o vídeo fosse visto por mais de 2 milhões de usuários.

Ainda que as imagens possam causar impacto à sensibilidade das pessoas.

Também, vimos outra triste história que, curiosamente, afeta também uma tartaruga, que foi terrivelmente deformada pelos efeitos que, neste caso, lhe provocou um separador plástico de latas de bebidas, e cujas sequelas em seu corpo são irreversíveis por toda a vida. Nos referimos a tartaruga que, infelizmente, foi batizada com o nome de “amendoim”.

Preocupação pela contaminação marinha

Golfinho na praia

Os dados que possuímos sobre a contaminação marinha são devastadores e muito alarmantes.

Segundo um estudo publicado pela revista Science, durante o ano 2010, foram lançados no mar uma média de oito milhões de toneladas de plástico.

Tal como explica, como uma forma de exemplo, uma das autoras do estudo, Jenna Jambeck, com esta quantidade de resíduos é possível encher cinco sacolas plásticas de supermercado a cada 30 centímetros. Se colocássemos todo este lixo ao longo da costa da Terra, seria o mesmo que encher mais de 10.000 caminhões com eles.

Mas se conhecer estes dados pode nos deixar petrificados e também tristes, o futuro não é muito animador; ao contrário, é ainda mais desolador.

Já que para o ano de 2015 espera-se que sejam lançados ao mar mais de nove milhões de toneladas de plástico, podendo chegar ao final de 2015 com uma quantidade total acumulada de 155 milhões de toneladas de resíduos plásticos em nossos mares e oceanos. Mais que preocupante!

Por isso, nós do “Meus Animais” fazemos um chamado à consciência de todos, à reflexão pessoal, para que cada um de nós possa ser motivado a lutar e procurar formas de contribuir para erradicar, ou pelo menos diminuir, este terrível problema que ocorre no mundo inteiro e que, infelizmente, também afeta a todos os habitantes deste planeta, tanto humanos, como animais e vegetais.