Ter um cachorro faz bem para o coração

Para muitos, sair e passear com seu animal de estimação é o melhor momento do dia. Seja caminhando por um parque, visitando um bosque ou passeando pela praia, há sempre diversão ao lado de um cão. Além disso, parece que ter um cão também faz bem para o seu coração. Explicaremos o porquê.

Estudos que vinculam ter um animal de estimação com uma melhor saúde física e mental são conhecidos há décadas. No entanto, nenhuma dessas pesquisas oferece provas conclusivas.

Ainda assim, pesquisadores da American Heart Association (AHA), reuniram informações e as conclusões parecem indicar que ter um animal em casa, principalmente um cão, provavelmente diminui os riscos de ter alguma doença cardíaca.

Estatisticamente, os donos de cães vivem mais que as pessoas que têm gatos e a hipótese mais aceita é que os cachorros obrigam os seus donos a levarem uma vida mais ativa.

A evidência encontrada pela AHA indica que os donos de cães são mais propensos a fazer exercícios físicos, além de ter melhores níveis de colesterol, pressão arterial mais baixa, ser menos vulneráveis aos efeitos físicos do estresse e ter uma probabilidade maior de sobreviverem a um infarto.

dieta coração 2

Entretanto, o contrário pode ser verdadeiro. É possível que as pessoas mais saudáveis ou aquelas que estão fazendo alguma mudança em seu estilo de vida tenham mais probabilidade de ter um cão que aqueles que sofrem de algum problema de saúde.

Os especialistas da AHA não descartam essa possibilidade. Eles admitiram que não se pode dizer o fato de possui rum cão faz você ter um coração mais saudável, ou se são as pessoas mais saudáveis as mais propensas a ter cães como animais de estimação.

O caso dos cães

Caso se tratasse apenas do companheirismo, talvez os cães não ganhassem dos gatos. Porém, os dados mostram que os donos de cachorros levam uma vida mais ativa que as pessoas que não possuem cães.

Em um estudo realizado em 2008 com 2.199 pessoas, concluiu-se que os que tinham um cão saiam para caminhar mais e eram menos propensos a desenvolver doenças como obesidade que aqueles que não possuíam cães.

No entanto, também foram encontrados muitos casos de donos de cães com sobrepeso ou pessoas que se mantinham atentas ao seu estado físico sem a necessidade de ter um animal de estimação. Assim, a quantidade de atividade física não foi determinante na pesquisa.

Um outro estudo, realizado em 2001, acompanhou 48 pessoas com postos de trabalho de grande responsabilidade e alto estresse que concordaram em adotar um cão ou um gato se fosse solicitado. A metade o fez e, seis meses depois, os que adotaram um cão ou um gato tinham a pressão arterial significativamente mais baixa quando estavam estressados.

Conseguir um cão também parece ajudar, inclusive se já tiver uma doença cardíaca. Um estudo realizado em 1995 acompanhou 369 pessoas com doenças cardiovasculares. Um ano depois, os que possuíam um cão apresentaram ma taxa de sobrevivência muito superior (quatro vezes) que aqueles que não tinham um animal. Os gatos, no entanto, não melhoraram a probabilidade de sobrevivência de seus donos.

exercício cachorro

Devo adotar um cão para ajudar na saúde do meu coração?

Se ter um cão significa ter um coração mais saudável, todas as pessoas que tem problemas cardíacos devem ter um cão?

Não. De acordo com o estudo da AHA, “o propósito principal da adoção, resgate ou compra de um animal de estimação não deve ser a redução de risco cardiovascular”.

O mero fato de ter um cão não é um substituto para um plano de atividades físicas regulares, acompanhados de uma dieta saudável para o coração e receber atendimento médico regular. Dito isso, os cães parece ser bons para o coração de muitas formas.

Os cachorros ajudam em um aspecto que parecia não ter grande relevância: a solidão. Essa não é uma coisa boa, tanto do ponto de vista físico, quanto psicológico. Portanto, embora um médico não receite ter um animal para aliviar problemas cardíacos, não ira desencorajar a adoção como uma medida para melhorar a situação.