Todos os detalhes sobre o Alaskan Malamute

Alaskan Malamute

Talvez porque lembrem a seus antepassados os lobos, as raças nórdicas de cães despertam um interesse especial nas pessoas. Embora o Husky Siberiano seja o mais conhecido entre esses cães, o Alaskan Malamute ou Malamute de Alaska se destaca pelo físico e elegância. Trata-se de um dos cães de maior personalidade, grande tamanho e natureza majestosa.

Sua origem está na zona ártica, onde era utilizado pelo povo dos Mahle para colaborar em atividades de caça e, sobretudo, nos trenós. Essa função precisa de animais fortes, inteligentes, vigorosos e leais. Todas estas características são encontradas no Malamute.

É um cão que se distingue pela resistência mais do que pela velocidade. Sua estrutura óssea é a que o permite ser um trotador que pode recorrer grandes distâncias. No entanto, é com certeza que, na atualidade, há mais Malamutes tirando de carrinhos e trenós em competências esportivas que transportando aos habitantes do Ártico.

De caráter independente, também destacam-se como cães de busca e resgate.

Alguns dados sobre o Alaskan Malamute

Husky siberiano

São animais afetuosos e amigáveis, se você quer adotar um Alaskan Malamute deve saber que é imprescindível educá-lo desde filhote para evitar que, quando cresça, rebele-se contra suas ordens e manifeste-se agressivo ante outros animais ou pessoas.

Pela sua natureza, quando se encontra com outros cães, rapidamente os faz saber que deverão submeter-se a sua liderança e, se algum pensar em desafiá-lo, não duvidará em demostrar seu poder.

Além disso, é um cão com uma grande energia, por isso precisa se exercitar diariamente. Se ele não brincar, não correr e não se mantiver ocupado, com certeza destroçará grande parte dos objetos de sua casa.

E se ele se mostrar afetuoso com as crianças, você deve supervisar as brincadeiras porque, por seu tamanho, pode chegar a machucá-los.

Tenha em conta que um apartamento pequeno não é o lugar ideal para o Malamute, sobretudo, se você não tem espaço para prestar-lhe atenção e assegurar-lhe longos passeios. Por isso, o ideal é que conte com um jardim, pátio ou quintal onde possa aliviar sua energia.

Não é um cão que late muito, mas pode ser um bom protetor de seu lar. Como é um animal muito seguro dele mesmo, se necessário, entrará diretamente em ação, pulando-se a etapa do latido.

O que mais você deve saber sobre o Alaskan Malamute

Huskies

Algumas de suas caraterísticas físicas são:

  • Altura: 63 centímetros;
  • Peso: 35 quilogramas;
  • Média de vida: 12 anos,
  • Cor da pelagem: pardo ou variante do cinza claro ao preto, com branco no ventre;
  • Corpo: musculoso e compacto, mas não curto;
  • Cabeça: grande e profunda, proporcional ao corpo;
  • Focinho: comprido e avultado, harmonioso com o resto do crânio. Estreita-se ligeiramente desde sua base até a ponta do nariz. Os dentes fecham como tesoura;
  • Olhos: medianos, marrons, com forma de amêndoa e dispostos obliquamente;
  • Orelhas: triangulares, ligeiramente arredondadas na ponta e pequenas em relação à cabeça;
  • Rabo: grossa e de pelagem espessa;
  • Manto: o extremo é grosso e áspero. O interno é muito denso, oleoso e com textura de lã;

Sua pelagem não requer atenção excessiva. É suficiente escová-lo uma vez por semana e aumentar esta frequência diária em épocas de mudança. Tenha em conta que, se você alimentá-lo com ração de alta qualidade, ficará livre de muitas visitas ao veterinário.

É um cão muito resistente. Isso não significa que você tenha que se descuidar dele. Mas é menos propenso às doenças que outras raças. Os problemas de saúde de origem genético que pode padecer são:

Além disso, em lugares excessivamente com umidade, geralmente desenvolvem dermatites.

O Alaskan Malamute está pronto para resistir a temperaturas muitas baixas. Transportá-lo para lugares de climas mais quentes não é o melhor para estes animais, que sofrem muito calor.

Se você não pode resistir à tentação de ter um e mora em zonas onde a temperatura é elevada, o melhor para seu animal de estimação seria mudar para lugares mais amigáveis. Vale a pena encarar essa mudança?