O trabalho de um cão de assistência

Eles são conhecidos como cães de assistência por terem sidos treinados especificamente para fornecerem ajuda para pessoas com diferentes tipos de deficiências, ajudando-as a alcançar uma melhor qualidade de vida, tanto no aspecto físico quanto no psicológico.

Assim, os cães auxiliam seus assistidos a terem um bom desenvolvimento em suas vidas diárias, seja em ambiente privado ou público, permitindo-lhes superar suas próprias limitações e também as barreiras que o ambiente pode apresentar.

As várias funções de um cão de assistência

Existem muitas e variadas tarefas que podem ser desenvolvidas por um cão de assistência, embora elas possam ser classificadas em três categorias principais:

Cães-guias de cegos

Acompanha o cego, ou quem tem uma grande deficiência de visão, ajudando a mover-se com segurança de um lugar para outro. É o mais velho da categoria dos cães de assistência. Os registros da existência dos cães-guias remontam o século XVIII.

No entanto, o guia, como entendemos hoje, apareceu após a Primeira Guerra Mundial. Suas principais funções são:

  • Parar nas beiras de calçadas e degraus;
  • Evitar os obstáculos;
  • Ignorar ordens, se estas colocam em risco a vida da pessoa que estão guiando.

As raças mais comumente empregadas para esta tarefa são as de Labradores, também o Pastor alemão e Golden Retriever. Nos últimos tempos se juntou o Labradoodle (cruzamento de Labrador com Poodle), uma vez que estes não soltam pelos, se tornando mais adequados para as pessoas com alergias.

Estas raças são escolhidas porque os cães-guias devem ter uma certa altura, algumas habilidades psicológicas específicas e também desfrutarem da companhia das pessoas.

Cães sinalizadores

Cão de assitência

O cão de assistência que presta auxilio aos surdos, ou a quem apresenta deficiências de audição, é chamado de cão sinalizador. Eles são treinados para tocarem com suas patas ou focinhos as pessoas que eles acompanham quando eles ouvem certos sons. Por exemplo:

  • Gritos de crianças ou bebês;
  • Alarmes de incêndio;
  • Campainha de casa;
  • Relógio despertador;
  • Alto-falante de carros;
  • Alarmes de aparelhos (fornos, máquinas de lavar roupa, micro-ondas, etc.).

Cães de serviço

Eles ajudam as pessoas com outros tipos de deficiência ou necessidades especiais. As funções a cumprir são diferentes:

  • Avisos. São treinados para alertar sobre uma condição clínica específica. Por exemplo, existem aqueles que podem detectar hipoglicemia em diabéticos, ou um ataque iminente de epilepsia. Também são preparados para ativar um sistema de alerta para chamarem por socorro para a pessoa com necessidade.
  • Acompanhamento de pessoas com autismo. Eles protegem a integridade física e o controle de situações de emergência. Evitam comportamentos de fuga, reduzem os movimentos estereotipados e facilitam a integração social de seus assistidos.
  • Auxilia pessoas com problemas físicos e motores. Eles são treinados para ligar e desligar luzes, pegar objetos, abrir e fechar portas e gavetas, despir o indivíduo, levar uma cadeira de rodas e ajudar a pessoa caso ela caia.

Tanto os cães sinalizadores quanto os cães de serviço tendem a ser selecionados em abrigos de animais. Por este motivo, não há nenhuma raça especifica para fazer estas tarefas.

Além dessas funções específicas, os cães de assistência são um bom suporte psicológico para as pessoas que ajudam. Só a companhia deles já permite que elas tenham uma melhor atitude perante a vida, dando-lhes mais confiança e segurança.

Também contribuem para que elas se relacionem com outros seres humanos e para fazerem exercícios.

Como é selecionado e treinado um cão de serviço

Cão de serviço

Autor: Carlos Zambrano

Além de serem socializados – com as pessoas, cães e outros animais – e receberem o treinamento básico, estes cães são avaliados em termos de temperamento, personalidade global e também saúde e atributos físicos, para que uma vez selecionadas as habilidades, comece com um treinamento específico.

Isso deve ser realizado por indivíduos ou instituições especializados e com reconhecimento legal.

As pessoas que necessitam dos serviços destes cães também são avaliadas, considera-se se elas vão cuidar do animal e se isso pode, de fato, melhorar sua qualidade de vida.

Além disso, as pessoas que necessitam de um cão de serviço, precisam entender que estes animais devem ser tratados com amor, devem ter momentos de lazer para brincadeiras e passeios, e fornecer todas as outras coisas que um cão sem este tipo de responsabilidade também precisa.

Ter uma deficiência específica não isenta a pessoa da responsabilidade de cuidar de um cão, bem como fornecer-lhe amor, contribuindo diariamente para fazer a vida dele mais feliz.