Como tratar o problema de gases nos cães

Tratar os gases nos cães

Se de repente um odor desagradável se espalha pelo ambiente familiar e todos começam a olhar entre si buscando o culpado, o responsável também pode ser o seu cão. Mas é claro que, como ele considera este um fato natural – que realmente é -, não se sente envergonhado como os humanos costumam se sentir, e expulsa os gases sem complexos, onde quer que esteja. Hoje contaremos como tratar o problema de gases malcheirosos nos cães.

Principais causas dos gases caninos

Tenha em mente que o tema da flatulência nos cães pode se tornar algo grave se você não tentar resolvê-lo. É que, além do odor desagradável, é altamente provável que o animal chegue a sofrer incômodos intestinais e, em casos extremos, uma torção gástrica que pode chegar a causar morte.

As causas que provocam os gases malcheirosos são variadas. Entre elas podemos citar:

Cachorro e ração

  • O tipo de alimentação que recebe. Alguns alimentos podem favorecer uma digestão lenta e pesada, principalmente os que têm excesso de carboidratos e de fibras;
  • Se o animal come rápido demais, o que faz com que ingira muito ar, propiciando o acúmulo de gases em seu estômago. Essa situação costuma ocorrer em lares onde há mais de um cão. Então, por temor de que seus colegas roubem a sua porção, o cão se apressa em comer;
  • Algumas doenças respiratórias e hepáticas, e a presença de parasitas intestinais;

Além do odor desagradável que provocam, as flatulências nos cães devem ser tratadas para evitar maiores inconvenientes de saúde no animal de estimação.

Outras razões que provocam gases malcheirosos nos cães

Outros motivos que podem influenciar essa situação são:

  • O estilo de vida que leva. Os animais sedentários, que não fazem muita atividade física, têm uma tendência maior a sofrer de gases. Se o peludo está passando por uma situação de estresse, também é possível que tenha gases;
  • A idade do animal. Por exemplo, os filhotes têm uma tendência maior a sofrer de gases, já que são muito ansiosos no momento de ingerir seus alimentos. As dificuldades respiratórias em cães idosos também favorecem a formação de flatulências;
  • A raça. No caso dos cães braquicefálicos – os de focinho curto, como o Bulldog ou o Pug – a má mordida que eles têm faz com que não mastiguem bem os alimentos, fazendo com que engulam mais ar.

Como solucionar o tema dos gases nos cães

Para prevenir os gases malcheirosos nos cães, devemos oferecer a eles uma ração de boa qualidade que contribua para facilitar a digestão.

Para os cães braquicefálicos, também há composições balanceadas específicas, desenhadas para que os animais sejam obrigados a mastigar durante mais tempo e, assim, absorver menos ar.

Mas se você prefere oferecer ao seu amigo de quatro patas uma dieta caseira, consulte o veterinário ou um especialista em nutrição animal para que ele possa informar sobre como proporcionar ao seu cão uma alimentação que não favoreça a formação de gases.

Mais opções para prevenir os gases nos cães

Detalhamos outras medidas que você pode tomar para conseguir resolver o problema dos gases caninos:

  • Tigelas especiais para evitar que o animal coma rápido demais sua comida;
  • Se você tem mais de um cão, dê a eles a comida separadamente. Comer sozinhos permitirá acabar com a ansiedade e eles irão ingerir seu alimento mais lentamente;
  • Distribua a ração em várias porções por dia;
  • Aumente sua atividade física com passeios mais frequentes ou mais longos, ou com mais brincadeiras.

O que fazer se o problema persistir

Cachorro no veterinário

Se mesmo após estas mudanças as flatulências persistirem ou até aumentarem de intensidade e se você notar que o animal apresenta incômodos ou dores abdominais, é provável que a causa se encontre em alguma intolerância alimentar ou em alguma doença que será preciso determinar.

Nestas circunstâncias, não demore para consultar um veterinário para evitar inconvenientes maiores na saúde de seu cão. O profissional buscará os motivos que originam o problema e indicará os tratamentos adequados dependendo do diagnóstico.

Em qualquer caso, lembre-se de não brigar com seu amigo de quatro patas se ele expulsar um gás, por mais malcheiroso que o mesmo seja.